EU NÃO TENHO SONHOS!
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Laura Alencar

Eu tenho 20 anos, não estudo, não trabalho e não tenho sonhos, nem objetivos. Os planos mudam tão rápido de lugar. Minha luta,  vulgarmente, escorre pelos meus dedos. Vejo-me tão líquida e obscura no chão, uma poça de desespero e insatisfação. Parece que estou em desvantagem, presumo que seja por causa da minha condição socioeconômica, que impossibilitou a oportunidade de eu estudar em uma escola bem equipada para poder aflorar meus talentos, assim como não havia tanta cobrança por parte de minha avó, quem me criou, devido à ausência dela para com os meus estudos.

Estudar ou não, não era uma obrigação, era algo que dependia de mim e, como eu era muito criança, eu não fazia as atividades nem me esforçava, nem o corpo docente público podia dar suporte a tantos alunos devido à falta de ferramentas fornecidas pela prefeitura.

Minha sina é tão imprecisa. Tenho tanto medo de ficar acomodada, levando uma vida insignificante. Quero me movimentar, entretanto me desvio e perco o foco na caminhada. Já tive tantos planos. Em questão de segundos, dias, semanas já fui tanta coisa, mas não consigo prosseguir com meus deveres, pois, logo me sinto letárgica.

Vivo a fazer pesquisas sobre meus possíveis transtornos psicológicos e em busca de um diagnóstico para, por sua vez, ter um tratamento mais preciso e ser uma adulta decidida, constante e responsável. Não sei de nenhum histórico de transtorno mental em minha família, a não ser depressão. Não fui diagnosticada com nada. Uma vez meu antigo psiquiatra disse que eu tinha vestígios de SP. E foi só isso. Já meu atual psiquiatra, que não o vejo há 3 meses, pois ele tinha sofrido um acidente e, quando voltou às atividades, a fila de espera para a consulta estava enorme, uma vez que faço tratamento pelo SUS, e a demanda de pacientes no Caps AD (álcool e drogas)  é realmente significante – e cá entre nós, preocupante.

Ao invés de esperar pelo atendimento psiquiátrico, opto por um pedido manuscrito por minha psicóloga, baseado nos remédios prescritos pelo meu psiquiatra no nosso último encontro, pra ser “autenticada” pelo médico do posto de saúde local, para assim eu pegar meus remédios no CAF (Centro de Abastecimento Farmacêutico). Mesmo que eu tome  amitriptilina,  fernegam e carbamazepina – para dormir e controlar meu humor inconstante – eles parecem não funcionar, porque tenho crises em que não consigo controlar meus pensamentos e meus impulsos autodestrutivos como fortes ideações suicidas, mutilações e pensamentos distorcidos sobre tudo, todos e sobre mim.

Atualmente ando me sentindo muito bem e confiante. Todavia, subitamente, sinto como se a atmosfera das coisas mudassem ao meu redor, é quase palpável, porque sinto medo e nervosismo caindo sobre meu cálido e eufórico corpo e mente. É como se eu estivesse num sonho, ou como se eu não tivesse controle total sobre meus sentimentos, ou como se eu tivesse altamente chapada de maconha – não fumo mais.  Eu fazia psicoterapia, mas deixei de ir a, aproximadamente, 2 meses, pois parecia que as consultas e minha vida estavam empacadas, embora minha psicóloga tenha me ajudado bastante desde então. Penso em procurar outra psicóloga e/ou psiquiatra, mas é difícil e demorado conseguir uma consulta que não seja paga.

Eu já tinha visto alguns artigos deste blog, porém não sabia que havia colaboradores. Sendo assim, venho pedir ajuda: Existe alguém que já se sentiu assim como eu, mas que hoje vive uma vida satisfatória, com boa carreira, bons amigos, faz viagens, etc. Se tem alguém assim, por favor, me ajude a enxergar oportunidades, além da morte que me assombra com o seu sopro de desesperança nesse mausoléu existencial.

Nota: pintura chamada “Angústia”, de Cristina Alquicira Palácios

18 comentários sobre “EU NÃO TENHO SONHOS!

  1. LuDiasBH Autor do post

    Talentosa Laura,

    Laura,

    Somos o que pensamos ser a partir do momento em que nos determinamos a buscar. O pensamento otimista é uma força poderosa a abrir caminhos e oportunidades, através de forças magnéticas que contagiam e faz acontecer. É simples assim, pense, busque, construa com o material que tiver…abra caminhos: trilhas…estradas e chegará. Acredite!

    Grande abraço,

    Messias

    Responder
  2. Edward Chaddad

    LAURA

    SONHAR É PRECISO!

    A vida é uma travessia. Iremos sentir medo, sustos, não entendendo os fatos que estão acontecendo, porém, mesmo diante do quadro negro que em algum momento vislumbramos, temos que ter esperança. Temos que sonhar. Os medicamentos ajudam, é claro. Mas a reflexão é também importante, máxime quando percebi, pelo seu relato, que você possui esta maravilhosa capacidade.

    Sou um homem idoso. Estou chegando aos 75 anos de idade. A dificuldade de viver, nesta idade, é muito grande, mas há uma coisa importante, que só o viver nos lega: a experiência da vida. A vida, repito, é uma travessia. E mesmo que o caminho seja espinhoso, com muitas pedras a serem removidas, devemos sempre caminhar, contemplando o nosso entorno.

    Você parou um instante para observar? Veja, há um mundo maravilhoso. E Deus concedeu ao ser humano a incrível capacidade dos sentidos. Podemos ver colorido – o que é privilégio humano, a maravilha da natureza, florestas, lagos, mares, os animais, o por do sol, as estrelas, a lua. Podemos correr, respirar, sentir o odor das flores, ouvir músicas e o cantar dos pássaros, admirar pinturas, ler livros magníficos, saborear os alimentos. E o melhor de tudo: podemos pensar, aprender, raciocinar, criar, inovar, ter sentimentos. E o mais importante: podemos amar.

    A vida nos dá coisas lindas e você não as pode desperdiçar no esplendor de seus vinte anos. É certo que, nesta travessia, nem todos contam com o potencial completo que o ser humano normalmente possui. E mesmo aquele que tenha nascido em berço de ouro, torna-se muito difícil enfrentar as tempestades da vida, períodos de sofrimento, a escassez dos sentidos, principalmente a exclusão física dos atributos do ser humano.

    Meu saudoso avô, João Baptista Pimentel, na sua mocidade, infelizmente, sofreu com um câncer na garganta e teve que extrair as cordas vocais.
    A sua expressão verbal era a sua alma. E, de repente, não podia mais falar. Só escrever. E assim nasceu J.Triste, o cognome do meu avô poeta, que escreveu centenas e centenas de poesias e textos, publicando-os no jornal semanário de Rio Claro. Foi reconhecido naquela cidade, que passou a chamá-lo de “poeta de Rio Claro”. Um de seus textos, transcrevo-o aqui, para que perceba o quanto difícil é alguém perder a capacidade de falar. Porém, ele venceu a deficiência, com muita força e galhardia:

    “É DA VIDA

    Meu amigo, não desanime. Só aquele que tem sofrido mal físico e que já se acostumou com o sofrimento é que está habilitado a animar, dar conselhos e consolar a outrem, que também, fisicamente, começa a entrar para o rol dos sofredores neste mundo, nesta obra monumental e perfeita de Deus que, infelizmente, dá abrigo a uma humanidade imperfeita.

    O mal não é do mundo, mas sim dos homens que fingem, descaradamente, crer no poder do Criador Eterno, julgando ludibriá-lo. Mas você, meu amigo, é compreensivo, desprendido das coisas terrenas e crê em Deus e, por isso, encontra, facilmente, força moral suficiente para rebater o seu grande mal físico, resignando-se com a vontade divina, tendo a fé como esperança e esta como bálsamo mitigador.

    E o mal físico, por maior que seja, é sempre menor do que o moral. Dói-nos mais este, que é incurável, do que aquele que, conforme a sua natureza, quase sempre tem cura. E, por isso, meu amigo, você não deve se afligir, confiando sempre no poder de Deus, que é infinito e que lhe dará forças precisas para que possa resignar, aconteça o que acontecer. Mire-se neste espelho que sou eu…e então…

    Para alguns, a estadia na terra é curta e sem males, enquanto que para outros é longa e sofredora! Entretanto, quem não sofre… não vive. Por isso que o sofrimento, seja ele qual for – seja qual for a sua extensão – faz parte integrante da vida.”

    Autor – J.Triste ( João Baptista Pimentel )
    Publicado no livro Simplicidade ( 1957)”

    Espero que você, cara jovem, reflita e entenda que tem tudo para ter uma vida maravilhosa e não a pode desperdiçar sem enfrentar seus medos e pensar em um objetivo, seja lá qual for. Como disse meu avô: “e, por isso, meu amigo, você não deve se afligir, confiando sempre no poder de Deus, que é infinito e que lhe dará forças precisas para que possa resignar, aconteça o que acontecer.”

    Laura, tenha força e, com Deus no coração, siga o seu caminhar, sua travessia na vida, com sonhos, muitos sonhos. Tenho a certeza que será feliz.

    Responder
  3. Josi

    Laura
    Querida, gostaria de ter as palavras certas e até mesmo poder tocar sua alma e retirar a angústia, confusão e tudo de ruim que possa ter tomado conta do seu ser. Nós que frequentemente estamos aqui no blog, sabemos bem o que é sentir certas coisas e, às vezes, também não sentir nada. O que posso dizer hoje pra você é: Não desista!

    Grande abraço!

    Responder
    1. Laura Alencar

      Josi
      Eu entendo como é difícil encontrar palavras. Mas as boa intenção é o desejo de me ajudar, já valem muito.

      Obrigada, de coração.

      Responder
  4. Ana Maria Autor do post

    Laura,
    sei que nesse momento de sofrimento parece que nada tem brilho, tem graça e o tempo parece congelado. Muitas vezes nos sentimos sozinhos, porque as pessoas ao nosso redor não nos entendem, mas aqui nós te entendemos, sentimos na pele esse anseio de tomar uma atitude drástica. Só não fazemos isso, porque a vida é um presente, por mais que no momento de dor não vejamos isso.

    Amiga, enquanto estamos vivos, sempre teremos chances de ir à luta! Parabéns pela sua forma de escrever, você expressou tais sentimentos de uma maneira que poucas pessoas saberiam. Conte conosco!

    Um abraço.

    Responder
  5. Ana Maria

    Olá, Laura!

    Minha querida, fiquei impressionada com o seu relato. Tão novinha e passando por tudo isso!

    Eu sofro de SP desde dezembro de 2013, mas fui diagnosticada somente em maio deste ano, quando à síndrome se juntou a Agorafobia. Foi um caminho torturante, quando iniciei o tratamento, sendo uma batalha enorme para não cair no fundo do poço a qualquer momento!

    Eu tenho 26 anos e iniciei a faculdade com 23. Encontrei o que eu queria, porém as dificuldades financeiras, emocionais e o transtorno, estão alongando o meu tempo para me formar. Quando começo a me torturar, ao me comparar com os colegas e pessoas da família que obtiveram sucesso cedo, e me sinto atrasada, tento colocar na cabeça que todo ser humano é diferente e tem o seu tempo e dificuldades. Não sei se você segue alguma religião ou acredita na espiritualidade, mas, como eu vejo pouco o meu médico e sinto que ele não me ajuda muito, quando me vejo com essas reflexões paranoicas, procuro meditar e rezar. Isso me ajuda muito, pois consigo me concentrar no presente e não ficar pensando que “viver é uma luta”, quando estou no auge do sofrimento.

    Estamos aqui para ouvi-la e poder ajudar como pudermos. Quero continuar acompanhando você. Se quiser passo uns links com músicas para meditar, entre outras coisas. Mas não esqueça, você pode ir à luta mesmo que em passos lentos, encontrará o seu caminho. E ser POP é fundamental. Um abraço com carinho,

    Ana Maria

    Responder
    1. Laura Alencar

      Ana Maria

      Também tenho a mania de ficar me comparando com os outros. Mas é como você disse: todo ser humano é diferente. Eu agradeceria demais se você me mandar os links para meditar.

      E força para todos nós. 🙂

      Responder
      1. Ana Maria

        Olá, minha querida Laura!

        Espero que esteja bem melhor! Deixo logo abaixo dois links de canais no youtube que eu mais gosto e que me ajudaram de diversas formas.
        O primeiro link é da Escola Esotérica. Tem muitos vídeos bacanas de autoajuda, sobre como orar, meditar, controlar a ansiedade, acalmar a mente, entre outros assuntos muito interessantes.
        https://www.youtube.com/user/EscolaLuzDaLua

        O segundo link é um canal com diversos mantras, na descrição dos vídeos fala sobre cada um e no que eles irão nos ajudar. Os mantras são maravilhosos, escuto muito antes de dormir.
        https://www.youtube.com/user/17lovell

        Desejo um 2018 maravilhoso, com muita força, luz e paz, para você e para todos os nossos amiguinhos deste cantinho especial! E não se esqueça, ser POP é fundamental!

        Um abraço e um beijo!

        Responder
  6. Anna Paula

    Laura, bom-dia, amiga!

    Quero começar dizendo que você é uma ótima escritora, suas palavras são claríssimas e muito fortes.

    Na sociedade em que vivemos somos cada vez mais cobrados para termos sucesso, sermos os melhores. Mas a melhor coisa que podemos ser nesta vida é feliz. Procure algo que te realize como pessoa, muitas vezes pode não ser aquela ideia que enfiamos na cabeça, mas algo que pode parecer meio bobo mas que realmente nos faça feliz.

    No auge da minha doença tive alguns momentos em que achava que a morte era o que restava e aquilo que colocaria um ponto em tudo. Ledo engano, se você pede ajuda é porque ama sua vida e quer se sentir melhor e mais feliz. Perguntei à psiquiatra qual o sentido da vida e ela me disse que não tinha sentido nenhum, somos nós quem devemos dar sentido a ela. Na hora foi um choque ouvir isso, mas depois me fez pensar que eu era responsável pelo sentido da minha vida, apegando-me a pequenas coisas como sorrisos, dias de sol, abraços.

    Laura, não se cobre tanto, não crie expectativas exageradas, apenas tente deixar a vida fluir suavemente, vivendo um dia de cada vez e conte sempre conosco. Seja POP (paciente, otimista e persistente)!

    Responder
    1. Ana Maria

      Anna Paula

      Concordo com o que você disse. A sociedade nos impõe um padrão de sucesso na vida, muitas vezes baseado em ter bens materiais. Mas devemos nos perguntar, o que é ter sucesso na nossa vida? Isso só nós saberemos responder, não outras pessoas.

      Responder
    2. Laura Alencar

      Anna Paula

      Cada comentário me ajuda a perceber que não sou a única que passo por problemas que dificultam minha vida – rotina. Assim, vocês estão me ajudando a persistir. Muito obrigada!

      Responder
  7. Alessandro

    Olá, Laura!

    Comungo das palavras proferidas pela Lu. Você transmite sua história de uma forma requintada por meio da escrita. Seu relato é muito vívido e esclarecedor.

    Sabe, na sua idade tinha tais pensamentos desconexos e melancólicos como bem ditos pela Lu. Nesta fase o mundo se abre de uma forma muito bruta para o jovem e não são todos que estão preparados para desvincular-se da adolescência rumo à vida adulta repleta de responsabilidades.

    Ao me formar tardiamente aos 28 anos, vi que precisaria correr muito para alcançar o tempo que caminhou demais a minha frente. Foram longos anos perdidos, acreditando piamente que “minha estrela jamais brilharia” por ter optado por uma profissão onde muitos enxergam somente a sala de aula. Hoje sou um profissional realizado no meu trabalho e não por isso livre dos transtornos mentais que me torturam há mais de 5 meses. Mas esta é só mais uma barreira a suplantar e não vou jamais baixar as armas contra esta doença. Os medicamentos estão agindo a seu tempo. Meu organismo respondendo e aos poucos a “bagunça das minhas caixinhas mentais” estarão todas em ordem, enquanto a vida segue.

    Laura, fortaleça se no seu autoconhecimento, busque se compreender e acreditar que nesta vida tudo vem a seu tempo. Sua melhora virá. Seus dias mais coloridos como céu de brigadeiro se abrirão com toda certeza diante dos seus olhos. Você é jovem e tem uma vida toda pela frente. Apegue-se se à fé e ao seu tratamento especializado. E não pense que por estar usufruindo do SUS está aquém de outras pessoas que sofrem de dores como as suas. Nosso país é, mesmo com suas deficiências, exemplo de sistema único de saúde em todo o mundo, inclusive aberto para o tratamento de estrangeiros. Falo de SC e por aqui pelo menos o SUS é de dar inveja a muita rede privada.

    Melhoras, fique com Deus!

    Responder
  8. Adevaldo Rodrigues

    Amiguinha,
    Sei que você vai receber opinião de pessoas que passaram por problemas como o seu. Quero compartilhar com você sobre as preocupações que nos mutila:
    Técnicas básicas para evitar preocupação:
    1 – Obtenha todos os fatos;
    2- Considere todos os fatos e então chegue a uma decisão;
    3- Depois de tomar a decisão “aja”;
    4 – Escreva e responda as seguintes perguntas:
    a- Qual o problema?
    b- Quais são as causas do problema?
    c- Quais são as possíveis soluções?
    d- E por fim: Qual a melhor solução?

    Como eliminar o hábito da preocupação antes que ele elimine você:
    1- Mantenha-se ocupada;
    2- Não dê importância a ninharias;
    3- Use a lei da probabilidade para descartar a preocupação;
    4- Coopere com o inevitável;
    5- Descida quanta ansiedade merece um problema e negue-se a conceder-lhe mais;
    6- Não se preocupe com passado;
    7- Enriqueça sua mente com pensamentos positivos de paz, coragem, saúde e esperança.

    Um forte abraço,

    Adevaldo

    Responder
  9. LuDiasBH Autor do post

    Laura

    Você é ainda uma jovenzinha no despertar da vida. Um caminho infinito abre-se à sua frente com inúmeras possibilidades. A sensação de que não possui sonhos não passa de uma mera “impressão”. Eles apenas estão submersos na melancolia que ora toma conta de você. Nessa idade (acabando de sair da adolescência) a vida ainda se apresenta muito confusa, trazendo no seu bojo inúmeras interrogações. Não pense que isso acontece unicamente com você. Tudo, porém, haverá de se ajeitar com o tempo. A prova de que sonha encontra-se em suas palavras: “Minha sina é tão imprecisa. Tenho tanto medo de ficar acomodada, levando uma vida insignificante. ” Isso é sonho, minha amiguinha.

    Você é uma garota talentosa. Isto salta aos olhos. Não pense que o fato de ter estudado numa escola pública tenha embotado seu talento, qualquer que seja ele. Ao contrário. A escola pública apresenta-nos um mundo diversificado e enriquecedor, onde é possível conviver com as mais diferentes pessoas, tornando-nos aptos a melhor se adequar à chamada “aldeia global”. Grandes nomes das artes e da história de nosso país passaram pelos bancos da escola pública, nas mais variadas épocas. Eu tenho orgulho de ser produto desse meio. O talento independe disso. Ele aflora com grande força, assim como a semente que brota sem ter passado pela terra. As dificuldades não passam de substrato para o talento. Veja aqui mesmo no blog, na história dos pintores, como muitos vieram da pobreza. Só para citar um nome, Vincent van Gogh nasceu de uma família extremamente humilde, tendo dificuldades até para comprar tintas. Hoje, seus quadros são os mais caros da história da arte.

    Muitos aqui fazem tratamento pelo SUS. Eu sei o quanto é difícil, mas não desanime. Siga em frente, pois sempre há uma luz no final do túnel. Acredite nisto!

    Laura, posso lhe dizer que é uma escritora maravilhosa. Neste pequeno texto, você pôs para fora todo o seu talento. Você escreve muito bem, menina. Faça uso desse dom maravilhoso que está pedindo para vir à tona. Estou boquiaberta com a sua capacidade de escrever, que me lembra a nossa famosa escritora Clarice Lispector e a poetisa Hilda Hilts. Você é simplesmente fantástica! Será uma grande honra tê-la como colaboradora.

    Um grande abraço,

    Lu

    Responder
    1. Laura Alencar

      Lu

      Saber que você, e quem comentou, gostaram das minhas palavras. Isso me impulsiona a olhar para mim e me ver como uma pessoa capaz e talentosa.
      Muito obrigada, Lu! (Vou procurar ler Hilda Hilst e Clarice Lispector 😀 )

      Um forte abraço.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *