A NOITE ARTIFICIAL DAS CIDADES

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

luz

A noite cintila tépida sobre o verde da mata.
Eu caminho por trilhas em meio à vegetação,
debaixo dos raios da lua e da luz das estrelas,
atravessando o sombreado da noute quieta.

Ao longe, um luzimento delimita a cidade,
varrendo dos céus as densas trevas noturnas,
afastando a magnificência das belas estrelas,
e banindo os raios argentados da deusa lua.

O homem moderno agora tem medo do escuro,
aboliu tochas, archotes, lamparinas e lampiões.
Roubou da cidade a magia do negrume da noite,
curvou-se ante a luz artificial em profusão.

O universo continua no seu luze-luze incansável,
coo cardume exuberante de estrelas e galáxias,
incrustadas no seu manto majestoso de veludo,
indiferente ao fulgor das luzes das cidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *