A IMPORTÂNCIA DO SEXO NA SAÚDE

Autoria do Dr. Telmo Diniz

sexo

Todos sabem que sexo é bom e promove uma enorme sensação de bem-estar. O orgasmo, ponto máximo do prazer sexual, proporciona uma série de reações ao organismo que se traduzem em melhora da nossa saúde. Uma vida sexual ativa pode levar desde ao alívio do estresse, passando pela melhora do sistema imunológico, até a prevenção de doenças cardíacas. E quem afirma isso não sou eu. Vários estudos apontam para os benefícios de uma atividade sexual regular. Por exemplo, você anda tenso (a)? Se sim, faça mais sexo.

De acordo com um artigo publicado no “The Journal of Sexual Medicine”, durante a relação sexual, o fluxo sanguíneo e a frequência cardíaca aumentam de forma exponencial, chegando ao pico com o orgasmo, que é quando a pessoa tem uma grande contração, imediatamente seguida de um intenso relaxamento, capaz de aliviar as tensões musculares. Outro exemplo é se você tem enxaqueca ou cólicas menstruais. Este estudo comprova que, durante o orgasmo, nosso cérebro libera endorfinas e oxitocinas em quantidades até cinco vezes maiores do que em situações normais. Estas mesmas substâncias são responsáveis pelo controle da dor. Em outras palavras, a atividade sexual regular reduz a frequência das enxaquecas e melhora a dor das cólicas menstruais. De igual forma, altos níveis de estresse são combatidos com muito sexo. E um estudo escocês, publicado na revista “Biological Psychology”, relevou que o orgasmo diminui a produção de cortisol, hormônio responsável pelo estresse, consequentemente melhorando a nossa tolerância aos problemas do dia a dia.

Tem insônia? Então, transe mais! De acordo com os estudiosos, além do relaxamento dos músculos e da liberação de endorfinas, o orgasmo também ativa neurotransmissores que fazem o cérebro e o organismo funcionarem melhor, interferindo diretamente na qualidade do nosso sono, de uma forma positiva, é claro. De igual forma, se está com imunidade baixa e tem infecções de repetição, o sexo pode ser um grande aliado. Um estudo feito pela “Wilkes University”, nos Estados Unidos, mostrou que uma vida sexualmente ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA, responsável pela proteção do organismo de infecções, gripes e resfriados.

E, por fim, quem faz sexo com regularidade vive mais. É isso mesmo! Uma universidade na Escócia entrevistou mais de 3.500 pessoas na Europa e EUA, a fim de encontrar uma relação entre sexo e a longevidade. A entrevista incluía perguntas sobre frequência e qualidade da atividade sexual dos participantes. Ao final do estudo, os pesquisadores notaram que as pessoas que faziam sexo pelo menos quatro vezes por semana aparentavam ser mais jovens do que realmente eram. Parte da explicação está no fato de que a atividade sexual aumenta a liberação do hormônio estrogênio, que sabidamente é um protetor cardiovascular e que também melhora o viço da pele, o que nos dá uma aparência mais jovial.

Então, fica a dica, faça mais sexo, pois é um remédio que não possui contraindicação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *