Caravaggio – MADALENA ARREPENDIDA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

madalena

Maria Madalena é aqui retratada com extremo afeto, não como uma figura religiosa ou uma mulher madura, mas como uma jovenzinha quebrantada pelo peso da culpa que carrega apesar da tenra idade. Encontra-se numa atitude de total abandono, com a cabeça inclinada para a esquerda e tombada sobre o peito. Com as mãos entrelaçadas no colo e os longos cabelos que lhe caem pelas costas e ombro queda-se num gesto de desalento.

Caravaggio usou como modelo a mesma jovem prostituta, Ana Bianchini, que havia posado para O Repouso Durante a Fuga para o Egito (ainda iremos ver), que ali faz o papel da Virgem Maria. E, ao transgredir os princípios da época, acabou criando uma grande polêmica em torno da obra, principalmente com a Igreja, que alegava falta de decoro por parte do artista. Mas, enquanto os contestadores viam na escolha da modelo uma provocação, o pintor objetivava apenas pintar Maria Madalena como uma pessoa comum, num contexto mais atual, de modo a tornar a mensagem sobre o arrependimento mais próxima do observador e, portanto, mais eficaz.

O biógrafo Giovanni Pietro Bellori alega que, para fazer a sua composição, Caravaggio inspirara-se na imagem de uma moça secando o cabelo. Outro historiador, Peter Robb, levantou a hipótese de que a pintura de Caravaggio fosse a lembrança do que acontecera à modelo, que havia sido açoitada por policiais e apresentada nas ruas sobre o lombo de um burro, costume muito usado pela Igreja para punir as prostitutas da época.

O ambiente onde se encontra Maria Madalena é austero. Há somente como móvel uma pequena cadeira, na qual ela se encontra sentada. Espalhados pelo chão estão um par de brincos e um colar de pérolas, uma pulseira cravejada com pedras preciosas e um colar de ouro, além do vidro de unguento. Ela usa uma indumentária da época.

Uma pequena lágrima escorre em direção ao nariz, no lado direito da face de Maria Madalena. Suas mãos estão juntas sobre as pernas, numa atitude de grande tristeza. Pelos atributos em evidência na composição (pedras preciosas, pérolas, ouro, um frasco de unguento) ela é representada como uma cortesã. Tais objetos também representam os prazeres mundanos e que agora estão sendo deixados de lado.

Caravaggio usa um facho de luz vindo do lado direito da composição, que clareia a imagem da moça arrependida. O efeito claro-escuro é fundamental na apresentação da cena. Maria Madalena é apresentada de corpo inteiro.

O mais admirável nesta obra de Caravaggio é a carga emocional com que ele retrata a dor psicológica de Maria Madalena. A dor física é reparada com remédios, mas a espiritual, social e existencial, tão presente na história da humanidade, é muito mais profunda, pois impregna cada célula do ser. E Caravaggio capta o momento angustioso da mulher com extrema fidelidade e realismo. Esta tela é também conhecida como Madalena Penitente.

Cortesã, segundo o Aurélio:

  1. Favorita do rei.
  2. Mulher dissoluta, que vive luxuosamente.
  3. Prostituta elegante.

Curiosidades:

  • Maria Madalena é descrita no Novo Testamento como uma das discípulas mais dedicadas de Jesus Cristo. É considerada santa pelas igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana, sendo celebrada no dia 22 de julho. É também comemorada pela Igreja Luterana com festividades no mesmo dia. A Igreja Ortodoxa também a celebra no segundo domingo após a Páscoa.
  • O nome de Maria Madalena descreve-a como sendo natural de Magdala, cidade localizada na costa ocidental do Mar da Galileia. Ela acreditava que Jesus Cristo realmente era o Messias. Ela esteve presente na crucificação e no funeral de Cristo, juntamente com Maria de Nazaré e outras mulheres. No sábado, após a crucificação, saiu do Calvário rumo a Jerusalém com outros cristãos, para poder comprar certos perfumes, a fim de preparar o corpo de Cristo da forma como era de costume funerário. Permaneceu na cidade durante todo o sábado, e no dia seguinte, de manhã, ainda muito cedo, foi ao sepulcro. Achou-o vazio, e recebeu de um anjo a notícia de que Cristo havia ressuscitado e lhe foi dito que deveria informar tal fato aos apóstolos. Nada mais se sabe sobre ela a partir da leitura dos Evangelhos Canônicos.

Ficha técnica:
Ano: c. 1596/1597
Material: óleo sobre tela
Dimensões: 135,5 x 166,5 cm
Localização: Galleria Doria Pamphilg, Roma, Itália

Fontes de pesquisa:
Grandes mestres da pintura/ Coleção Folha
Grandes mestres/ Abril Coleções
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *