AS OPORTUNISTAS DOENÇAS INVERNAIS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

gripe (*)

Doenças de inverno

O inverno ainda nem começou e a temporada de resfriados, gripes e outras doenças comuns à estação mais fria do ano, como rinite, sinusite, faringite, laringite e bronquite já têm afetado muitos adultos e crianças. A associação de tempo frio e seco com poluição tem causado problemas respiratórios mesmo antes da entrada da nova estação. No frio, as internações causadas pelas doenças respiratórias aumentam de 30% a 50%. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que as doenças respiratórias ocupam o terceiro lugar entre as causas de morte no mundo.

Os principais sintomas que identificam as doenças respiratórias são febre, dores no corpo e tosse. Além desse diagnóstico, quadros virais podem atingir a circulação sanguínea, chegar ao intestino e desencadear uma diarreia infecciosa viral, também muito frequente nesta época do ano. Nos dias frios, é comum que as pessoas permaneçam mais tempo em ambientes fechados, por isso, a proliferação de doenças virais se tornam mais frequentes. É quando a temperatura fica mais baixa que diversas doenças passam a atormentar o organismo. O sistema respiratório é o principal alvo de vírus e bactérias, que aproveitam os locais fechados e cheios de gente para se espalhar.

Entre os hábitos que mudam dos dias quentes para os dias frios, o baixo consumo de líquido ao longo do dia é um deles. Diferentemente do verão, quando as pessoas sentem sede por transpirarem mais, no inverno, a hidratação ocorre com menor frequência. Mas saibam que o organismo necessita da mesma quantidade de água para controlar, por exemplo, a respiração. Além disso, o corpo hidratado mantém as mucosas úmidas e auxilia na barreira criada contra os micro-organismos que causam males típicos do período.

O inverno também é responsável por espantar as pessoas das academias. Uma mudança de hábito nada saudável. Nos dias mais frios do ano, realizar exercícios físicos, como nadar, correr e caminhar são essenciais para aumentar a capacidade respiratória, manter a “saúde respiratória”. A atividade física sob orientação de profissional especializado é indicada para todos, mas especialmente para quem tem doenças pulmonares, como asma, bronquite e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica).

Vejam a seguir medidas preventivas para evitar esses males indesejados:

  • Evite ambientes fechados e/ou com muitas pessoas (em aglomeração); se isso não for possível, abra portas e janelas para ventilá-los.
  • Previna-se: tomar vacinas contra a gripe e a pneumonia evitam complicações.
  • Mantenha o ambiente limpo e arejado.
  • Beba bastante líquido.
  • Consuma alimentos ricos em vitamina C, como limão, laranja e acerola.
  • Lave as mãos com frequência.
  • Evite o hábito do tabagismo.

E, por último, não se automedique. As gripes e os resfriados são enfermidades autolimitadas, ou seja, melhoram sozinhas. Tenho visto, mesmo com as restrições impostas, que há pacientes usando antibióticos por conta própria, em doenças sabidamente virais. Além de não produzir efeito algum, podem causar resistência ao medicamento ou mesmo mascarar sintomas de doenças mais severas. Pensem nisso!

(*) Imagem copiada de eduardoschaffer.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *