ANSIEDADE X TEMPO DE CURA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Prof. Hermógenes

O Professor Hermógenes, um dos precursores da ioga no Brasil, intitulou um capítulo de seu livro “Ioga para Nervosos”* (década de 1960) com o nome de “A Coisa”. Naquela época, o Transtorno do Pânico ainda era pouco compreendido. Aqui ele nos  ensina como a ansiedade em busca da cura pode ser nefasta.

 É preciso tirar a ansiedade por curar-se depressa. A cura demasiado rápida, em muitos casos, é ilusória. O que realmente lhe convém é cada vez maior dose de satividade, de paz, de integração de si mesmo e maior penetração nos planos mais divinos de seu ser. A ansiedade pela cura é tão perniciosa como acreditar-se curado, quando se está apenas melhor. Faça tudo dentro de suas possibilidades, sem se sentir infeliz pelo que não vier a conseguir, sem se deprimir pelo que não puder fazer. Faça tudo com fé. Evite preocupações, principalmente com o tempo. Lembre-se de que seu distúrbio nervoso levou anos para instalar-se. Não se sinta desanimado por não ficar logo bom, nem surpreendido com as recaídas com as naturais dificuldades do caminho.

Se você fizer de sua cura um objetivo a ser atingido seja como for; se você se preocupar com o andamento de seu caso; se você ficar de olho pregado nos sintomas a fim de perceber se a taquicardia ou dor precordial está diminuindo; se você começar a medir a pulsação e a pressão, querendo saber se já está melhor; se você faz de seus sintomas psíquicos a coisa mais importante nesta vida, pode crer, você está retardando a cura e talvez a impedindo. Não faça assim. É claro que você tem o direito de saber-se melhor, inclusive, lucrará muito com a percepção das melhoras que, sem preocupação, for notando em si. Goze e aproveite a euforia serena resultante das melhoras que se vão manifestando, mas acautele-se contra a expectativa ansiosa. Essa só servirá para fortalecer aquilo de que você quer se libertar. Sabe por quê? Por causa da concentração mental que você estaria mantendo sobre o mal. A sua preocupação o está fazendo fixar-se na enfermidade. Preocupar-se com a cura, fatalmente resulta em preocupar-se com a doença. Em resumo: “Não arranque todos os dias a semente, procurando ver se a plantinha está nascendo”. (Yogananda)

As técnicas aqui ensinadas (livro “Yoga para Nervosos”) são de eficiência real. A grande recomendação é: paciência. Mantenha a esperança. Insista. Sem qualquer ansiedade, insista, sabendo que, quanto mais você for paciente, maior a probabilidade de êxito. Esqueça a cura para também se esquecer da doença. Não é possível demarcar com uma risca, onde termina a doença e onde a saúde começa, tal como também não é possível assinalar onde o físico acaba e começa o mental. Esqueça que deve ou necessita ou tem de ficar bom. Persistência. Esperança. Paciência. Suavidade.  Deixe as coisas acontecerem.

*O livro “Yoga para Nervosos” encontra-se em PDF no Google.

Nota: Caipira Declamando, obra de Anita Malfatti

10 comentários sobre “ANSIEDADE X TEMPO DE CURA

  1. Juliana

    Oi, Lu!
    Faz um tempo que não escrevo aqui, mas queria lhe dizer que estou me sentido muito melhor. Estou na segunda caixa de Escitalopram 10 mg. Minha psiquiatra disse que não precisaremos aumentar a dose por enquanto, pois me adaptei bastante com essa. Cheguei até a perguntar se podia parar de tomar o remédio, achando que não precisava mais dele, porém, como esse texto explica, eu não estava sendo realista.

    Esta semana tive uma “recaída” e entendi que com a ansiedade vamos ter altos e baixos. Realmente é importante que não foquemos tanto assim nas nossas melhoras ou pioras e sim como estamos vivendo nossa vida como um todo. Aprendi a controlar as crises de ansiedade, não dando poder aos sintomas quando eles aparecem, estou tratando meus medos e gatilhos com minha psicóloga. Há 2 meses atrás achava que iria viver tendo crises todos os dias, hoje já vejo que não é assim. É algo que temos que entender e aprender a controlar. A carência do meu plano de saúde acaba em setembro e finalmente poderei fazer todos os exames para ter uma comfirmação de que minha saúde está perfeita e acredito que isso me trará mais paz para poder domar meus gatilhos.

    Queria lhe fazer uma pergunta: Como tenho gastrite e refluxo, uma vez ou outra sinto enjoo quando como coisas muito gordurosas. Antes de eu começar a tomar o Escitalopram tomava Vonau Flash para enjoo, mas vi que o Vonau tem interações com o Escitalopram, tem algum medicamento pra enjoo que seja seguro de tomar com Escitalopram?

    Outra pergunta: Alguns dos meus amigos e amigas aqui no site que tem ou tiveram gastrite e refluxo já tomaram suco de batata em jejum para amenizar os sintomas? Queria saber se funciona mesmo. Minha gastrite vai e volta dependendo do meu emocional e estou procurando maneiras naturais de controlá-la, pois não pretendo tomar Pantoprazol a vida toda.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Juliana

      É muito bom saber que você já se encontra bem. Maravilha! Realmente a nossa luta com os transtornos mentais é permanente, ainda que haja longos hiatos de ausência desse ou daquele. Temos que ficar sempre atentos às recaídas, procurando ajuda médica assim que elas derem um pequeno sinal de chegada.

      O que você diz aqui são duas lições fundamentais que todos nós devemos observar:

      “Realmente é importante que não foquemos tanto assim nas nossas melhoras ou pioras e sim como estamos vivendo nossa vida como um todo. Aprendi a controlar as crises de ansiedade, não dando poder aos sintomas quando eles aparecem…”

      Quanto à gastrite, a maioria dos casos é de origem emocional. Também tenho e prefiro optar por uma alimentação mais saudável, evitando frituras, comendo menos quantidade mais vezes ao dia (três em três horas). Há um artigo em VIDA SAUDÁVEL de autoria do Dr. Telmo Diniz em que ele explica que os remédios para gastrites (Omeprazol, Pantoprazol, etc) não devem ser usados por um tempo muito grande, deixando lá seu alerta.

      Nunca experimentei a água de batata em jejum, mas gostei da dica. Não suma, lindinha!

      Beijos,

      Lu

      Responder
      1. Juliana

        Lu,

        obrigada sempre por suas respostas! A água de batata foi indicação de um amigo, já meu gastro falou que isso era mito. Tomei por 5 dias seguidos quando minha gastrite e refluxo estavam no ápice e melhorou bastante os sintomas. Experimenta e depois me diz se funcionou com você!

        Beijos

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Juliana

          Muitos médicos não são chegados a remédios caseiros, sem ao menos conhecê-los. A batata reduz a acidez, sendo amplamente indicada para a alimentação de pessoas doentes. Irei experimentar a receita, quando me encontrar em crise, pois a minha gastrite é nervosa.

          Abraços,

          Lu

        2. Juliana

          Oi, Lu!

          Estou desde quarta-feira na minha recaída ansiosa. Hoje mesmo tive vários momentos em que senti a ansiedade subindo e os sitomas físicos vindo. Mesmo sabebendo controlá-los, quando eles aparecem, para não se tornarem um ataque de pânico, a ansiedade vem e volta. Dessa vez com um pouco menos de intensidade do que antes de eu começar a tomar o remédio, mas o suficiente para minhas preocupações com a minha saúde começarem. Estou há mais ou menos 4 semanas tomando o Escitalopram 10 mg, será que o efeito do remédio ainda pode melhorar meus sintomas ou essa recaída já é indicação de que a dose está baixa?

        3. LuDiasBH Autor do post

          Juliano

          A resposta de um organismo para outro costuma ser muito individualizada. Há pessoas que necessitam até mesmo de 30 dias para obter um retorno satisfatório, enquanto outras já se sentem bem na primeira semana. Também pode ser que a sua dosagem precise ser aumentada, pois quando o quadro é muito resistente, é preciso lidar com uma dosagem maior. Sugiro uma volta ao psiquiatra e uma conversa com ele, pois será através do que lhe disser que ele irá avaliar seu quadro e sugerir (ou não) um aumento da dosagem. Fique tranquila, pois tudo irá dar certo.

          Um grande abraço,

          Lu

  2. Flávia

    Lu
    Professor Hermógenes é mesmo um grande mestre… e veio a calhar com o que tenho passado! Uma vontade imensa de que essa depressão passe logo… o que somente piora minha situação, pois me pego focando nos porquês disso tudo. Enfim, cada dia é um dia.

    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Flávia

      Além de muita sábia, a linguagem usada pelo Prof. Hermógenes é acessível a qualquer pessoa. Ela parece falar diretamente a cada um de nós. Ele trabalha com o equilíbrio. Veremos muitos outros textos dele.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      E este controle é de fundamental importância para que a ansiedade não resvale para as terríveis crises do pânico.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *