Fábula – A GATA TRANSFORMADA EM MULHER

Recontada por LuDiasBH

agatrem

Certo homem possuía uma gata bela, amorosa, dedicada e que jamais abandonava o lar. Se ela o amava, a ponto de dele não se desgrudar, ele a amava mais ainda. O certo é que tanta afetividade acabou transformando-se em paixão por parte do homem, que se via cada vez mais solitário, atento apenas à companhia de seu felino. E foi por isso que pediu à deusa Juno que o aliviasse de tamanho sofrimento, transformando sua gata numa esplendorosa mulher, com quem haveria de eternamente viver. E assim aconteceu.

A paixão entre o casal era cada vez mais ardente. Os dois amantes não se desgarravam um só minuto. Certa noite, porém, ambos acordaram com um barulho estranho no canto do quarto. A mulher, ao reconhecê-lo, pulou sobre o rato, que estava a revirar jornais. O roedor foi mais rápido e escafedeu-se por um buraco no canto da parede. Dois dias depois, sem ter noção do perigo que o aguardava, o animal voltou. Mas dessa vez, coitado, foi comido pela mulher, pois nem mesmo sua metamorfose foi capaz de subtrair seu instinto.

Reflexão
Muito se tem falado sobre a complexidade do ser humano. Ainda que a Ciência venha dando passos largos no sentindo de compreender a essência humana, vê-se que o páreo é duro. Para chegar à profundeza da alma é preciso passar por caminhos obscuros e muitas vezes insondáveis.  Ainda que por fora, o indivíduo revista-se de um belo e polido verniz, o seu âmago pode ser tão áspero quanto um punhado de pedregulho.

Ditos populares apregoam que “filho de peixe, peixinho é”,  ou, que “quem sai aos seus não se degenera”. Os exemplos estão aí para validar a sabedoria popular, contudo, há também exceções, ainda que raras. Os genes, na maioria das vezes, trabalham com o fator inato do comportamento humano, como visto na gata-mulher ou na mulher-gata de nossa fábula. Em assim sendo, ainda que por fora “seja bela viola”, certos tais não tardam em mostrar que “por dentro são pães bolorentos”.

Mais do que a genética herdada, o exemplo do comportamento moral que os pais repassam aos filhos faz toda a diferença. Mas muitas raposas chegam à velhice sem ter acrescido um cêntimo de honestidade e ética à própria vida, deixando para os netos e bisnetos uma herança podre, cheia de astúcia, e desprovida de qualquer tipo de sabedoria. E um bom exemplo disso pode ser visto no submundo da política, onde é possível encontrar ladineza até  mesmo em certos maiorais de cabelos brancos. Que Deus tenha piedade de nós, brasileiros!

Nota: imagem copiada de pt.wikipedia.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *