DIGITAIS

Autoria de Pierre Santos

digit

Na ponta dos dedos
a vida digita
o nosso destino.
As marcas do sempre
vão compondo aos poucos
nosso desatino.

No arcano das veias
onde é acesa a chama
o sangue desenha
todas as estradas,
os dados completos
de nossa resenha.

Assim vestidos de infinitos mares
somos apenas portos de chegares
e de partires, sempre, sempre assim.
Esfolam-se costados maltratados
na beira dos abismos que independem
seja de ti, seja também de mim.

Os mares intrometem-se entre as almas,
apagando lembranças, subvertendo
as promessas do sangue resenhado
por estiletes que não têm rumo
e vão ferindo as almas como as palmas.

Na ponta dos meus dedos a memória
a história
o solavanco
do banco da charrete em caravana
que insana avança rumo do sem fim.
Se pena,
pena por ti,
pena por mim!

  Nota: ilustração da artista brasileira Ana Guitel Nigri.

8 comentários sobre “DIGITAIS

  1. Geraldo Roberto da Silva

    Bom demais, Pierre!
    Engraçado é que te conheço há tanto tempo e conheço poucos poemas seus!

    Responder
    1. Pierre Santos

      Pois é, Geraldo, há tanto nos conhecemos, desde os tempos da EBA! Gozado é que nunca deixei de fazer poemas. Às vezes paro um, dois, três meses, mas logo volto a escrevê-los. Bom que você gostou. De vez em quando publico aqui no blog alguma coisa. Agora, sempre que isto ser der, mandarei a você. Abraços.

      Responder
  2. Ana Guitel Nigri

    Muito lindo este poema inspirado nesta obra minha, Pierre!
    A cada dia você se supera e surpreende a todos com teus poemas que tocam com a ponta dos dedos em nossas almas, deixando a marca de suas digitais.

    Ana

    Responder
    1. Pierre Santos

      Com este texto seu, minha cara, pergunto: quem é o poeta – eu ou você? Obrigado tanto pelo belo quadro, quando pela inspiração do poema. Valeu!

      Responder
  3. LuDiasBH Autor do post

    Professor Pierre

    É com muita alegria que este blog recebe-o de volta depois de sua prolongada ausência para tratamento de saúde. A sua presença sempre nos enriquece. Seja bem-vindo!

    Meu amigo, você chega abrindo horizontes, iluminando tudo em volta, pois sabe como ninguém trabalhar com as palavras. Seu poema é maravilhoso. E não resta dúvida de que:

    “Na ponta dos dedos
    a vida digita
    o nosso destino.”

    Meu abraço,

    Lu

    Responder
    1. Pierre Santos

      Suas palavras sempre me enaltecem, Lu. E sinto isto por confiar na sabedoria de seus julgamentos, que jamais são gratuitos. Palavras assim me dão ânimo. Muito obrigado!

      Em tempo: realmente o problema era aqui no meu computador, agora resolvido.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *