Fábula – A MOSCA INTROMETIDA

Recontada por LuDiasBH

amoint

O sol posiciona-se no meio de seu trajeto. Uma carruagem, puxada por quatro cavalos, para no meio da ladeira, em razão do peso excessivo. Apesar de todo o esforço dos animais, esses não conseguem puxar o coche.

Uma mosca, que por ali voa, resolve intrometer-se na cena. Pensando em ajudar os cavalos, pica todos eles. A seguir, ela pica os passageiros e o cocheiro. Como um homem desce, para diminuir o peso, a carruagem move-se.

A mosca não cabe em si de contentamento, zumbe para todos que o mérito é seu por tão grande façanha, pois enquanto trabalhava, sem receber nada, ali estavam eles parados. Se não fosse por ela, ainda estariam no mesmo lugar.

Reflexão
Existem indivíduos que se dão um mérito bem maior do que merecem. Intrometem-se onde não são chamados e ainda espalham que foram responsáveis por isso ou aquilo. Muitos apenas acercam-se do problema, apenas para ficarem cientes das causas, de modo a espalharem aos quatro ventos, e figurando como atores principais.

É fato que existem pessoas generosas e bem intencionadas que ajudam sem serem convocadas. E o fazem pela bondade imensa que carregam consigo. É possível ver isso, quando alguém passa mal na rua. Alguns passam, sem ao menos lançar um olhar à pobre vítima,  seguindo em frente, como se nada tivesse acontecido, enquanto outros são bem atenciosos.

Há também os ególatras, que direcionam os loiros de uma empreitada em conjunto, somente para si. A própria história da humanidade é responsável por isso, ao falar dos generais sem mencionar os soldados, ao falar das construtoras, sem mencionar os operários, ao citar certos nomes do esporte coletivo, esquecendo-se dos outros. Haja moscas!

2 comentários sobre “Fábula – A MOSCA INTROMETIDA

  1. Edward Chaddad

    O texto mostra com bastante propriedade o conteúdo da fábula. Realmente, o mais importante é buscarmos ajudar o próximo, por compaixão e solidariedade, mas nunca procurando os holofotes que nos mostrem como autores da boa ação que praticamos, para que, como a mosca da fábula, possamos aparecer e sermos admirados. No fundo é um trabalhar de nosso ego e da nossa vaidade. Alguém que pensa que fez muito, mas nada fez, torna-se motivo de caçoadas e chacotas, pelo ridículo a que se expôs. Infelizmente, muitas pessoas imitam a mosca da fábula, intrometendo-se onde não são chamadas, e procurando se passar por pessoas extraordinárias, o que infelizmente não são.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Edward

      Pessoas que agem como a mosca só o fazerm em prol do ego. É duro aturá-las. A simplicidade e o equilíbrio são a mola-mestra da vida.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *