Arquivos da categoria: Crônicas

Abrangem os mais diversos assuntos.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Autoria de LuDiasBH

pas

Ah! Desgraçados!

Um irmão é maltratado e vocês olham para o outro lado?
Grita de dor o ferido e vocês ficam calados?
A violência faz a ronda e escolhe a vítima,
e vocês dizem: “a mim ela está poupando, vamos fingir que não estamos olhando”.
Mas que cidade?
Que espécie de gente é essa?
Quando campeia em uma cidade a injustiça,
é necessário que alguém se levante.
Não havendo quem se levante,
é preferível que em um grande incêndio,
toda cidade desapareça,
antes que a noite desça. (Bertolt Brecht)

A data de hoje nenhum significado terá se não servir de reflexão para homens e mulheres livres em todo o mundo civilizado, quanto à vida de tantas outras mulheres nos mais diversos cantos do planeta, totalmente subordinadas a um sistema de escravidão e sem ninguém que olhe por elas ou que lhes ofereça um grão de esperança.

É sabido que – mesmo em muitas partes do chamado mundo civilizado – mulheres ainda ocupam um papel subalterno dentro da sociedade, sendo reprimidas por seus companheiros, preteridas em vários empregos, fazendo o mesmo trabalho, mas ganhando bem menos que o homem. Contudo, nada é tão gritante como o que se vê em certas culturas orientais, onde o ódio à mulher é escancarado, como se ela representasse toda a malignidade da espécie humana. Onde é vista num patamar inferior a um cachorro.

Em muitas culturas, a fêmea é indesejada e mutilada sob o pretexto de não sentir prazer, a fim de não desviar o macho das sendas da pureza. Tais mulheres vivem em casamentos forçados, sem direito à instrução e ao próprio corpo, sendo que certos ciclos naturais de seu corpo são tidos como prova de sua impureza. São humilhadas, espancadas e mortas, sem que vozes se levantem em sua defesa. São policiadas tanto pelas famílias, quanto pelo Estado, numa miséria humana que parece não ter fim – unicamente pelo fato de ser MULHER.

O mundo dito civilizado observa o cativeiro dessas mulheres num mutismo hipócrita.  Assim, muitos países – sob o pretexto de respeitarem culturas diferentes – numa atitude repleta de farisaísmo, principalmente quando tem negócios com os países que castram a liberdade feminina, admitem que imigrantes continuem a humilhar, tiranizar, brutalizar e matar suas mulheres, como se elas estivessem no seu país de origem – tudo em nome de um Estado laico e democrático. Fazem ouvidos moucos ao sofrimento das mulheres.

Nenhum país civilizado pode permitir que – quando sob a sua tutela – mulheres sejam submetidas às mesmas barbáries sofridas nos países de onde vieram. Seria a negação absoluta dos direitos humanos, direitos esses que o torna diferenciado dos países inimigos das mulheres. Valorizar a vida na Terra é dar aos indivíduos – homens e mulheres – direitos e liberdades iguais, protegidos por um Estado que não aceita a subordinação, a violência e a crueldade sob o teto de suas leis e que não tem medo de ser acusado de racista.

Há que se respeitar as diferenças culturais, mas onde os valores da cultura não preservem a pobreza, a tirania e a corrupção moral contra a vida. Os governantes ocidentais não podem continuar fingindo que as violações das mulheres de certas culturas cessam quando elas deixam seus países originários. Sabemos que isso não é verdade, mesmo em países como a Holanda e a França. Faz-se necessário proteger as mulheres imigrantes.

Todas nós, mulheres, temos que lutar pela liberdade de expressão, pelo direito de pensar e explicitar o nosso pensamento. Este é o princípio básico da liberdade que nos livra do cativeiro e da submissão, vistos em outras partes do planeta. Este é o pilar que sustenta uma sociedade democrática, onde homens e mulheres tornam-se iguais. Sobretudo, não deixemos de clamar liberdade e respeito por todas as mulheres cativas – em quaisquer lugares em que se encontrem – mesmo que nos acusem de contar histórias tristes e cansativas.

Nota: Imagem copiada de http://myrianrios.com.br/blog/dia-internacional-da-mulher/

A MULHER ATRAVÉS DOS TEMPOS

Autoria de LuDiasBH

fami

No começo, sem dúvida nenhuma, era o homem a sua própria besta de carga – exceto quando casado. (Will Durant)

Quem pariu Mateus que o balance. (Provérbio popular)

As mulheres foram criadas para o trabalho. Elas armam nossas tendas, fazem nossas roupas, remendam-nas, conservam-nos quentes durante a noite… Por isso, não podemos dispensá-las numa viagem. Elas fazem tudo e custam pouco; e porque passam a vida cozinhando, quando chega o tempo de escassez contentam-se em lamber os dedos. (Certo cacique)

Alguns historiadores dizem que o homem difere dos animais unicamente pela educação que pode ser definida como “a técnica de transmitir a civilização”. No entanto, apesar das diferenças naturais entre os gêneros, é difícil compreender o que difere o homem da mulher a ponto de essa ter sido desprezada desde os primórdios da civilização.

Desde a vigência do clã, a mulher já desempenhava a maior parte das funções que cabiam aos homens em relação aos filhos. A existência do pai era na verdade um mero acidente de percurso de seus espermatozoides. Eles – os homens e não os espermatozoides – nem ao menos tinham noção da causa que levava uma mulher a ficar grávida. A presença do pai era extremamente superficial. A mulher e os filhos viviam juntos no clã, na companhia do irmão mais velho. O pai era muitas vezes desconhecido.

O mais aterrador era perceber que a mulher era tida como inferior, principalmente por ter que dar mais assistência aos filhos e por passar por períodos menstruais, o que diminuía a sua participação no manejo das armas e nas guerras. O macho não levava em consideração o fato de que era ela quem formava os futuros guerreiros da tribo e sem os seus cuidados não haveria homens para lutar num futuro muito próximo.

No estágio da caça, todo o trabalho caseiro era de responsabilidade da mulher. Nos intervalos das caças ou das guerras, os machos limitavam-se apenas a descansar. Nada mais faziam a não ser ficar de papo para o ar. Durante as guerras, cabia às mulheres levar todo o equipamento de sobrevida – exceto as armas – atrás de seus homens, para que esses não ficassem cansados na hora do ataque, além de lhes servir como fonte de prazer nos intervalos da luta e deles cuidar.

A mulher foi muito importante nas sociedades primitivas, sendo que o progresso econômico foi muito mais fruto dela que do homem. Ela foi responsável pela agricultura, iniciada ao redor dos acampamentos, pelas artes caseiras e pela transformação dessas em indústria, foi responsável pela domesticação de animais – preparando os alicerces para a civilização.

Embora a realidade prove a importante função feminina em qualquer aspecto social, mostrando a real necessidade que os homens têm das mulheres, alguns machos ainda se gabam de sua superioridade em relação à fêmea. Mesmo naquela época, casos excepcionais mostram mulheres na chefia de algumas tribos e, em outras, havia um conselho de mulheres mais velhas. Mas não nos esqueçamos de que a regra geral foi sempre a sujeição feminina.

Ainda é desesperadora a situação das mulheres em certas culturas que, atreladas a rigores religiosos arcaicos, tratam-nas com a mais escancarada humilhação, negando-lhes importância na continuação da espécie e no desenvolvimento da civilização, tendo elas um longo caminho pela frente na busca por sua dignidade.

Nota:  imagem de Artesanato de Santana do Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha.

MULHERES QUE CURAM

Autoria de Mani Alvarez*

            

Erveiras, raizeiras, benzedeiras, mulheres sábias que por muito tempo andaram sumidas, ou até mesmo escondidas. Hoje retornam com um diploma de pós-graduação nas mãos e um sorriso maroto nos lábios. Seu saber mudou de nome. Chamam de terapia alternativa, medicina vibracional, fitoterapia, práticas complementares… são reconhecidas e respeitadas, tem seus consultórios e fazem palestras.

As mulheres curadoras fazem parte de um antigo arquétipo da humanidade. Em todas as lendas e mitos, quando há alguém doente ou com dores, sempre aparece uma mulher idosa para oferecer um chazinho, fazer uma compressa, dar um conselho sábio. Na verdade, a mulher idosa é um arquétipo da “curadora”, também chamada nos mitos de Grande Mãe.

Não tem nada a ver com a idade cronológica, porque esse é um arquétipo comum a todas as mulheres que sentem o chamado para a criatividade, que se interessam por novos conhecimentos e estão sempre a procura de mais crescimento interno. Sua sabedoria é saber que somos “obras em andamento’, apesar do cansaço, dos tombos, das perdas que sofremos… A alma dessas mulheres é mais velha que o tempo, e seu espírito é eternamente jovem.

Talvez seja por isso que, como disse Clarissa Pinkola, “Toda mulher se parece com uma árvore. Nas camadas mais profundas de sua alma ela abriga raízes vitais que puxam a energia das profundezas para cima, para nutrir suas folhas, flores e frutos. Ninguém compreende de onde uma mulher retira tanta força, tanta esperança, tanta vida. Mesmo quando são cortadas, tolhidas, retalhadas, de suas raízes ainda nascem brotos que vão trazer tudo de volta à vida outra vez.”

Por isso, entendem as mulheres de plantas que curam, dos ciclos da lua, das estações que vão e vêm ao longo da roda do sol pelo céu. Elas têm um pacto com essa fonte sábia e misteriosa que é a natureza. Prova disso é que sempre se encontram mulheres nos bancos das salas de aula, prontas para aprender, para recomeçar, para ampliar sua visão interior. Elas não param de voltar a crescer…

Nunca escrevem tratados sobre o que sabem, mas como sabem coisas! Hoje os cientistas descobrem o que nossas avós já diziam – as plantas têm consciência! Elas são capazes de entender e corresponder ao ambiente à sua volta. Converse com o “dente-de-leão”, comunique-se com as plantas de seu jardim, com seus vasos, com suas ervas e raízes, o segredo é sempre o amor.

Minha mãe dizia que as árvores são passagens para os mundos místicos e que suas raízes são como antenas que dão acesso aos mundos subterrâneos. Por isso, ela mantinha em nossa casa algumas árvores que tinham tratamento especial. Uma delas era chamada de “árvore protetora da família” e era vista como fonte de cura, de força e energia. Qualquer problema, corríamos para abraçá-la e pedir proteção.

O arquétipo de ‘curadora’ faz parte do feminino, mesmo que seja vivenciado por um homem. Isso está aquém dos rótulos e definições de gênero. Faz parte de conhecimentos ancestrais que foram conservados em nosso inconsciente coletivo.

Perdemos a capacidade de olhar o mundo com encantamento, mas podemos reaprender isso prestando atenção nas lendas e nos mitos que ainda falam de realidades invisíveis que nos rodeiam. Um exemplo? Procure saber mais sobre os seres elementais que povoam os nossos jardins e as fontes de águas… fadas, gnomos, elfos, sílfides, ondinas, salamandras… As “curadoras” afirmam que podemos atrair seres encantados para nossos jardins! Como? Plantando flores e plantas que atraiam abelhas e borboletas, gaiolas abertas para passarinhos e bebedouros para beija-flores.

Algumas plantas “convidam” lindas borboletas para seu jardim, como milefólio, lavanda, hortelã silvestre, alecrim, tomilho, verbena, petúnia e outras. Deixe em seu jardim uma área levemente selvagem, sem grama, pois os seres elementais gostam disso. Convide fadas e elfos para viverem lá. Lembre-se: onde você colocar sua percepção e sua consciência, a energia vai atrás.

* Coordenadora do curso de pós-graduação em Práticas Complementares em Saúde

Nota:
Fotos de Maria Helena Gomes, raizeira, benzedeira e estudiosa sobre o assunto.
Contato para palestras: helenadoshelenos@yahoo.com.br

QUEM NÃO CONHECE UM SABE-TUDO?

Autoria de LuDiasBH

chicben

A mais vasta parcela do que sabemos é menor que a mais diminuta parcela do que ignoramos. (Montaigne)

Convicções são inimigas da verdade, mais perigosas que as mentiras. (Nietzche)

Nunca se sabe tão pouco, como quando se acha que se sabe muito. Por isso, humildemente devemos nos curvar diante dos inúmeros questionamentos que habitam a nossa mente, para os quais jamais encontraremos respostas, pois mal uma questão é respondida, outras mil nascem à deriva da razão.

Existe um tipo de pessoa com o qual é dificílimo conviver: o sabe-tudo. É possível encontrá-lo como colega de trabalho, parente, vizinho ou até mesmo como companheiro de viagem. O sabichão é um chato de galocha, pois pensa concentrar em si mesmo toda a sapiência do mundo. Ele não concorda com nada do que você diz, só para poder desfiar a sua verborragia, mostrando que é o bambambã do pedaço, quando na verdade é um maçante, uma companhia desagradável e indesejável, da qual ficamos ansiosos para nos livrarmos. É incapaz de entender que existem muitas coisas que apenas soem ser compreendidas quando a modéstia habita em nós.

Quanto mais observamos o mundo, mais percebemos o quão distante nos encontramos de sua compreensão. Somos como um cão que tenta abocanhar o rabo, sem jamais consegui-lo. Em cada ínfimo de conhecimento que se agrega a nós, ramificam centenas de indagações e dúvidas. É preciso que fiquemos alertas contra as crenças que podem nos transformar em servos fieis da ignorância, pois a verdade não pode nascer da crença, seja ela qual for.  É preciso olhar qualquer hipótese com cautela, desconfiando de nossas próprias verdades, principalmente quando fomentadas pelos sentimentos. Somente a desconfiança pode nos levar à lucidez do questionamento, uma vez que a probabilidade não pode ser tomada como juízo imperativo.

Amedrontam-nos os pedantes que acham que nada têm a aprender. É melhor a companhia dos ponderados, dos cautelosos, dos equilibrados, dos que navegam na vigilância da suspeição e na possibilidade de estarem equivocados. A ciência jamais teria chegado até aqui, se não fossem os questionadores, os insatisfeitos com as respostas obtidas. A motivação para se buscar a verdade encontra-se na dúvida. E somente os humildes admitem a possibilidade de estarem errados, pois os que pensam saber tudo estão embotados pela arrogância, incapazes de navegar pelo universo da chamada “atitude crítica”.

O filósofo diz sabiamente: “o que sei é que nada sei”!

A PLURALIDADE DESMISTIFICA A IGNORÂNCIA

Autoria de LuDiasBH

gay123

Aqueles que conseguem fazer você acreditar em absurdos, podem fazê-lo cometer atrocidades. (Voltaire)

Segundo o humanista canadense Steven Pinker, a “Revolução Humanitária partiu da República das Letras”. Ele embasa seu argumento no fato de que, quanto maior for a difusão de ideias e pessoas, menor será o uso da violência, pois é a pluralidade que desmistifica a ignorância e a superstição – amuletos usados pela coação e brutalidade. O mais comum é que – quando instruídas – as pessoas fiquem mais conectadas com a realidade, fazem juízo próprio, não se deixam servir de instrumento para indivíduos inescrupulosos e fazem cair por terra, sobretudo, certas ideias bolorentas e fascistas, tais como:

  • mulheres gostam de ser estupradas;
  • minorias de outras raças são inferiores;
  • minorias étnicas atrasam o país;
  • crianças devem ser surradas;
  • os homossexuais são degenerados;
  • mulheres são inferiores aos homens;
  • animais não sentem dor, etc.

Uma crença – qualquer que seja ela – que instiga a selvageria ou, que omissa, aceita-a, pode levar uma pessoa a cometer qualquer tipo de atrocidade, se essa unicamente ali fizer sua fonte de buscas, conforme preconizava Voltaire – escritor e filósofo francês. Contudo, tais mazelas veem-se desmascaradas na pluralidade de ideias. É por isso que o pluralismo é combatido pelos que querem trazer na rédea seus adeptos ou seguidores. É o fato de conhecer outros pontos de vista que leva o indivíduo a ser polivalente, a tornar-se um humano melhor dentro da comunidade em que se insere,  comprometido com sua gente e também com o planeta, pois encontra-se imbuído pelo respeito às diferenças.

Sabemos que muitas pessoas, principalmente nos meios político e da grande mídia brasileira, fingem acreditar nisso ou naquilo, apenas para manter-se em evidência dentro de um determinado grupo. No fundo, elas têm plena clareza de que estão erradas, mas sentem-se compensadas economicamente nas suas paróquias de olho no status que o grupo proporciona-lhe. Não significa que não tenham agilidade intelectual para discernir o certo do errado. Nada disso. Elas até mesmo manipulam suas respostas de modo a parecerem coerentes, apostando no fato de que outros possam tomá-las como verdadeiras.

Indivíduos existem que abrem mão de tais “benesses” – ainda que as pudessem ter quando assim o desejassem – para serem verdadeiros, universais, polivantes e plurais. E são esses os grandes contribuintes de um mundo mais humanizado. E, como reflete Steven Pinker, “Essa mentalidade reflexiva pode ser fruto de uma educação aprimorada, e pode ser também fruto da mídia eletrônica”, mas que esta última também seja de boa qualidade, primando pela imparcialidade, coerência e, sobretudo, pelo respeito ao leitor – complemento eu.

A pluralidade de ideais também nos leva a entender que as invenções que tanto têm contribuído para o progresso da humanidade são simbióticas, pois umas dependem das outras. Mais uma vez, faço uso das palavras de Steven Pinker, “Inovadores bem-sucedidos não apenas sobem sobre os ombros de gigantes, como também se engajam em uma maciça pirataria de propriedade intelectual, tomando de empréstimo ideias de uma vasta gama de vertentes tributárias que correm em sua direção. […] O que é verdadeiro para o progresso tecnológico pode ser igualmente válido para o processo moral”.

O fato é que ninguém cria nada sozinho e o fator econômico também é importante para as invenções. Para o acesso à internet – a título de exemplo – é impossível computar as milhares de pessoas que contribuíram para que esse veículo existisse, a começar pelo filósofo grego Tales de Mileto que descobriu a eletricidade estática (alguns séculos a.C.), passando  por Benjamin Franklin, inventor da lâmpada (século 18), até a condução de dados através de feixes de luz, fluindo pelas fibras óticas, invenção do físico indiano Narinder Singh Kanpany, no século 20.

O pastor estadunidense Martin Luther King é um exemplo de como o contato com a pluralidade de ideias pode tornar um homem melhor. Além de profundo conhecedor da Bíblia e da teologia ortodoxa, ele também leu teólogos tidos como renegados (Walter Rauchenbusch, por exemplo), e  filósofos como Platão, Aristóteles, Rousseau, Hobbes, Bentham, Mill, Locke, Nietzsche, etc. Ele dizia: “Todos esses grandes mestres estimularam meu pensamento – tal como eram – e, mesmo encontrando coisas a questionar em cada um deles, ainda assim aprendi enormemente com seu estudo.”. A leitura sobre as ideias do estadista Mohandas Gandhi também muito impressionou o grande líder cristão, ao dar-lhe uma nova ideia sobre como conter a violência –  paradoxalmente dela os dois grandes líderes foram vítimas.

Nota: A Escola de Atenas, obra de Rafael Sanzio, ilustra o texto. Encontre o estudo  sobre o quadro aqui neste blogue.

Fonte de pesquisa
Os anjos bons da natureza humana/ Steven Pinker/ Edit. Companhia das Letras

ATENÇÃO: UM NOVO TIPO DE GOLPE

 Postado por LuDiasBH

 Caros amigos leitores

Nos dias atuais em que o contato virtual vem se tornando cada vez maior, todo cuidado é pouco. Vejam abaixo o e-mail que recebi (em inglês) em que golpistas tentam extorquir uma alta quantia em dinheiro. O meu objetivo ao postar tal tentativa de intimidação é alertá-los para o perigo de postarem na internet cenas de sua vida íntima. Este tipo de estratagema é enviado para várias pessoas e aquelas que têm algum vídeo comprometedor acabam caindo na chantagem. Observem que me tratam como “ele”, ou seja, nem sabem quem sou:

Você tem a última chance de salvar sua vida social – eu não estou brincando! Eu te dou as últimas 72 horas para fazer o pagamento antes de enviar o vídeo com sua masturbação para todos os seus amigos e associados.

A última vez que você visitou um site erótico com jovens adolescentes, você baixou e instalou o software que desenvolvi. Meu programa ligou sua câmera e gravou seu ato de masturbação e o vídeo que você estava se masturbando. Meu software também baixou todas as suas listas de contatos de e-mail e uma lista de seus amigos do Facebook.
Eu tenho tanto o ‘Ludiasbh.mp4’ com sua masturbação e um arquivo com todos os seus contatos no meu disco rígido. Você é muito pervertido! Se você quer que eu apague os dois arquivos e mantenha seu segredo, você deve me enviar o pagamento do Bitcoin. Eu te dou as últimas 72 horas. Se você não sabe como enviar Bitcoins, visite o Google. Envie 2000 USD para este endereço Bitcoin imediatamente: 3F25zk2tdJuTpuLBKDZM3h6ABSSAar82a4 (copiar e colar). 1 BTC = 3470 USD agora, então envie exatamente 0.581380 BTC para o endereço acima.

Não tente me enganar! Assim que você abrir este e-mail, saberei que você o abriu. Este endereço de Bitcoin está ligado apenas a você, então eu vou saber se você enviou o valor correto. Quando você pagar integralmente, removerei os dois arquivos e desativarei meu software. Se você não enviar o pagamento, enviarei seu vídeo de masturbação A TODOS OS SEUS AMIGOS E ASSOCIADOS da sua lista de contatos eu hackeado. Aqui estão os detalhes de pagamento novamente: Envie 0.581380 BTC para este endereço Bitcoin:

—————————————-
3F25zk2tdJuTpuLBKDZM3h6ABSSAar82a4
—————————————-
Você pode visitar a polícia, mas ninguém vai ajudá-lo. Eu sei o que estou fazendo. Eu não moro no seu país e sei como ficar anônimo. Não tente me enganar – eu saberei imediatamente – meu programa de espionagem é gravação de todos os sites que você visita e todas as teclas que você pressiona. Se você fizer isso, enviarei esta gravação feia para todos que você conhece,  incluindo sua família. Não me engane! Não esqueça a vergonha e se você ignorar esta mensagem sua vida será arruinada. Eu estou esperando pelo seu pagamento Bitcoin.

Marlin Hacker anônimo (marline_631@h.anonymous2k.tk)

P.S. Se você precisar de mais tempo para comprar e enviar 0,581380 BTC, Abra o seu bloco de notas e escreva ’48h plz’. Vou considerar dar-lhe mais 48 horas antes de eu liberar o vídeo, mas somente quando eu realmente vejo que você está lutando para comprar bitcoin.

Novo contato do golpista:

Oi,

Espero que você realmente não se importe com a minha gramática de inglês, considerando que eu sou das Filipinas. Eu infectei seu dispositivo com um vírus e estou na posse de seus dados privados do seu sistema operacional.

Foi criado em uma página da web para adultos, após a qual você escolheu o videoclipe e o visualizou, meu aplicativo entrou rapidamente no seu sistema operacional. Em seguida, sua câmera gravou você voando sozinho, além disso eu peguei uma filmagem que você olhou.

Depois de um tempo, além disso, retirou todas as suas informações de contato social. No caso de você querer que eu limpe tudo o que tenho atualmente – me dê 450 dólares em bitcoin, é uma criptografia. Este é o endereço da minha conta – 18cU9WXbGcHA6nBRipJDpwZUhXpPic9y5Y

Neste ponto você tem 22 horas para fazer a sua mente. Imediatamente depois que eu receber o acordo eu vou eliminar este vídeo e cada pequena coisa inteiramente. Ou então, você deve ter certeza de que este vídeo será enviado para seus amigos.

Mais outro contato do golpista:

Olá,

Eu espero que você realmente não se importe com a estrutura de sentença da minha língua, porque eu sou da Arábia Saudita. Eu infectei seu gadget com um vírus e agora tenho todas as suas informações particulares do seu sistema operacional.

Anteriormente foi estabelecido em uma página madura e depois que você escolheu o filme e, meu programa rapidamente entrou em seu sistema. Então, simplesmente, sua webcamera documentou sua porra de mão, além de ter documentado um vídeo que você viu. Logo depois de um tempo, também retirou todas as suas informações de contato social. Se acontecer de você querer que eu limpe tudo o que tenho atualmente – envie-me 800 dólares em bitcoin, é uma criptomoeda. É o endereço da minha conta – 1FAZaPtxRjtvfU7F8tGUcTVtGnDzgpQspj

Agora você tem 27 horas. para decidir Imediatamente depois de receber a transação, eliminarei este vídeo e tudo de uma vez. Caso contrário, você deve ter certeza de que este vídeo será enviado para seus contatos.