BR – 3

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

br

O V FIC (Festival Internacional da Canção) da TV Globo aconteceu em 1970. Na eliminatória paulista foram classificadas 5 canções. Entre elas estavam Sermão (Baden Powell e Paulo Cézar Pinheiro) interpretada por Cláudia, Rio Paraná (Ary Toledo e Chico de Assis) defendida por Tonico e Tinoco.

Concorrendo à final, em duas fases, estavam 41 canções, onde se encontravam compositores novatos como Beto Guedes, Ivan Lins, Luis Gonzaga Júnior, etc. Havia também um júri oficial e outro popular, que tinha Chacrinha como presidente.

Na primeira eliminatória, Ivan Lins foi o vencedor, pelo júri popular, com a canção O Amor é o meu País, interpretada pelo próprio compositor. E Paulo Diniz cantando seu sucesso Quero Voltar Para Bahia, num dos dois shows apresentados naquela noite, foi o mais aplaudido.

Na segunda eliminatória, Martinho da Vila mexeu coma plateia ao cantar o samba Meu Lairaraia. Tonico e Tinoco foram vaiados ao defender Rio Paraná. Até os jurados fizeram pouco da apresentação dos dois. Dentre as muitas músicas que passaram, a décima segunda canção do compositor e cantor Taiguara, Universo no Teu Corpo, foi a que mais empolgou a plateia. Depois dele veio BR–3 defendida por Tony Tornado, acompanhado do Trio Ternura. O negrão maravilhoso deu um show, lembrando o cantor James Brown. Por ter sido muito aplaudido, desmaiou de emoção nos bastidores. A última canção da noite foi Eu Também Quero Mocotó (Jorge Bem) interpretada pelo maestro Elton Chaves, que saiu aplaudidíssimo.

Na finalíssima, muitos tinham como certo a vitória de Quero Mocotó com Elton Chaves ou BR–3 com Toni Tornado. A apresentação de Tony Tornado foi um show à parte, a começar pelo visual, com botas de cano e um sol dourado pintado no peito, e a sua performance fantástica. Os aplausos pipocaram de todos os lados. Não havia mais para ninguém.

Antes de ser oferecida a Tony Tornado para ser interpretada, os autores de BR–3 (Tibério Gaspar e Antônio Adolfo) ofereceram-na a Simonal, que alegou que a música não era de acordo com as música alegres que ele gostava de cantar. Buscaram Tim Maia, mas esse estava preso pela Philips. Só então foram atrás de Toni Tornado, que cantava num inferninho, atendendo à sugestão do cantor Orlan Divo. E, para fechar o festival, Erlon Chaves também deu um show com Eu Também Quero Mocotó.

A homenagem da noite foi a Luís Gonzaga.

Colocação Final:
1º BR -3
2º Amar é meu País
3º Encouraçado

Taiguara com sua belíssima canção ficou em oitavo lugar. Na final internacional BR -3 ficou em terceiro lugar.

Infelizmente, acontecimentos posteriores mostraram o quanto sofreram os dois cantores negros, Erlon Chaves e Tony Tornado, simplesmente por serem negros. O primeiro, desencantado teve um ataque cardíaco e morreu ao 40 anos, enquanto o segundo foi posto para fora do país pelos “homens”. O V FIC mostrou, sobretudo, o quanto o racismo era forte no país. Também tornou clara a “docilidade” da TV Globo com o regime militar.

Abaixo, letra e vídeo com Tony Tornado:

BR-3
Autores: Tibério Gaspar e Antônio Adolfo
Intérpretes: Tony Tornado e Trio Ternura

A gente corre (E a gente corre)
Na BR-3 (Na BR-3)
E a gente morre (E a gente morre)
Na BR-3 (Na BR-3)
Há um foguete
Rasgando o céu, cruzando o espaço
E um Jesus Cristo feito em aço
Crucificado outra vez
A gente corre (E a gente corre)
Na BR-3 (Na BR-3)
A gente morre (E a gente morre)
Na BR-3 (Na BR-3)
Há um sonho
Viagem multicolorida
Às vezes ponto de partida
E às vezes porto de um talvez
A gente corre (E a gente corre)
Na BR-3 (Na BR-3)
A gente morre (E a gente morre)
Na BR-3 (Na BR-3)
Há um crime
No longo asfalto dessa estrada
E uma notícia fabricada
Pro novo herói de cada mês
Na BR-3

https://www.youtube.com/watch?v=KfMekHN6x7w/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *