COMO EVITAR A INDESEJÁVEL RESSACA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

hip.1(*)

Festas de final de ano e férias geralmente estão associadas com maior ingestão de bebidas alcoólicas e, consequentemente, ao seu efeito mais nefasto, a ressaca. Se entendermos melhor o que é a ressaca, poderemos amenizá-la ou mesmo evitá-la. O nome formal para a ressaca é “veisalgia”, que tem origem na palavra norueguesa para “mal-estar depois da orgia” (kveis) e na palavra grega para “dor” (algia).

A ressaca comum inclui vários sintomas:

  • dor de cabeça,
  • mal-estar,
  • sensibilidade à luz,
  • diarreia,
  • perda de apetite,
  • tremor,
  • náusea,
  • fadiga,
  • fraqueza,
  • aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial,
  • desidratação (boca seca, sede extrema e olhos ressecados),
  • problemas de concentração,
  • ansiedade,
  • dificuldade para dormir, etc.

A gravidade e o número de sintomas variam de pessoa para pessoa. No entanto, quanto mais álcool for consumido, pior será a ressaca.

O principal ingrediente das bebidas alcoólicas é a molécula de etanol. Assim que a pessoa toma um gole, uma pequena parte dessa molécula já começa a entrar na corrente sanguínea pela mucosa da boca e 25% é absorvido já no estômago. Em pouco mais de três minutos, já é possível detectar concentrações de álcool no cérebro.

Já o órgão responsável pela limpeza e desintoxicação é o fígado. É a nossa SLU, mas tem uma capacidade limitada de desintoxicar o organismo. Aquela pessoa que extrapola na bebedeira terá sérios efeitos adversos. Quando chega ao cérebro, o etanol estimula a liberação de serotonina, explicando o motivo inicial de euforia e de desinibição. Quando a pessoa continua a beber, começa a perder a coordenação motora e o autocontrole. E, em casos mais extremos, a quantidade excessiva de etanol pode levar à morte por coma e parada respiratória.

O mais importante é saber como evitar a temível ressaca.

  • Alimentar-se antes de beber é a regra de ouro. Ao alimentarmos, produzimos energia para o corpo, e, dessa forma, combatemos a famosa hipoglicemia.
  • Outra grande causa da ressaca é a desidratação provocada pelo álcool. Portanto, vá de água antes, durante e, principalmente, depois da bebedeira. Antes de dormir, ingira bastante líquido. Essa tática ajuda seu organismo a metabolizar o álcool enquanto você descansa.
  • Suco de acerola, de limão ou de laranja também ajuda, porque essas frutas lançam antioxidantes protetores no organismo.
  • Beba isotônicos para repor os sais minerais perdidos e abuse da água de coco, rica em potássio.
  • Evite o famoso cafezinho amargo, muitas vezes recomendado para diminuir a dor de cabeça. A bebida também tem propriedades diuréticas, ou seja, desidrata ainda mais o seu corpo.
  • Consuma alimentos de fácil digestão. Para amenizar os efeitos da ressaca, deve-se ter uma alimentação leve, pobre em gorduras, rica em frutas, vegetais e líquidos. Inclua no cardápio os carboidratos complexos, como pão e biscoito de água e sal.
  • Utilize os medicamentos de forma consciente e sob orientação médica. Os kits antirressaca não inibem a ocorrência da mesma. Somente dão a sensação, para a pessoa que os ingere, de que ela “está protegida” dos indesejados sintomas, o que não é verdade.
  • A moderação, associada às dicas acima, são os ingredientes necessários para uma festa com final feliz.

(*) Imagem copiada de www.infohoje.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *