DIETA, FIBRAS E BACTÉRIAS DO BEM

Autoria do Dr. Telmo Diniz

FIBRA1

Adotar uma dieta pobre em fibras faz mal ao intestino humano, pois vai gradativamente destruindo a flora intestinal bacteriana. É o que aponta um estudo realizado por pesquisadores das três mais renomadas escolas de medicina dos EUA (Stanford, Harvard e Princeton) e que foi publicado na revista “Nature”.

De acordo com esse estudo, uma dieta negligente em fibras pode eliminar bactérias benéficas da nossa flora intestinal de forma irreversível. E o que é pior, essa mudança tende a ser transmitida para as gerações futuras. Em outras palavras, o que você come hoje (ou melhor, deixa de comer) irá determinar o que seus filhos terão ou não de proteção e prevenção em relação a diversas doenças.

Fica claro que as fibras são essenciais, pois servem como fonte de alimento para as bactérias do cólon, a maior porção do intestino grosso. O que chamamos de probióticos são representados pela flora bacteriana “do bem”, enquanto os prebióticos são as fibras presentes nos alimentos. Com a insuficiência na ingestão de fibras na dieta, essas mesmas bactérias vão morrendo e reduzindo sua população. O desequilíbrio entre as bactérias boas e ruins no intestino são responsáveis por uma série de doenças e desequilíbrios no organismo.

Para que o leitor tenha uma ideia da importância do intestino e sua flora, imagine que, se dissecarmos o órgão de uma pessoa adulta, sua área de absorção equivale ao tamanho de uma quadra de tênis. Portanto, podemos concluir que boa parte de nossa saúde passa por lá. Já está bem estabelecido que o intestino grosso é o responsável pela formação do bolo fecal, reabsorção de água e nutrientes, produção de imunoglobulinas, produção de algumas vitaminas, inclusive pela produção de 80% da nossa serotonina. Isto mesmo! Um intestino constipado irá produzir menos dessa substância e poderá agravar quadros de depressão, além de piorar de forma substancial o humor (uma pessoa constipada é mal humorada – “enfezada”).

Portanto, a identificação e o controle da função intestinal e da flora bacteriana são de suma importância para que sejam evitadas várias doenças sistêmicas, como:
• alergias inespecíficas,
• alergias alimentares,
• fadiga crônica e desânimo,
• depressão,
• dores de cabeça (enxaquecas),
• problemas de pele e unhas,
• baixa do sistema imunológico (predispondo a infecções de repetição),
• fibromialgia,
• piora na qualidade do sono,
• distensão abdominal com alta formação de gases intestinais (flatulência), entre outros.

Cabe ao médico intervir nos hábitos de vida da pessoa, como reeducação alimentar e exercícios físicos. Nesse ponto é importante a inclusão das fibras nas refeições, reduzir o consumo de alimentos processados, consumir bebidas lácteas (pois contêm lactobacilos). De igual forma deve ser otimizado a ingestão de líquidos, consumir alimentos sabidamente desintoxicantes (como um suco funcional) e praticar atividades físicas regulares. Essas medidas podem melhorar, e muito, a flora intestinal. Em alguns casos pode ser necessária a reposição de suplementos de probióticos e prebióticos, como forma complementar.

6 comentários sobre “DIETA, FIBRAS E BACTÉRIAS DO BEM

  1. Rui

    Sempre que leio os textos do doutor Telmo aprendo muito.
    Não devemos só pensar em nós, como o doutor Telmo escreve no texto, o mal passa de geração em geração, não devemos ser egoístas. Tudo o que entra pela boca tem que sair pelo intestino, devemos sempre pensar no que ingerimos, pois podem ser alimentos ricos ou prejudiciais. Em tempos tive de fazer um tratamento do fígado, curei a hepatite C, mas os intestinos reclamaram. Me deram um conselho, comer beterraba. Nunca pensei que este legume fosse tão rico. Depois de passar a consumi-lo, o meu organismo começou a portar-se muito melhor. O conselho foi seu, amiga Lu. Apendi a fazer da minha cozinha a minha farmácia. Pois tenho aprendido muito com o Dr.Telmo.

    Abraços

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Os alimentos naturais possuem tudo de que precisamos. E quem faz da sua cozinha sua famácia, não precisa visitar a segunda. O que comemos exerce uma grande influência em nós. Há um ditado que diz que somos aquilo que comemos. O doutor Telmo está de parabéns por seus textos tão simples e ricos. Valem a pena ser lidos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Tina Cezar

    Bom dia, querida Lu,

    Seu blog é um conforto para nós que estamos passando por uma fase ruim, prefiro pensar assim!!
    Que Deus lhe abençoe por esta iniciativa.

    Beijo no coração,

    Tina

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Tina

      É com imenso carinho que recebo todos que aqui aportam. Não me canso de responder a dezenas de e-mails diários, ainda que as perguntas repitam-se constantemente. Cada pessoa que aqui vem é muito especial para mim, e dou-lhe um atendimento individual. E realmente trata-se de uma “fase ruim”, que depende muito de nós para dela sairmos, como escrevi no texto OS ANTIDEPRESSIVOS EM NOSSA VIDA. Nós somos uma grande e carinhosa família, e assim haveremos de continuar.

      Beijos,

      Lu

      Responder
      1. Tina

        Bom dia, Lu,

        Agradeço sua resposta e todo o carinho com que nos trata! Tenho muita curiosidade de saber como você é. É possível enviar uma foto sua? Caso não possa eu vou entender. A amizade continuará a mesma.

        Beijos

        Tina

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Tina

          Na introdução do site denominada “QUEM SOMOS”, eu falo um pouco de mim e do blog. Sei que a sua curiosidade é a de muitos leitores. Contudo, optei por me mostrar como uma pessoa comum (o que realmente sou), parte desses 95% de pessoas anônimas que habitam este planeta maravilhoso chamado Terra, muitas das quais fazem coisas fantásticas, mas não lhes conhecemos o rosto ou a vida particular. Nunca me servi de títulos (como fazem muitos blogueiros), pois acredito que somos as nossas ações, sendo que a exposição de títulos não passa de mero enfeite desnecessário, com a finalidade de inflar o ego, e, muitas vezes afasta as pessoas. O fato de eu não me mostrar no blog, também deve-se ao fato de ter recebido um e-mail ameaçador (ainda recebo alguns), ao escrever sobre uma certa cultura religiosa e o modo como as mulheres são tratadas. Levei o caso a um amigo da área jurídica, e ele me aconselhou a não me expôr, limitando-me apenas a escrever. É claro que não me senti intimidade (era essa a finalidade do e-mail), continuei escrevendo exatamente como antes, mas acatei os conselhos do meu amigo. Portanto, minha doce amiguinha, crie um perfil para mim, de acordo com aquilo que eu lhe repasso com as minhas palavras. E esta será eu.

          Um grande beijo no seu coração,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *