A LÍNGUA PORTUGUESA É UM SHOW

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

 

Recontada por LuDiasBH

Há pessoas que não têm a menor ideia de como uma vírgula e outros sinais de pontuação podem mudar toda a informação contida num texto. Tais sinaizinhos tanto podem dar o dito por não dito e vice-versa. Alguns desavisados acham que eles não passam de meros enfeites. Vejam com atenção o que aconteceu numa disputa pelos bens deixados por um ricaço, um homem extremamente precavido que, temeroso de que sua família viesse a entrar em contenda em razão da fortuna que deixaria, pediu caneta e papel, quando se encontrava em seu leito de morte. A duras penas deixou seu testamento, tanto é que suprimiu as vírgulas. Assim escreveu o ricaço:

 Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres

O fato é que, na inexistência das vírgulas, não se sabia ao certo quem seria o beneficiário dos bens do fulano. O que se sabe é que eram muitos os espertalhões envolvidos nessa tresloucada concorrência, cada um puxando a brasa para a própria sardinha, assim que vazou o escrito do defunto. Na briga encontravam-se a irmã, o sobrinho, o padeiro e até mesmo os pobres do lugar, que nunca ganharam um naco de coisa alguma do endinheirado, mas, se ali se encontravam, queriam uma parte, pois antes tarde do que nunca.

O juiz, sentindo-se incapaz de interpretar o escrito, achou por bem dar uma cópia a cada um dos interessados, para que esses apresentassem seus argumentos. No dia seguinte, o magistrado já tinha em mãos quatro textos pontuados de acordo com cada um dos envolvidos:

  1. O sobrinho fez a seguinte pontuação no texto:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

  1. A irmã, por sua vez, assim pontuou o escrito:

Deixo meus bens a minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

  1. O padeiro, a quem o ricaço devia uma alta soma, tratou de salvar a pele, pontuando:

 Deixo os meus bens a minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

  1. Os pobres, vendo-se excluídos, ainda que houvesse uma referência a eles, pediu ao mais sabido do grupo que pontuasse o manuscrito, que resultou assim:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

O juiz ficou tremendamente confuso, pois o caso complicara mais ainda. As últimas notícias sobre o caso dizem que a pendenga foi levada ao STF e lá se encontra, só Deus sabe até quando…

Nota: Na frase abaixo deverão ser colocados um ponto e duas vírgulas para que tenha sentido:

“Maria toma banho porque sua mãe disse ela pegue a toalha.”

 

11 comentários sobre “A LÍNGUA PORTUGUESA É UM SHOW

  1. Celina Telma Hohmann

    Menina, uma coisa leva à outra, mesmo! Por conta de um texto, eis que dou uma boa espiada nos demais, aliás, coisa que não fazia há um bom tempo.

    Uma delícia de texto. Instigante, um tantinho assustador, pois nos damos conta de quantas vezes, sem dó ou piedade, sacrificamos a nossa complicada língua portuguesa.

    Eu, meio tresloucada, nunca reviso o que escrevo, e não me julgo a conhecedora perfeita de tantos detalhes que nossa confusa gramática esconde como perfeita. Admiro os estudiosos da língua portuguesa, considerando que das outras, com exceção média para o espanhol, originalmente o castelhano,ou castellano, que ao que sei, comum na Argentina e Uruguai, mas com toda uma história de origem. Fui aprender por enxerida, pois o inglês, o bendito, com minha pronúncia meio capenga, seria ainda mais difícil. Mas vamos combinar, há lingua mais complicada que a portuguesa? Dos sons, dos x que têm pronúncia de “s “e de “esses” que se duplicam para, ao final, darem na mesma,lá vamos nós sofrendo para não resvalar nos perigosos descuidos.

    Esperto foi o ricaço, esse, com sabedoria conhecia o valor das vírgulas, pontos e interrogações e as supriu com maestria. Deixou muitos com elevada necessidade de usarem o que ele não usou em favor próprio, mas ao visto, caiu mesmo, na demora da justiça, o que serviu para sacanear os que mereceram o debruçar-se sobre o que seria perfeito acrescentar ou subtrair numa frase.

    A língua portuguesa é o terror dos afoitos! Léxicos, semântica, e por aí vai, nos põem é de cabelo em pé, afora o uso da crase, que mais confunde que ajuda, e aí, ainda amo as vírgulas, pois essas, malandramente dão-nos a chance de modificar um teor inteiro sem o desperdício do nosso próprio interesse. Invejo os linguistas, mas não teria a mesma paciência. É muito para minha pequenez decifrar verbetes e ainda alinhá-los calculadamente da melhor e mais perfeita forma. Sou uma – entre tantos – que procuram não errar, mas que, ao final, é mais instintivo que por ter-se dedicado seriamente ao decifrar o enigma de tantos onde e aonde podemos usar sem ferir a língua mestra. E assim, ganhei pontos em vestibulares por ser boa observadora, jamais uma perita na doce arte da língua portuguesa e suas apavorantes pegadinhas.

    O que dizer de tanto para ao final, empacarmos no “e daí, meu? Kd? bjus” e que tais…(juro que não uso termos tão simplistas e confesso, tenho uma baita bronca de quem faz uso deles). Mas ganhei a madrugada e isso,valeu mais que tentar pensar nas vírgulas, pontos, pontos e vírgulas e alertou-me que preciso dar uma boa revisada no que foi sendo deixado de lado. Figuras de linguagem? O que é isso? Nesse instante, uma assombração!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Miss Celi

      Indico-lhe o GUIA PRÁTICO DO PORTUGUÊS CORRETO (3 volumes) do professor Cláudio Moreno. Você poderá descer os três volumes em PDF ou e-pub (gratuitamente). Ele ensina através de perguntas e respostas. É fantástico seu modo de ensinar, tornando tudo muito fácil e divertido. Qualquer dúvida, peça-me ajuda.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  2. Danilo Prado

    Parabéns pela publicação, Lu.

    A língua portuguesa é incrível e o exemplo que você citou é um alerta para que as pessoas tenham mais cuidado com o que irão escrever. No mundo digital, com a facilidade da comunicação, as pessoas se esquecem de pontuar, por isso a sua abordagem é muito apropriada. Aproveito e deixo abaixo um desafio que várias pessoas não conseguem resolver.

    Abraço

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Danilo

      A pontuação é fundamental em qualquer língua escrita. Uma coisa que tem me entristecido é o uso do “internetês” (tbm, nd, pq…). Se as pessoas já não têm o hábito de escrever, imagine agora. Não permito esse uso no site. Quanto à sua contribuição, eu vou anexá-la ao texto. Certo?

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Adevaldo

    Lu,
    Se o caso tivesse caído nas mãos do juiz Gilmar Mendes, já estaria solucionado, após um leilão de quem daria mais.

    Devas

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Devas

      Disso eu não teria a menor dúvida… risos. Tampouco existem juízes consciosos como o primeiro.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Mario Mendonça

    Lu Dias
    Por falta de releitura, acabo sendo uma tragédia escrevendo. Grato pela dica!

    Abração

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Nos dias atuais, em que tudo é muito rápido, acabamos não dando importância aos “detalhes”, que muitas vezes fazem toda a diferença.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marcela

      Envieram-me este texto, encontrado no “whatsapp”, mas achei que precisa de uma incrementada, para dar mais sabor ao mesmo.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *