Fábulas – CURTAS E RASTEIRAS (XI)

Recontadas por LuDiasBH

burrin

  1. A Porca e o Credor

Certo homem foi cobrar o que lhe devia um lavrador. Mas esse não tinha o dinheiro para saldar a dívida. Diante das ameaças, o pobre coitado optou por vender sua única porca a um vizinho. Quando o comprador pediu informações sobre a fecundidade do animal, o vendedor disse-lhe que ela era tão fecunda que produzia machos no inverno e fêmeas no verão. E o credor, a fim de receber logo o dinheiro que lhe era devido, acrescentou que em certa época do ano ela gerava belos cabritos.

Moral da história
Muitos, em seu próprio favor, são capazes das mentiras mais absurdas.

  1. O Galo e o Gato

Viviam há muito tempo, no mesmo quintal, um galo e um gato. O último, certo dia, quis devorar o galo, mas era preciso apresentar um bom motivo. Primeiro acusou-o de fazer barulho ao amanhecer, não deixando os homens dormirem. A ave respondeu-lhe que, se assim agia, era para acordar os trabalhadores para o serviço. Então o felino acusou-o de incesto, ao acasalar-se com sua mãe e irmãs. O galo rebateu dizendo-lhe que assim agia para gerar mais ovos para seu dono. E nesse bate e rebate passou-se um bom tempo. Cansado, o gato revelou-se: “Enquanto você me dá boas respostas, minha barriga ronca.”. E devorou a inocente ave.

Moral da história
Na falta de pretextos, o indivíduo de índole ruim age abertamente, sem qualquer escrúpulo.

  1. O Gato e as Galinhas

Espalhou-se por toda a região que as galinhas de certo galinheiro encontravam-se doentes, mas nada que fosse muito grave. O esperto gato do vizinho achou que era a hora de papar algumas delas. Mascarou-se de médico, usando uma calcinha branca da dona, e lá se foi consultar as penosas. Ao pedir que elas contassem como se sentiam, responderem as aves em uníssono: “Estamos em perfeita saúde, e melhor estaremos quando daqui tu te afastares.”.

Moral da história
Os astuciosos acabam sempre desmascarados, mais cedo ou mais tarde.

  1. A Cabra e o Pastor

Cuidava um pastor de suas cabras, numa tarde de muito calor.  O moço encontrava-se afadigado, ao recolher os animais do pasto. Uma das cabras, porém, vendo uns matinhos tenros, ficou para trás. O pastor, impaciente, jogou-lhe uma pedra, que acertou seu chifre, quebrando-o. Desesperado, o rapaz suplicava ao caprino que não o denunciasse ao dono. Ao que a cabra respondeu-lhe: “Amigo, como posso esconder tal feito, se todos enxergarão que o meu chifre foi quebrado.”.

Moral da história
É impossível esconder a maldade, quando ela salta aos olhos.

  1. O Jumento e a Cabra

Certa cabra, achando que o patrão tratava melhor seu burro do que ela, resolveu vingar-se dele. Pôs na cabeça do mulo que, se ele não diminuísse seu trabalho, iria ficar muito doente. E que o melhor seria cair num buraco, ainda que machucasse as pernas, pois, pelo menos, teria alguns dias de descanso. E assim foi feito. O veterinário, no entanto, achou que o animal ficara muito machucado, e recomendou que o amo desse-lhe uma infusão com o pulmão de uma cabra.

Moral da história
A maldade acaba sempre voltando para quem a comete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *