DEUS… OH, DEUS!

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

munch1234567

Por que Vós dais forças ao covarde,
na sua prepotência lançada ao fraco,
deixando sem socorro ou valimento
o miserável por ele explorado?

Embaraçais a palavra do oprimido
quando se atreve a expor seu enfado,
silenciando-o com o cruento cabresto
de plangente e humilhante agravo?

Mestre, até parece que usais de dois
pesos no trato, com os filhos terrenos.
Àqueles, ofertais o recurso da força, a
outros, que sejam sempre pequenos.

Ou que direcionais os dardos do forte,
de cruezas vis envenenados, enquanto
o miserável, quase sempre esquecido,
é o escopo desprotegido, ao lado.

Peço-Vos:
perdoai-me o meu desafogo exalado, e
de minhas tolas lamentações o agravo.
Mas sinto o peito sereno e o desagrado,
antes incontido, por ora jaz amainado.

Nota: obra de Edvard Munch

2 comentários sobre “DEUS… OH, DEUS!

  1. Pedro Rui

    Deus escreve certo por linha tortas, realmente nós vemos um mundo de pernas para o ar, mas não são coisas de Deus, mas do homem. Deus nos deu a luz, o homem preferiu as trevas, mentiras e ilusões. Agora estamos a sentir a ira de Deus, nós fomos avisados e não cremos.
    Abraços

    Rui Pedro

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      O homem ainda não acredita que ele recebe o troco por tudo que faz. Toda ação gera uma reação, boa ou ruim, dependendo do que foi feito. Não se pode plantar urtiga e colher rosas. Não se pode destruir as árvores do planeta e esperar chuva ou um clima bom.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *