Fábulas – CURTAS E RASTEIRAS (IX)

Recontadas por LuDiasBH

zebrin

  1. O Mosquito e o Touro

O mosquito, impressionado com a soberba do touro, que sempre se achava o tal, desafiou-o para uma competição. Tal fato ocasionou um alvoroço entre a bicharada ante a desproporção de tamanho e força entre ambos. Na data marcada, diante de uma enorme multidão de bichos, lá estava o touro à espera do mosquito. Ao chegar, o inseto tomou a palavra e dirigiu-se aos expectadores: “A presença do touro aqui indica que ele me considera igual a si. Portanto, já tive a minha vitória.”. Dizendo isso alçou voo, ridicularizando todos os que ali se encontravam.

Moral da história:
Aquele, que tem consciência de seu real merecimento, ainda que por pudor, deve evitar medir forças com quem quer que seja, principalmente com os insensatos.

  1. A Pulga e o Camelo

Andava a o camelo pelo deserto, quando uma pulga, vinda não se sabe de onde, empoleirou-se no alforje que ele carregava. Depois de um quilômetro de caminhada, ela assim falou no ouvido do camelídeo: “Vou sair daqui para descansá-lo, aliviando o peso que carrega.”. Ao que lhe respondeu o ruminante: “Agradeço sua cortesia, contudo, não senti seu peso em momento algum, pois nada acrescentou ou diminuiu à minha carga.”.

Moral da história:
Aquele, que não tem conhecimento de sua real insignificância, acaba passando por tolo.

  1. A Rã e os Dois Touros

À distância, uma rã observava a briga entre dois touros, exalando profundos suspiros. Uma amiga, que a seu lado encontrava-se, quis saber o porquê de tamanho sentimento, uma vez que nada tinham com aquilo. Ao que a rã suspirosa respondeu: “Embora a distância entre nós e eles seja grande, o vencido será expulso e virá para cá. Suas pastas esmagarão muitas de nós. E nosso sossego terá chegado ao fim.”.

Moral da história:
Quando os maiorais brigam, os pobres é quem leva a pior.

  1. O Sábio e sua Pequena Casa

Um velho sábio habitava na entrada de uma floresta. De uma feita, estava ele tratando de um animalzinho ferido, quando bateram à porta de sua cabana. Eram dez homens, muito bem vestidos, que fugiam de um temporal. Como a cabana era muito pequena, três deles ficaram do lado de fora. O mais velho perguntou ao sábio: “Ao construir tua pequena morada, não pensaste nos amigos?”. Ao que lhe respondeu o anfitrião: “Os amigos que tenho jamais a encheriam.”.

Moral da história:
Os amigos verdadeiros e fieis contam-se, no máximo, nos dedos de uma mão.

  1. O Burro e os Tambores

Um burro trabalhava desde o amanhecer ao pôr-do-sol, sem que nenhuma compaixão recebesse de seu dono. Toda noite punha-se em oração, pedindo a presença da morte para libertá-lo de tanta judiação. E um dia, depois de levar muitas pancadas, morreu o animal. Sua pele foi retirada e usada para fazer tambores.

Moral da história:
Existe sofrimento, que parece não cessar, nem mesmo com a presença da morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *