A BELEZA DE MACHU PICCHU

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

machu

Acreditará alguém no que eu encontrei? (Hiram Bingham)

Machu Picchu significa “velha montanha” na língua quíchua, ainda falada por grupos étnicos que vivem ao longo da Cordilheira dos Andes. Trata-se de uma cidade pré-colombiana, também conhecida como a “cidade perdida dos Incas”, sendo considerada como um dos monumentos arquitetônicos e arqueológicos mais importantes do mundo. Essa cidade maravilhosa obedeceu a um plano muito rigoroso de construção, sendo por isso uma das criações mais fantásticas do Império Inca. E graças à sua altitude e às montanhas que a rodeiam, permaneceu oculta durante centenas de anos, até ser descoberta. Alguns estudiosos acham que ela foi construída com fins religiosos, pois o povo inca adorava vários elementos da natureza tais como o sol, a lua, o raio e a terra.

Machu Picchu situa-se no topo de uma montanha, no meio de uma floresta tropical, no Peru, a cerca de 2430 metros de altitude e a 112 quilômetros de Cuzco, possuindo a seu redor abismos gigantescos de até 400 metros de profundidade. No século século XV, Pachacuti, nono governante do Império Inca, ordenou a sua construção. Apesar dos desgastes ocasionados pelo tempo, a cidade ainda possui 30% de sua construção original, mostrando pedras unidas milimetricamente e sem nada que pudesse fazer tal ligação, enquanto 70% dela foram reconstruídas. Através do encaixe das pedras, é possível distinguir a parte nova da velha. A cidade foi construída numa região muito alta, para que os incas assim pudessem ficar perto dos deuses, conforme acreditavam.

O historiador norte-americano Hiram Bingham, à frente de uma expedição da Universidade de Yale, anunciou a descoberta da cidadela de Machu Picchu em 1911. Com sua arquitetura genial, a cidade passou a ser considerada, em 2007, como uma das Sete Novas Maravilhas do Mundo. Machu Picchu foi elevada à categoria de Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela UNESCO, sendo um dos pontos mais visitados do país, o que também não deixa de ser preocupante em relação à sua integridade física. O fluxo de turistas tem sido cada vez maior, vindos das mais diferentes partes do mundo, sendo visível a degradação do lugar. Por isso, o governo peruano tem tentado limitar o número de pessoas no local. Quem vai àquele lugar através de agências, já tem a reserva de ingressos feita pela própria agência, mas quem viaja por conta própria, terá que procurar as autoridades para obter o ingresso.

Pode se chegar até Machu Picchu, partindo da cidade de Cusco, numa viagem de trem que dura entre três a quatro horas até o povoado de Águas Calientes, local só acessível através da ferrovia, onde se pode pegar um micro-ônibus, que gasta 30 minutos para chegar até a cidade inca. A ausência de uma rodovia, que ligue diretamente a cidade histórica a Cusco, tem como objetivo proteger Machu Picchu do turismo desordenado e predador. No entanto, Águas Calientes vem crescendo desordenadamente, uma vez que vive do turismo, sem nenhuma preocupação por parte das autoridades. Outro meio de chegar a Machu Picchu é seguir pelo caminho Inca, numa longa caminhada de quatro dias, chegando ao local pela “porta do sol”. Inicia-se a caminhada no km 82 da ferrovia Cusco-Águas Calientes. E, para quem quer mais comodidade e menos contato com o povo e a natureza, pode-se ir de helicóptero, partindo de Cusco, em um voo que dura trinta minutos.

Fontes de pesquisa:
Portal São Francisco
http://www.universitario.com.br/noticias/n.php?i=11863

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *