Goya – SUA VIDA PESSOAL

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH esposa de goya

Goya casou-se aos 27 anos, em Madri, com María Joseja Bayeu, irmã de seu amigo e mestre Francisco Bayeu. No ano seguinte, em Zaragoza, nasceu o primeiro rebento do casal, Antonio Juan Ramón. E um ano depois, mudou-se para Madri com sua esposa e filho, indo morar na residência do cunhado Francisco. Eusébio Ramón, o segundo filho do casal, morreu logo depois de ser batizado. E, para infelicidade de Goya e María Josefa, os outros três filhos: Vicente Anastacio, María del Pilar, Dionisia e Francisco de Paula Antonio Benito tiveram o mesmo fim do segundo irmão.

Apesar das tragédias sucessivas em relação à morte dos filhos, Goya e sua esposa começaram a melhorar de vida, a ponto de poderem mudar para uma casa alugada. Mas aos 32 anos, Goya apresentou os primeiros sinais de uma estranha doença que viria a deixá-lo surdo. Após vencer um concurso para decorar o retábulo de uma importante igreja em Madri, o pintor recebeu a triste notícia da morte do pai. E logo depois morreria sua filha Hermenegilda Franscica Paula, antes mesmo de ser batizada, fatos que lhe trouxeram uma grande tristeza. Dois anos depois, nasceria Francisco Javier Pedro, acabando com o infortúnio do casal.

 A doença que levou Goya à surdez, não foi identificada na época, mas estudos posteriores levaram a crer que ele fora acometido pela sífilis, mas atualmente acredita-se que se tratava de saturnismo, ou seja, uma intoxicação causada pelos sais de chumbo das pinturas.

 Goya pintou retratos para os duques de Alba. Quando a duquesa Caetana de Alba ficou viúva, ele se mostrou apaixonado por ela. Um mês após a morte do marido, passou com a duquesa uma longa temporada. Alguns acreditam que ela foi modelo de um de seus quadros mais famosos: A Maja Nua. Quando estava com 61 anos de idade, morreu sua esposa Josefa Bayeu. Para ser governanta do filho foi contratada Leocadia Zorilla de Weiss, que havia sido abandonada pelo marido e denunciada como “infiel” e outras depreciações. Ela se tornou amante de Goya, vindo a ter com ele Rosario Weiss, futura pintora.

 Ao sentir que o rei Fernando VII, as autoridades civis e as chamadas Juntas da Fé estavam perseguindo os liberais, Goya, acompanhado de Leocadia, Rosario e um filho posterior de Leocadia, viajou, sob autorização do rei, para um balneário na França, sob o pretexto de melhorar sua saúde. Mas ele foi para Bordéus, França, onde se exilou voluntariamente. Faleceu aos 82 anos. Seu amigo Moratin fala sobre sua chegada à França:

 “Goya chegou surdo, velho, desajeitado e fraco, sem saber uma palavra em francês e sem nenhum serviçal, mas contentíssimo e ansioso para ver o mundo.”.

 Nota:  o retrato de sua esposa María Joseja Bayeu ilustra o texto.

 Fontes de pesquisa
Goya/ Abril Coleções
Goya/ Coleção Folha
Goya/ Editora Manole Ltda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *