Antonello da Messina – CRUCIFICAÇÃO

Autoria de LuDiasBH

Crucif

A obra Crucificação é de autoria do pintor italiano Antonello da Messina, que compôs vários quadros com o mesmo tema, mas este é sem dúvida o mais comovente dentre todos, pela dramaticidade que carrega.

A composição apresenta cinco principais figuras humanas: Jesus Cristo, os dois ladrões, Maria e João. No caminho abaixo, algumas pessoas, de costas para a cena, retornam para suas casas, enquanto uma ainda a observa.

A cruz de Cristo, de frente para o observador, divide o quadro ao meio. À sua esquerda e à direita, quase tocando as margens da obra, estão os dois ladrões dependurados, individualmente, em um tronco de árvore, numa distância similar.

O corpo seminu de Cristo mostra-se sereno, sem perturbação alguma. Os músculos de seus braços, repuxados pelo peso do corpo, estão delineados, assim como suas costelas. Três grandes pregos prendem-no à cruz. Sua cabeça pende-se para a direita, demonstrando resignação. Em seu rosto calmo é possível captar perdão e amor, apesar do sofrimento que lhe foi impingido.

Os corpos seminus dos dois ladrões contorcem-se em visível agonia, amarrados aos troncos. As cabeças estão jogadas para trás, não sendo possível observar-lhes o rosto. O ladrão, que se encontra à direita do Mestre, traz as pernas amarradas de modo a não apoiá-las no galho menor, o que evitaria a sua morte. O que se encontra à direita tenta se equilibrar no tronco fino, numa posição de expresso sofrimento.

Maria, a mãe de Jesus, sentada abaixo de um dos ladrões, parece não ter coragem de encarar a agonia do filho. Com as mãos entrelaçadas no colo, ela olha para o chão, mostrando grande sofrimento. Abaixo do tronco, onde se encontra o segundo ladrão, está o discípulo João, ajoelhado de frente para o Mestre, rezando com fervor extremado.

Pedras, ossos e caveiras espalham-se pelo chão. Os últimos são símbolos do Gólgata e, juntamente com a coruja, que se vê em primeiro plano, remetem-se à morte. Uma paisagem descortina-se abaixo, com muitas oliveiras.

Para demonstrar a divindade de Cristo, Antonello da Messina fez a sua cruz mais alta, ficando sua cabeça acima da dos dois ladrões.

Ficha técnica
Ano: 1475
Técnica: têmpera sobre madeira
Dimensões: 52,5 x 42 cm
Localização: Koninklijk Museum voor Schone Kunsten, Antuérpia, Bélgica

Fontes de pesquisa
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
Arte/ Publifolha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *