A NAVEGANTE
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Kelly

CS.12.3.4.5.6.7

Uma coisa tenho aprendido,
que nem toda água do oceano
consegue afundar um navio.
Ele navega sobre os mais
diversos mares.
A água só pode afundá-lo, se
entrar e permanecer dentro dele.

Estou tentando esvaziar os compartimentos
que estão inundados em meu navio, e,
que fazem com que ele pese mais
do que o necessário.
Eles quase o fizeram naufragar.
Eu não o abandonei nem poderia,
jamais abandonar.

Quero, sim, é velejar,
deslizar e descobrir novos mares,
ancorar, quando o porto for seguro,
recarregar, e seguir viagem
até o lindo e infinito horizonte azul.

Nota: pintura de Leonid Afremov

Um comentário sobre “A NAVEGANTE

  1. LuDiasBH Autor do post

    Kelly

    Você é altamente poética, menina. Que palavras lindas, altamente filosóficas!
    Imagino que escreva muito!

    Parabéns por tão belo poema.

    Beijos,

    Lu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *