É PRECISO HUMANIZAR A SAÚDE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

saude

Humanização da saúde

Humanização da saúde significa tratar da pessoa, do ser humano e não só de seus sintomas. O foco deixa de ser a doença e a pessoa passa a ser vista como um todo – corpo, mente e espírito. Os trabalhadores da área de saúde, independentemente da função que ocupam, seja na cozinha, nos serviços gerais, na lavanderia, no consultório, nas salas de cirurgia ou no setor de enfermagem, todos devem fazer parte de uma máquina única, onde devem funcionar de forma integrativa, para que o paciente tenha um atendimento digno e mais humano.

O rápido desenvolvimento da tecnologia da medicina fez que nós, médicos, nos distanciássemos do paciente. Emoções, crenças e valores ficaram em segundo plano, passando a doença a ser o objeto central do saber.

O ato médico se desumanizou. No mesmo processo, ocorreram transformações na formação médica, cada vez mais especializada, e nas condições de trabalho, restringindo a disponibilidade do médico tanto para o contato com o paciente quanto para a busca de formação mais abrangente. As atuais condições do exercício da medicina não têm contribuído para a melhoria do relacionamento entre médicos e pacientes e para o atendimento humanizado e de boa qualidade. Esse quadro estende-se tanto a outros profissionais da área como a instituições de saúde.

Atualmente, têm sido propostas diversas ações visando à implantação de programas de humanização nas instituições de saúde, especialmente nos hospitais. Os profissionais devem entender que a pessoa/paciente tem um nome e não pode ser rotulada por um número de quarto ou de um prontuário.

Há instituições que acham que estão sendo humanizadas por estarem melhorando a estrutura física dos prédios. Sem dúvida, são medidas relevantes numa instituição. No entanto, as relações interpessoais são de fundamental importância neste contexto. Tanto é que uma das principais queixas dos pacientes em relação aos médicos é a falta ou ausência de uma comunicação mais clara.

A atenção e respeito devem ser mantidos sempre. As reflexões sobre a tarefa assistencial conduzem também ao campo ético. Para que haja ética é preciso ver o outro. Diversos estudos demonstram que uma boa relação médico/paciente é de sua importância na boa evolução e adesão ao tratamento proposto.

Sensibilidade

É fundamental que os profissionais de saúde incorporem em seu aprendizado os aspectos interpessoais do atendimento, conhecendo os fenômenos psicológicos que nele atuam. Isso não significa que tenham que se transformar em psiquiatras ou psicólogos, mas que, além do suporte técnico, utilizem a sensibilidade para conhecer melhor o paciente, ouvir suas queixas e encontrar, junto com ele, estratégias que facilitem a aceitação do tratamento. Daí a importância da formação dos médicos e de outros profissionais da área no âmbito das faculdades e em programas de educação continuada.

A humanização é um processo amplo, demorado e caro, que depende da contratação de profissionais suficientes para atender a demanda da população; aquisição de novos equipamentos hospitalares; abertura de novos serviços, melhoria dos salários, das condições de trabalho e, acima de tudo, a formação de novos profissionais com foco na ética e no respeito para com o próximo. Com isso, teremos uma saúde mais humana.

Um comentário sobre “É PRECISO HUMANIZAR A SAÚDE

  1. Edward Chaddad

    Maravilhoso texto!
    Se eu o admirasse, pelos seus escritos, que tive a felicidade de ler neste blog, agora, tenha a certeza, eu o admiro muito, mas muito mais ainda. Já tenho meus setenta anos e passei por um mundo mais coração, mais dignidade, mais compaixão, mais solidariedade, mais amor que o de hoje.

    Penso que seus ensinamentos neste texto não se aplicam tão somente ao setor da Saúde, mas a todos os setores de nossa sociedade, pois ela, infelizmente, caída pelo mundo consumista e materialista, está naufragando na existência de uma sabedoria milenar que Cristo nos legou: amar o próximo como a si mesmo.

    Sei que isto é impossível, pois somos um bocado egoísta, mas pelo menos já vi, principalmente lá nos anos cinquenta e sessenta, muitas tentativas nesse caminho e sei que pessoas que trilharam por este caminho semearam as rosas da esperança e do amor, nos corações humanos, não só pelas suas obras, mas acima de tudo por seu exemplo.

    Ganhei o domingo. Fico satisfeito em ver que ainda há pessoas que tem em mente o ideal do humanismo.

    Parabéns!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *