Fábulas – CURTAS E RASTEIRAS (XVIII)

Recontadas por LuDiasBH

gacao

  1. Os Cães, os Gatos e o Fazendeiro

Certo fazendeiro, muito fanfarrão, prometeu que, ao casar sua única filha, faria a maior festa das redondezas, com duração de trinta dias. E foi assim que ele e seus convidados comeram todos os cordeiros, e depois as cabras e os bois, até mesmo os que o ajudavam na lavoura. Seus gatos e cães, pressentindo o perigo, resolveram sumir no mundo, pois, se ele não poupara nem mesmo os bois, que trabalhavam na lavoura, quanto mais eles…

Moral da história
Todo cuidado é pouco com aqueles que maltratam até mesmo quem os ajuda.

  1. O Fazendeiro e a Serpente

Uma serpente estava a tomar sol sobre um rochedo, quando sentiu um forte peso sobre seu corpo. Num rápido movimento, ela acabou picando o filho do fazendeiro, que morreu dois dias depois. O pai do garoto montou guarda no lugar, esperando que a víbora aparecesse. Ao vê-la, tentou golpeá-la com seu machado, mas ela foi mais esperta, ficando apenas a rocha fendida. Vendo que era melhor tê-la como amiga do que inimiga, o homem convidou-a para reatarem amizade. Ela, porém, disse-lhe que a sepultura de seu filho e a marca na rocha seriam sempre uma lembrança viva da vingança existente entre eles.

Moral da história
Existem cicatrizes que são como um vaso de porcelana remendado, cujas marcas estarão sempre visíveis.

  1. A Viúva e o Curandeiro

Ao cair-lhe suco de urtiga nos olhos, uma viúva pediu a presença de um curandeiro, que os tapou com compressas de pepino, e pediu-lhe que assim ficasse por algumas horas. Enquanto isso, ele afanou todos os móveis. Levada ao delegado, sob a alegação de não pagar o serviço, ela lhe afirmou que ficara mais cega do que antes, pois não enxergava um só móvel dentro de sua casa. O homem da lei mandou seu oficial à casa da mulher, e esse chegou à conclusão de que ela fora roubada pelo mandingueiro, jogando-o no xadrez, depois de ele restituir os móveis.

Moral da história
O feitiço, na maioria das vezes, volta literalmente para o feiticeiro.

  1. A Fazendeira e as Galinhas

Certa fazendeira tinha cerca de uma dúzia de galinhas. Todos os dias, ela juntava os ovos para serem vendidos na feira do sábado, o que lhe garantia um bom dinheiro. Mas ela queria muito mais! Por isso, passou a dar milho para as galinhas várias vezes ao dia, para que em vez de um, botassem dois ovos. As penosas engordaram tanto, que nem mais botaram um ovo sequer.

Moral da história
A cupidez é uma péssima conselheira, pois quem tudo quer, tudo perde.

  1. O Veado e o Lobo

O veadinho chegara àquela mansão quando era uma coisinha de nada. Por ele tomara amor os mandantes da cidade. Com o tempo, acabou por absorver a empáfia da família, julgando-se superior a qualquer outro animal. De uma feita, passava um leão em frente à casa, e ele se pôs a debochar de sua juba eriçada. Chateado, o felino lembrou-lhe de que ele se valia do lugar onde se encontrava, e que fora dali não era nada.

Moral da história
O homem público vale-se do cargo, como se ali fosse permanecer toda a vida, sem se lembrar de que, ao deixá-lo, não passará de uma pessoa como outra qualquer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *