AMOR EM PEDAÇOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

munch123456

Um dia tive a certeza de amar-te muito.
Nutríamos certo desconforto com a vida,
interessavam-nos os mesmos assuntos, e
tínhamos igual sede de mudar o mundo.

Mas ora, sou poeira evadida pelo vento,
fagulhas aloucadas de centelha cósmica,
restolho de palavras perdidas no tempo,
tolas lembranças ou puro esquecimento.

Eu quero que continues em teu mundo,
com teus desejos e fantasias enganosas.
Afastei-me de ti, nada mais me importa,
continua em frente, com tua vida nova.

Nenhuma canção chegará à minha cova,
onde, permissiva, fui sepultada em vida.
Para ti, eu sei, não passo de letra morta,
logo, sinta-te namorado de tua nova rota.

Dia virá em que meu nome tatuado em
tua alma, há de queimar-te, torturando-te
durante o dia e nas horas mortas. Mas já
é tarde! Quem se importa? Adeus!

Nota: obra de Edvard Munch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *