Botero – OS AMANTES / A MÃO DO ARTISTA

Autoria de LuDiasBH

amante    maozona

Minhas esculturas não transportam qualquer mensagem especial – nem social, nem qualquer outra. Não penso que a arte possa alterar a situação política. As minhas esculturas não têm qualquer significado simbólico. Só me interessa a forma – superfícies redondas, que dão ênfase à sensualidade do meu trabalho. (Fernando Botero)

Fernando Botero começou a trabalhar com a escultura entre 1963 e 1964, mas como bronze era muito caro e em razão de seus parcos recursos usava a resina acrílica e a serradura, mas o material não satisfazia o artista, pois era muito poroso e efêmero.

Já em Paris, e melhor financeiramente, em 1976 e 1977 Botero retornou à escultura, tendo no bronze o seu material predileto. Ele exige de suas esculturas a mesma linha de suas pinturas. Os tipos são roliços e o acabamento esmerado. As peças fundidas são perfeitas, brilhantes e lisas. Seus nus femininos parecem bastante com as deusas da fertilidade dos primórdios da arte pré-histórica.

O trabalho de esculpir de Botero é primeiro feito em barro. Depois é produzido um modelo em gesso e, a seguir,  a obra é feita no material escolhido. Muitas de suas esculturas são colossais, mas ainda assim já percorreram várias partes do mundo.

A segunda escultura acima, denominada a Mão do Artista, trata-se da mão gigantesca de Botero, que fica na entrada do Museu Botero, em Bogotá, Colômbia.

Ficha técnica de Os Amantes
Ano: 1982-1983
Técnica: bronze pintado
Dimensões: 92 x 55 x 56 cm
Localização: Coleção particular

Ficha técnica de Mão do Artista – não encontrada

Fonte de pesquisa
Botero/ Taschen

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *