Giovanni Bellini – ALEGORIA SAGRADA

Autoria de LuDiasBH

alesa

A composição Alegoria Sagrada, também conhecida como  Alegoria do Purgatório, é uma obra do pintor italiano Giovanni Bellini.  É tida como uma das mais encantadoras pinturas do século XV, na Itália, tanto por sua beleza formal quanto pelo mistério em que se vê envolta. Até hoje, os estudiosos de arte ainda não foram capazes de obter, com clareza, sua data e significado. A obra tem recebido diferentes interpretações, dentre essas a de que alude a uma cena de sonho. Algumas figuras da composição foram identificadas, mas não se encontra nenhuma ligação entre elas. Vejamos:

  • a Virgem encontra-se  sentada em seu trono, à esquerda;
  • São Paulo, usando um manto vermelho, postado do outro lado da balaustrada, traz uma espada na mão;
  • São José, também do lado de fora do parapeito, encontra-se nele escorado, com as mãos em postura de oração;
  • São Sebastião, com seu corpo pálido e cabelos longos e cacheados, identificado pela flecha, encontra-se à direita, observando Jesus Menino que brinca com outras crianças;
  • São Jó está ao lado de São Sebastião, em postura de oração, adorando o Menino;
  • uma jovem mulher, de frente para o observador, usando um manto azul e uma coroa, em postura de oração, está perto da Virgem;
  • uma mulher de pé, usando um manto escuro, à direita da Virgem, parece acompanhar as brincadeiras das crianças;
  • quatro crianças, sendo três nuas, brincam com maçãs, no piso trabalhado em mármore, enquanto uma quarta segura um arbusto num vaso; o Menino Jesus seria a criança sentada na almofada;
  • à esquerda, fora da balaustrada, um homem de costas, com a cabeça coberta, parece estar ajoelhado em orações;
  • em meio às rochas, um pastor de camisa vermelha parece meditar;
  • mais ao longe são vistas outras três figuras e um jumento.

Do terraço avista-se uma paisagem, onde são vistas pessoas em sua labuta diária, assim como animais. A presença de um centauro, à direita, no mesmo plano do pastor, torna a identificação da obra ainda mais difícil. Esta obra complexa e carregada de simbolismo religioso também é vista por alguns, como sendo o seu primeiro plano a representação do Paraíso, assim definido:

  • as crianças representam as almas que deixaram o purgatório, após adquirirem a ingenuidade de antes;
  • a Virgem, tendo ao lado os santos: Paulo, Pedro, Sebastião e Tiago, reza pela salvação das almas que se encontram às margens do rio;
  • os animais são tidos como símbolos das virtudes, responsáveis por afastar a alma humana contra o poder do diabo;
  • os animais representam: o asno – a paciência; a ovelha – a humildade; a cabra – a abstinência;

No segundo plano são identificados:

  • o centauro, que simboliza a bestialidade presente na condição humana;
  • o negociante preocupado com o lado financeiro representa o homem que deixa de lado sua salvação espiritual em favor de bens materiais.

Obs.: As pequenas árvores, à direita, colocadas no alto, foram acrescidas  no século seguinte à execução da pintura.

Ficha técnica
Ano: c. 1490
Técnica: têmpera e óleo sobre madeira
Dimensões: 73 x 119 cm
Localização: Galleria deglu Uffizi, Florença, Itália

Fontes de pesquisa
A Enciclopédia dos Museus/ Mirador
Giovanni Bellinni/ Abril Cultural
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *