Arquivos da categoria: Crônicas

Abrangem os mais diversos assuntos.

A PLURALIDADE DESMISTIFICA A IGNORÂNCIA

Autoria de LuDiasBH

gay123

Aqueles que conseguem fazer você acreditar em absurdos, podem fazê-lo cometer atrocidades. (Voltaire)

Segundo o humanista canadense Steven Pinker, a “Revolução Humanitária partiu da República das Letras”. Ele embasa seu argumento no fato de que, quanto maior for a difusão de ideias e pessoas, menor será o uso da violência, pois é a pluralidade que desmistifica a ignorância e a superstição – amuletos usados pela coação e brutalidade. O mais comum é que – quando instruídas – as pessoas fiquem mais conectadas com a realidade, fazem juízo próprio, não se deixam servir de instrumento para indivíduos inescrupulosos e fazem cair por terra, sobretudo, certas ideias bolorentas e fascistas, tais como:

  • mulheres gostam de ser estupradas;
  • minorias de outras raças são inferiores;
  • minorias étnicas atrasam o país;
  • crianças devem ser surradas;
  • os homossexuais são degenerados;
  • mulheres são inferiores aos homens;
  • animais não sentem dor, etc.

Uma crença – qualquer que seja ela – que instiga a selvageria ou, que omissa, aceita-a, pode levar uma pessoa a cometer qualquer tipo de atrocidade, se essa unicamente ali fizer sua fonte de buscas, conforme preconizava Voltaire – escritor e filósofo francês. Contudo, tais mazelas veem-se desmascaradas na pluralidade de ideias. É por isso que o pluralismo é combatido pelos que querem trazer na rédea seus adeptos ou seguidores. É o fato de conhecer outros pontos de vista que leva o indivíduo a ser polivalente, a tornar-se um humano melhor dentro da comunidade em que se insere,  comprometido com sua gente e também com o planeta, pois encontra-se imbuído pelo respeito às diferenças.

Sabemos que muitas pessoas, principalmente nos meios político e da grande mídia brasileira, fingem acreditar nisso ou naquilo, apenas para manter-se em evidência dentro de um determinado grupo. No fundo, elas têm plena clareza de que estão erradas, mas sentem-se compensadas economicamente nas suas paróquias de olho no status que o grupo proporciona-lhe. Não significa que não tenham agilidade intelectual para discernir o certo do errado. Nada disso. Elas até mesmo manipulam suas respostas de modo a parecerem coerentes, apostando no fato de que outros possam tomá-las como verdadeiras.

Indivíduos existem que abrem mão de tais “benesses” – ainda que as pudessem ter quando assim o desejassem – para serem verdadeiros, universais, polivantes e plurais. E são esses os grandes contribuintes de um mundo mais humanizado. E, como reflete Steven Pinker, “Essa mentalidade reflexiva pode ser fruto de uma educação aprimorada, e pode ser também fruto da mídia eletrônica”, mas que esta última também seja de boa qualidade, primando pela imparcialidade, coerência e, sobretudo, pelo respeito ao leitor – complemento eu.

A pluralidade de ideais também nos leva a entender que as invenções que tanto têm contribuído para o progresso da humanidade são simbióticas, pois umas dependem das outras. Mais uma vez, faço uso das palavras de Steven Pinker, “Inovadores bem-sucedidos não apenas sobem sobre os ombros de gigantes, como também se engajam em uma maciça pirataria de propriedade intelectual, tomando de empréstimo ideias de uma vasta gama de vertentes tributárias que correm em sua direção. […] O que é verdadeiro para o progresso tecnológico pode ser igualmente válido para o processo moral”.

O fato é que ninguém cria nada sozinho e o fator econômico também é importante para as invenções. Para o acesso à internet – a título de exemplo – é impossível computar as milhares de pessoas que contribuíram para que esse veículo existisse, a começar pelo filósofo grego Tales de Mileto que descobriu a eletricidade estática (alguns séculos a.C.), passando  por Benjamin Franklin, inventor da lâmpada (século 18), até a condução de dados através de feixes de luz, fluindo pelas fibras óticas, invenção do físico indiano Narinder Singh Kanpany, no século 20.

O pastor estadunidense Martin Luther King é um exemplo de como o contato com a pluralidade de ideias pode tornar um homem melhor. Além de profundo conhecedor da Bíblia e da teologia ortodoxa, ele também leu teólogos tidos como renegados (Walter Rauchenbusch, por exemplo), e  filósofos como Platão, Aristóteles, Rousseau, Hobbes, Bentham, Mill, Locke, Nietzsche, etc. Ele dizia: “Todos esses grandes mestres estimularam meu pensamento – tal como eram – e, mesmo encontrando coisas a questionar em cada um deles, ainda assim aprendi enormemente com seu estudo.”. A leitura sobre as ideias do estadista Mohandas Gandhi também muito impressionou o grande líder cristão, ao dar-lhe uma nova ideia sobre como conter a violência –  paradoxalmente dela os dois grandes líderes foram vítimas.

Nota: A Escola de Atenas, obra de Rafael Sanzio, ilustra o texto. Encontre o estudo  sobre o quadro aqui neste blogue.

Fonte de pesquisa
Os anjos bons da natureza humana/ Steven Pinker/ Edit. Companhia das Letras

ATENÇÃO: UM NOVO TIPO DE GOLPE

 Postado por LuDiasBH

 Caros amigos leitores

Nos dias atuais em que o contato virtual vem se tornando cada vez maior, todo cuidado é pouco. Vejam abaixo o e-mail que recebi (em inglês) em que golpistas tentam extorquir uma alta quantia em dinheiro. O meu objetivo ao postar tal tentativa de intimidação é alertá-los para o perigo de postarem na internet cenas de sua vida íntima. Este tipo de estratagema é enviado para várias pessoas e aquelas que têm algum vídeo comprometedor acabam caindo na chantagem. Observem que me tratam como “ele”, ou seja, nem sabem quem sou:

Você tem a última chance de salvar sua vida social – eu não estou brincando! Eu te dou as últimas 72 horas para fazer o pagamento antes de enviar o vídeo com sua masturbação para todos os seus amigos e associados.

A última vez que você visitou um site erótico com jovens adolescentes, você baixou e instalou o software que desenvolvi. Meu programa ligou sua câmera e gravou seu ato de masturbação e o vídeo que você estava se masturbando. Meu software também baixou todas as suas listas de contatos de e-mail e uma lista de seus amigos do Facebook.
Eu tenho tanto o ‘Ludiasbh.mp4’ com sua masturbação e um arquivo com todos os seus contatos no meu disco rígido. Você é muito pervertido! Se você quer que eu apague os dois arquivos e mantenha seu segredo, você deve me enviar o pagamento do Bitcoin. Eu te dou as últimas 72 horas. Se você não sabe como enviar Bitcoins, visite o Google. Envie 2000 USD para este endereço Bitcoin imediatamente: 3F25zk2tdJuTpuLBKDZM3h6ABSSAar82a4 (copiar e colar). 1 BTC = 3470 USD agora, então envie exatamente 0.581380 BTC para o endereço acima.

Não tente me enganar! Assim que você abrir este e-mail, saberei que você o abriu. Este endereço de Bitcoin está ligado apenas a você, então eu vou saber se você enviou o valor correto. Quando você pagar integralmente, removerei os dois arquivos e desativarei meu software. Se você não enviar o pagamento, enviarei seu vídeo de masturbação A TODOS OS SEUS AMIGOS E ASSOCIADOS da sua lista de contatos eu hackeado. Aqui estão os detalhes de pagamento novamente: Envie 0.581380 BTC para este endereço Bitcoin:

—————————————-
3F25zk2tdJuTpuLBKDZM3h6ABSSAar82a4
—————————————-
Você pode visitar a polícia, mas ninguém vai ajudá-lo. Eu sei o que estou fazendo. Eu não moro no seu país e sei como ficar anônimo. Não tente me enganar – eu saberei imediatamente – meu programa de espionagem é gravação de todos os sites que você visita e todas as teclas que você pressiona. Se você fizer isso, enviarei esta gravação feia para todos que você conhece,  incluindo sua família. Não me engane! Não esqueça a vergonha e se você ignorar esta mensagem sua vida será arruinada. Eu estou esperando pelo seu pagamento Bitcoin.

Marlin Hacker anônimo (marline_631@h.anonymous2k.tk)

P.S. Se você precisar de mais tempo para comprar e enviar 0,581380 BTC, Abra o seu bloco de notas e escreva ’48h plz’. Vou considerar dar-lhe mais 48 horas antes de eu liberar o vídeo, mas somente quando eu realmente vejo que você está lutando para comprar bitcoin.

Novo contato do golpista:

Oi,

Espero que você realmente não se importe com a minha gramática de inglês, considerando que eu sou das Filipinas. Eu infectei seu dispositivo com um vírus e estou na posse de seus dados privados do seu sistema operacional.

Foi criado em uma página da web para adultos, após a qual você escolheu o videoclipe e o visualizou, meu aplicativo entrou rapidamente no seu sistema operacional. Em seguida, sua câmera gravou você voando sozinho, além disso eu peguei uma filmagem que você olhou.

Depois de um tempo, além disso, retirou todas as suas informações de contato social. No caso de você querer que eu limpe tudo o que tenho atualmente – me dê 450 dólares em bitcoin, é uma criptografia. Este é o endereço da minha conta – 18cU9WXbGcHA6nBRipJDpwZUhXpPic9y5Y

Neste ponto você tem 22 horas para fazer a sua mente. Imediatamente depois que eu receber o acordo eu vou eliminar este vídeo e cada pequena coisa inteiramente. Ou então, você deve ter certeza de que este vídeo será enviado para seus amigos.

Mais outro contato do golpista:

Olá,

Eu espero que você realmente não se importe com a estrutura de sentença da minha língua, porque eu sou da Arábia Saudita. Eu infectei seu gadget com um vírus e agora tenho todas as suas informações particulares do seu sistema operacional.

Anteriormente foi estabelecido em uma página madura e depois que você escolheu o filme e, meu programa rapidamente entrou em seu sistema. Então, simplesmente, sua webcamera documentou sua porra de mão, além de ter documentado um vídeo que você viu. Logo depois de um tempo, também retirou todas as suas informações de contato social. Se acontecer de você querer que eu limpe tudo o que tenho atualmente – envie-me 800 dólares em bitcoin, é uma criptomoeda. É o endereço da minha conta – 1FAZaPtxRjtvfU7F8tGUcTVtGnDzgpQspj

Agora você tem 27 horas. para decidir Imediatamente depois de receber a transação, eliminarei este vídeo e tudo de uma vez. Caso contrário, você deve ter certeza de que este vídeo será enviado para seus contatos.

CONVERSANDO COM O CORAÇÃO

 Autoria de Celina Telma Hohmann

O essencial é invisível aos olhos, e só se vê bem com o coração. (Exupéry)

Cada um com seu motivo e com seu tamanho de dor, mas cada um sabendo onde e como dói. E comigo não é diferente, por isso, quando estou triste, eu solto o meu menininho do coração. Vou lhes contar, minhas amigas e meus amigos, como eu criei esta abençoada criatura.

Certo dia, eu estava muito triste. Perdida, desolada, meio que com raiva e aí comecei a conversar com o meu coração – como faço até hoje. Nós dois estávamos conversando… Mas eis que me dou conta de que havia dentro dele um menininho. Pequeno, com roupinha meio diferente, mas muito bonitinho.

Ah, minha gente, abri sua portinha e chamei o menininho para fora. Vocês creditam que ele veio? Não só veio como começou a dançar à minha frente e a sorrir. Adorei aquele sorriso! Lembrei-me de que em algum lugar ou em algum livro havia uma menção à possibilidade de criar uma espécie de Círculo Mágico ou Protetor – não sei com exatidão, nem sei se ouvi ou li. Isso não importa!

O meu menininho veio.  Isso foi lá em 1991, não sei exatamente em qual mês, mas como aquele era um ano terrível para mim, pode ter sido em qualquer mês, não fazia diferença alguma. Após abrir a portinha do coração, eu aproveitei que o menininho já tinha saído e dei a ele uma lanterninha. A lanterninha do meu menininho é verde. A do seu menininho ou de sua menininha pode ser da cor que você quiser.

Quando estou triste, eu abro com o maior carinho a portinha do coração e chamo o meu menininho para conversarmos. Hoje já nem preciso chamar, pois ficamos tão amigos que ele está sempre a postos. E é tão fofinho! Sabe aquela criatura que ninguém pode ver, só a gente? O meu menininho é só meu! E como ele me ajuda! Ele dança, ele me cerca e me protege. Com ele por perto eu me sinto confiante. Por vezes, mesmo com um pouco de vergonha, eu tento abraçá-lo. Nunca consigo. Ele pula, salta, vai para o alto e não me deixa tocá-lo, mas não sai de perto de onde estou. É a figura mais presente nas minhas horas de tristeza e solidão.

Contei sobre este meu serzinho a uma menininha triste, quando ela se encontrava de mal com a vida, achando o mundo cinzento e sem saída. Hoje, nos nossos aniversários, sempre comentamos sobre os nossos menininhos. Talvez os dois tenham ficado amigos, mas nunca falaram sobre isso nem a mim e nem a ela.

O Pequeno Príncipe cita que ele amava os arrebóis. Conversando com o aviador, ele diz que toda vez que se encontrava triste, gostava de ver o pôr do sol e que num dia de tanta tristeza, ele o viu quarenta vezes. Imaginem, então, o tamanho de sua tristeza! Acho que a gente já viu tanto pôr do sol que já chegou a esse número tranquilamente. Mas são imagens criadas, obviamente, que nos põem num caminho de paz, alegria e amor.

Se cada um de vocês, amigos, criar um ninho ou uma casinha no próprio coração, colocando ali algum personagem, sempre que abrir a portinha terá o seu amigo ou amiga pulando à sua frente, fazendo-o sorrir. E terá a certeza de que só vocês dois conseguem entender o que aos outros pareceria uma bobagem.

Eu acredito que sempre há solução, portanto, garanto ao leitor que em nosso coração sempre temos o amigo perfeito para as horas boas e não tão boas. Depois me conte se o seu amiguinho é menininho, ou é um pássaro – pequeno, lindo e cheio de ternura – ou uma deliciosa nuvem que tem uma cor diferente, mas que é tão amiga, mas tão amiga, que quando a busca, ela vem grandona e abraça você com o abraço dos que amam só porque amam e pronto!

Desejo que o personagem criado por cada um de vocês habite o seu coração agora, já! É uma ordem, ainda que muito amável! Vocês todos vão adorar e nunca mais se sentirão sozinhos.

Obs.: O Pequeno Príncipe é um personagem retirado do livro do mesmo nome, cujo autor é Antoine de Saint-Exupéry

PALAVRAS TERNAS PARA JOSI

 Autoria de Celina Telma Hohmann

Josi! É tão triste quando nos sentimos perdidas, sem rumo, sem que a vida pareça ter um sentido… Mas por tudo o que já passei – e foi bastante – posso lhe assegurar com a tranquilidade de quem venceu que isso passa! Esse desencanto, essa falta de perspectiva, esse desalento total não é um sofrimento exclusivo seu. Você não é pessimista, mas passa por um período de uma tristeza que afunda, machuca e parece que não terá fim.

Vivemos uma época, Josi, em que os sonhos parecem não ter sentido e o direito de ser feliz é quase uma imposição. Seria ótimo ser feliz o tempo todo, mas há vezes – por tantas razões – que a alma chora. Você sabe que não é uma eterna sofredora e esse é o melhor caminho. Conhece seu potencial, portanto, um caminho já se abre à sua frente.

Durante longos períodos passei por esses pensamentos ruins de que não conseguiria sobreviver às fobias – medos que nos põem abaixo. Tudo passou! E jamais, em tempo algum, eu me deixei abater pela percepção de que estava errada. Não, não estamos errados quando pedimos ajuda em meio à tormenta! Temos que enfrentá-la – o que não é fácil –, mas é possível. Quando nos damos o direito de não aceitar a derrota do sofrimento, conseguimos sair dele.

Josi, quando buscamos ajuda, seja de qual forma for, o primeiro passo já foi dado. Ninguém, sozinho, consegue muito. Sempre há a necessidade do desabafo, da mão amiga, do ombro que conforta e de alguém que nos mostre que nos entende, por ter passado por situação idêntica ou por ter uma percepção abençoada de que algumas pessoas precisam de um amigo fiel e real para ajudá-la a sair do turbilhão de sentimentos.

Sinta-se vitoriosa, minha amiga, por ter chegado até aqui e conseguido, da forma mais aberta, expor o que não lhe faz bem. Tomou a decisão correta em não aceitar que isso seja normal. O mundo não é feio, tampouco o são os sentimentos. Há muita beleza e mudar o foco, buscar a sintonia com o Divino, esteja ele em que forma estiver, é um caminho abençoado para livrar-nos de sentimentos que enchem nossa alma de lixo, que pesam, que nos prendem, como se amarras fizessem nossos pés não seguirem.

Você consegue! Eu consegui! Pensa que não passei por tantas batalhas entre a tristeza – na mais profunda dimensão – e a necessidade de sair dela e não achar a saída? Dou-me direitos, como você o faz, em não aceitar! Somos obras de um Universo, pedaços valiosos de um mundo vasto,  perfeito e que está à nossa disposição, mas que, quando fechamos os olhos, braços, alma e coração, não percebemos quanta preciosidade existe em torno de nós.

O mundo nos dá como retorno o que lhe damos – ou vice versa. Mude seu foco. Veja-se como vencedora de uma batalha particular. Seja a protagonista da sua história e não deixe sentimentos tristes interferirem em sua apresentação. Você não é o que está vendo nesse instante! Você é Criatura Divina, é parte importante desse processo chamado vida e sem você, ainda que pareça tolice, a engrenagem não estará perfeita!  Você é parte no processo da alegria, do descobrir o que é possível possuir. A alegria é gratuita, liberada por uma Mão Superior que se estende, ampara e quer que sejamos plenos!

Hoje, Josi, seu mundo parece escuro. Busque a luz! Ela está à sua frente e não lhe cobra nada. Nem eu lhe cobro que a encontre num primeiro contato. Ela virá! Esvazie sua mente, pensando unicamente nas qualidades que tem. Dê-se o direito de sentir-se desconfortável ao acalentar um sentimento que machuca. Alguns o afagam como algo precioso, mas nisso reside o erro. Sofrer é inerente, consequência de alguma razão, mas não é obrigatório aceitar que sofrer é a única saída e que isso nos fará melhor, ou pior…

Você demonstra sabedoria. Certa e maravilhosamente é possuidora de sabedoria. Sirva-se dela! Sorva gota a gota essa mágica porção e mentalize o bem que faz vê-la com os olhos da alma, descendo, aquecendo todo o seu corpo, célula por célula e a inundando de uma paz que ainda está aí – mas perdida em meio a um barulho que você não entende.

Aquiete-se, Josi! Dê-se o prazer de adormecer todo o seu confuso pensamento e jogue-se na vida com os braços abertos, agradecendo por cada instante que viveu, vive e viverá! A constância é um remédio. Abuse dela para trocar o sentimento ruim pelo bom   e descobrirá – ainda que tateando – que é possível desamarrar os nós, sair do poço, mesmo que encharcada e com gosto ruim de uma água não tão limpa.

Liberte-se, amiga, não se culpe! Busque dentro de você a felicidade que está sempre ao seu lado e, por ora, desprezada sem culpa alguma. Pobre felicidade! Entendemos como se sente. Aqui é o nosso cantinho. Choramos, esperneamos, mas cada um volta e conta como passou do muito ruim para o muito bom! Todos nós conseguimos e nossas dores – ainda que por motivos diferentes – uniram-nos e fortaleceram.

Josi, você está no caminho certo ao colocar para fora suas dores! Busque o seu melhor e vislumbre todas as possibilidades para ser feliz! Se há remédios, tome-os. Se há o ar entrando pelos pulmões como bálsamo, inspire-o. Confie que somos capazes de sair do fogo, ainda que chamuscados, mas íntegros e fortalecidos. Você será mais uma vitoriosa! Um beijo em seu coração e anime essa garotinha perdida que buscou socorro. Ela está sendo socorrida e verá que foi tudo um período ruim, um susto, mas que ensinou a enxergar outro aspecto do ser humano: perder-se por vezes, mas encontrar-se, sempre!

Obs.: Josi é uma leitora deste espaço que há muito tempo convive com transtornos mentais e tem passado por momentos muito difíceis.

Nota: Vênus, detalhe da obra de Sandro Botticelli.

REFLEXÕES SOBRE O ANO NOVO

 Autoria de Edward Chaddad

Mais um ano acabou de chegar, mas para muitos, infelizmente, o sentido do novo ano encontra-se unicamente no olhar para frente, pois dizem que não gostam de olhar para trás. Agindo assim, justificam a maneira de vida que escolheram – o olhar voltado apenas para o sucesso pessoal. É uma afirmação individualista que mostra indiferença e  desinteresse pela natureza, pelos animais e seres humanos com os quais coabitam no planeta Terra.

É preciso também olhar para trás e se ligar ao passado. Ninguém irá modificá-lo, é fato, pois o passado é imutável. Porém, o que deixamos para trás nos ensina e lega-nos a experiência e o conhecimento que devemos usar em nosso presente e, consequentemente, prepara o nosso futuro. O que deixamos para trás foi fundamental para o que somos agora. Olhar apenas para frente é tentar vislumbrar o futuro, porém, por mais que o fizermos, o futuro será sempre incerto e mutável, transformando-se, dia a dia, pelos fatos passados e pelo presente que ora vivemos.

Ao olharmos para frente, o que vivenciamos e conhecemos será fundamental para o projeto do que seremos, porém, o futuro é imponderável e incerto, pois qualquer fato fora de nosso controle pode colocar fim àquilo que tanto ambicionávamos. E aí teremos um futuro bem diferente daquele que desejávamos. É com base em tal reflexão que convido todos, neste ano que ora se inicia, para tomarmos uma decisão importante – a de também olharmos  para os lados.

Olhar para os lados é viver o presente, sem ficar obcecado pelo passado ou pelo futuro. É entrar em sintonia com o mundo em derredor. É partilhar sucessos e fracassos, riqueza e miséria, alegria e tristeza, intolerância e amor. É importante compreendermos que é muito melhor para nossa vida e para o mundo, direcionarmos nosso olhar para os lados, numa abrangência muito maior.

Para trás ficou o passado imutável. Para frente será o futuro imponderável. Para os lados está o “agora” compartilhado – nosso presente. Precisamos usar dois sentimentos divinos concedidos por Deus ao ser humano: a solidariedade e a compaixão – ambos frutos do amor fraternal. Com eles seremos capazes de ajudar os fracassados a tornarem-se vitoriosos, acolher os miseráveis e ajudá-los a fazer parte de um mundo mais humano, pregado pelos evangelhos de Cristo. Em suma, podemos levar alegria onde hoje só impera a desesperança.

Ao olharmos para os lados estamos nos ombreando com todos os seres humanos, pois nos tornamos totalmente desnudos do sentimento de superioridade. Estaremos combatendo a intolerância, o preconceito, o ódio, a miséria, o sofrimento, a tristeza,  a desdita, a desgraça, o fracasso e tantos outros infortúnios comuns aos nossos dias, mas que poderão ser vencidos com a solidariedade e a compaixão. Agindo assim, podemos dizer que somos realmente filhos de Deus, feitos à sua imagem e semelhança e que seguimos seus ensinamentos.

Feliz 2019 para todos nós!

DEUS SEGUNDO SPINOZA

Autoria de Baruch Spinoza*

Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e pelas ações dos homens. (Einstein)

Para de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, divirtas-te e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Para de me culpar por tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de pedir-me. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é a único que há aqui e agora, e a única que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Para de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Para de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Aborrece-me que me louvem. Cansa-me que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Tu te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… Aí é que estou, batendo em ti.

* Baruch de Espinoza, filósofo holandês, foi um dos grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna.