Fábulas – CURTAS E RASTEIRAS (VIII)

Recontadas por LuDiasBH

macarind

  1. As Árvores e o Machado

Um camponês foi ao mercado e comprou um machado. Sem saber que tipo de madeira empregar para fazer um cabo forte para sua ferramenta, foi pedir conselhos às árvores. Elas lhe indicaram a oliveira brava. Mas o homem, assim que viu completo o machado, pôs-se a derrubar tudo o que encontrava pela frente. Um carvalho agonizante falou para uma mangueira: “Somos o culpado pelo que nos acontece, pois fornecemos munição para o nosso pior inimigo.”.

Moral da história:
É preciso cuidado para não ser de utilidade para o inimigo, a fim de que ele não use a ajuda recebida, para arquitetar a desgraça de quem o socorreu.

  1. O Ventre, as Mãos e os Pés

As mãos e os pés rebelaram-se contra o ventre. Achavam que dele eram os criados, sempre a satisfazê-lo quando pedia alimento. Por isso, quando o ventre sentiu fome, nem um deles se mexeu, fazendo ouvidos de mercador. Cansado, o ventre deu-se por vencido, mas seu jejum acabou por enfraquecer todos os membros. Quando os pés e as mãos viram que se encontravam no mesmo barco, e quiseram reverter a situação, não mais tinham forças para agir. Acabaram morrendo todos.

Moral da história:
Numa sociedade, todos deveriam ser iguais, pois a vida de uns está atrelada à de outros.

  1. O Reino dos Macacos

Dois homens, um mentiroso e outro verdadeiro, perdidos na mata, acabaram por chegar ao reino dos símios. Imediatamente eles foram chamado à presença do chefe, que lhes perguntou: “Quem sou eu?”. O mentiroso pôs-se a falar que ele era um famoso imperador e, que tinha a seu lado os membros de sua augusta corte. Na sua vez, o homem verdadeiro disse que todos ali eram unicamente macacos. Enquanto o mentiroso foi recompensado, o homem verdadeiro acabou morto a dentadas.

Moral da história:
Para salvar a própria pele é preciso agir de acordo com os recursos disponíveis, até mesmo abrindo mão da verdade.

  1. A Cegonha, o Ganso e o Gavião

Estava o ganso a mergulhar-se numa lagoa, quando foi interrogado por uma cegonha, que queria saber o motivo pelo qual ele exercia aquela atividade. Respondeu-lhe o ganso que procurava alimentos no lodo e, daquele modo, também evitava ataques de gavião. Ela lhe disse então que não mais se preocupasse, pois doravante seria sua protetora. E assim foi o ganso para o campo, em busca de comida. Eis que aparece um gavião e o alça pelos ares. De lá de cima, ele gritou para a cegonha: “Que babaca fui, pois quem tem padrinho fraco acaba sempre na pior.”.

Moral da história:
Quem quer proteger alguém, deve ter reais condições para tanto, caso contrário mete o inocente numa situação desastrosa.

  1. O Burro e o Cavalo

O cavalo empanturrava-se num monte de cevada. Um burro faminto, que por ali passava, pediu-lhe um punhado de grãos. O cavalo disse que lhe daria de bom grado, até mesmo um cesto cheio, mas quando ambos chegassem à cocheira. Ao que o burro respondeu-lhe: “Se por um punhado à toa tu dizes não, como poderei esperar algo maior, mais à frente?”. E seguiu caminho afora com a barriga roncando de fome.

Moral da história:
Tolo é aquele que acredita em quem oferece muito, mas nega o pouco, pois não tem intenção de dar coisa alguma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *