AS CONSEQUÊNCIAS DA SÍNDROME DA PRESSA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

 feliz123 (*)

Você está sempre correndo, em constante estado de alerta, irritado e impaciente, com acúmulo de atividades e acha que 24 horas é pouco tempo para fazer tudo que precisa? Saiba que pode estar com a síndrome da pressa. Esta síndrome torna a pessoa mais competitiva, agressiva e com desejo de produzir mais em menos tempo. Portanto, ela fica com dificuldade de concentração com prejuízo de sua criatividade. As pessoas buscam resultados rápidos. Quem não sabe lidar direito com o tempo sofre mais, principalmente pela obrigação em cumprir prazos e horários. Esta síndrome afeta cerca de 30% dos brasileiros e só vem crescendo, pois está intimamente ligada aos tempos modernos.

A doença da pressa ou síndrome da pressa é um transtorno mental causado principalmente pelo ritmo frenético a que a sociedade atual nos submete, em especial no trabalho. A síndrome ainda não tem reconhecimento como patologia médica, mas já é estudada desde a década de 1980. O aumento excessivo de ansiedade é o principal fator causal. Vários sintomas caracterizam esta condição sindrômica. Acordamos antes do que gostaríamos e, a partir daí, parece que estamos numa maratona: no trabalho, há pressa para entregar os relatórios e alcançar as metas; no restaurante, literalmente engolimos a comida; na rua, andamos rápido; nas estradas, não temos paciência com quem vai mais lento na pista da esquerda. Passamos a dormir mal, pois já estamos preocupados com o que temos de fazer no dia seguinte. Tudo isso se torna um ciclo vicioso.

A síndrome da pressa apresenta sinais semelhantes ao do estresse em estágio avançado, e é comumente confundida com ele. Porém, os problemas têm origens diferentes. Enquanto o estresse avançado é uma reação física e psicológica a um evento novo, a síndrome da pressa é desencadeada por um padrão de comportamento em que o próprio indivíduo traz o estresse para si, onde, na maioria das vezes, ele próprio transforma sua vida nesse corre-corre sem fim, seja para produzir mais e ter mais retorno financeiro, seja para ter mais reconhecimento no trabalho.

Consequências

A tensão constante gerada pela síndrome da pressa pode causar dores musculares, cansaço crônico, insônia, azia, hipertensão e aumento dos níveis de ansiedade, o que pode desencadear doenças sérias como infarto, gastrite, úlcera, entre vários outros problemas de saúde. O pior de tudo isso é que a pessoa não percebe que está agindo assim, incorporando um padrão de comportamento sempre conduzido pela pressa. Nesse padrão, a falta de organização leva o indivíduo a manter-se acelerado no dia a dia. Este comportamento se torna tão automático que o indivíduo acha que as pessoas “mais lentas” é que são problemáticas.

O tratamento passa pela orientação médica, pois pode necessitar de medicações para tratar quadros concomitantes de ansiedade e depressão, bem como problemas com o sono. Além disso, uma psicoterapia é de grande ajuda para que a pessoa entenda e saiba a aprender como administrar seu tempo. O planejamento do dia a dia, de forma consciente, é uma das chaves para fazer a pessoa voltar da voltagem de 220v para o 110v. Deve-se demonstrar a ela que o trabalho é um meio de vida e não um meio de morte.

 (*) Imagem copiada de www.zona-s.pt

2 comentários sobre “AS CONSEQUÊNCIAS DA SÍNDROME DA PRESSA

    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      É a doença da competição.
      Nunca os funcionários foram tanto exigidos no trabalho como nos dias de hoje.
      O Dr. mostra-nos que se trata de uma doença séria.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *