AS PALAVRAS E O ÚTERO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

bbs

As palavras… as palavras…

Ao vê-las tão soltas e livres
da placenta que lhes deu vida,
sinto a mesma leveza da mãe,
que levou os filhos na barriga.

A seguir eu perco todas de vista,
dando-lhes a liberdade sonhada.
O ato de parir foi somente meu,
o de viver pertence às danadas.

Por um tempo eu me descanso,
até que sobrevém um outro cio,
e mal completada sua gestação,
coloco no mundo outros filhos.

No ato de parir uma única coisa
consome-me como num martírio:
que a minha mente vire um útero
murcho, feio, ressecado e vazio.

E seja incapaz de gerar palavras
no seu bojo tosco, roto e escuro,
asfixiando a futura e vivaz prole,
em seus frios e inertes casulos.

Nota: Imagem retirada de http://tonyreporter.blogspot.com.br

4 comentários sobre “AS PALAVRAS E O ÚTERO

  1. Alfredo Domingos

    Lu, sua poesia é muito bacana! A bela construção traz à tona o mistério da criação do autor. Mas fiquemos tranquilos, pois os artistas da palavra têm o toque Divino, e suas ideias nunca secam; ao contrário, surpreendem a cada momento com novas páginas magistrais. Parabéns! Abraço,

    Alfredo Domingos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Alfredo

      Não consigo imaginar um mundo sem poesia.
      A vida perderia o sentido.
      E o que é a mente senão o útero para o poeta?
      Tomara que assim seja.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Edward Chaddad

    Linda poesia.

    A metáfora que você maravilhosamente utilizou traz-nos refletir sobre a inspiração e o interior lindo que habita o coração do poeta. Sem eles, as flores serão secas, pétalas mortas, sem perfume, sem cor.

    Gostei muito.

    Responder
    1. LuDiasBH

      Ed

      A mente do artista é um útero, de onde brota sempre um novo filho.
      A inspiração é a sua mola propulsora.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *