HARRY POTTER – PRODÍGIO CONTEMPORÂNEO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Postado por LuDiasBH

hapo  hapo a

Embora muitos tenham decretado o fim da era dos livros impressos, ainda não chegamos isso, graças a Deus, para a alegria dos leitores, que fazem questão de manuseá-los.

Para provar que os livros impressos continuam firmes e fortes, está aí Harry Potter, série de aventuras fantásticas, cuja autora vende livros a rodo. A série é, sem dúvida, o maior prodígio do mundo contemporâneo, mesmo sendo escrita com a antiga tecnologia da tinta preta sobre o papel branco.

 J.K. Rowling, britânica que passou por muitas dificuldades antes de atingir o sucesso como escritora, é a responsável por sete livros da famosa e premiada série Harry Porter e de três pequenos livros relacionados a Harry Potter. Ela é hoje a mulher mais rica na história da literatura. O livro mais vendido da série foi Harry Potter e a Pedra Filosofal.

A maioria da narrativa da série passa na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, com destaque para o combate que se trava entre Harry Potter e o bruxo do Mal, Lord Voldemort. Temas como amizade, coragem, responsabilidade, ambição, escolhas, preconceito, crescimento, responsabilidade moral e as complexidades sobre a vida e a morte são explorados na temática. O cenário é um mundo mágico com seus próprios habitantes e modo de viver.

Os sete livros deram origem a oito filmes de grande bilheteria, com o último, Harry Potter e as Relíquias da Morte, sendo dividido em duas partes: uma lançada em Novembro de 2010 e a outra com lançamento para Julho de 2011, que finalizará a saga do menino feiticeiro.

Diversas opiniões tentam explicar o sucesso da série. Alguns dizem que a autora conseguiu repassar para seus livros os valores que definem a nova geração de nossa época: tecnologia, diversidade, conhecimento, família, ética e globalização, misturando o racional ao sobrenatural. Outros avaliam que, através do cinema, os jovens têm a oportunidade de confrontar a si mesmos. O fato é que, quer como a série mais famosa do cinema, ou como a série infanto-juvenil de livros mais vendidos, Harry Porter agrega em torno de si uma legião de fãs que cresce mais e mais, levando valores e posturas aos jovens de hoje.

Os livros de Rowling, publicados nos anos de 1997 até 2007, já foram traduzidos em 69 idiomas e venderam quatrocentos milhões de exemplares. Comprovadamente é a série infanto-juvenil mais vendida em toda a história. E já é a franquia com maior êxito em toda a história do cinema.

Se toda a unanimidade é burra, como dizia Nélson Rodrigues, em uma de suas frases de efeito, Harry Porter também possui afetos e desafetos. O psicólogo Robin Rosenberg assim se coloca: J.K. Rowling cria um mundo completo. Ela fornece a seus fãs a possibilidade de unir suas imaginações à dela e viver nesse mundo fantástico.

O crítico americano Harold Bloom, ao contrário, acha a série perniciosa: Trata-se de subliteratura, um catálogo de lugares comuns. Os livros e os filmes induzem o jovem a acreditar em bobagens como magia negra e superstição e que sua vida pode mudar com uma varinha de condão. O que eles precisam é de ler os clássicos da literatura fantástica. Enquanto Ari Armstrong, cientista político americano, afirma: A obra de Rowling é um recado forte de que uma vida virtuosa vale a pena.

A crítica A. S. Byatt fala sobre a série: Uma colcha de retalhos inteligente de idéias recolhidas de todo o tipos de literatura infantil […], escrita para pessoas cuja imaginação está confinada aos desenhos animados da TV, e aos exagerados […] mundos-espelho das novelas, reality shows e fofoca de celebridades.

O Vaticano, por sua vez, em 2003 condenou a série, afirmando que: Sua sedução sutil poderia abalar a alma da cristandade antes que ela pudesse se desenvolver apropriadamente. mas, em 2009, mudou seu parecer: Harry Porter prega valores como a amizade, altruísmo, lealdade e autossacrifício

No novo livro e novo filme, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1, o bruxo mirim encontra-se com dois baitas problemas: a perda de seu querido mestre Dumbledore e a perseguição de Lord Voldmort e os Comensais da Morte. Isso porque o pequeno órfão, escolhido pelas fortes forças da magia com a finalidade de salvar o mundo do Mal, ao completar 17 anos e entrando na idade adulta, é privado da proteção que tinha, quando era mais novo. Suas únicas armas serão a inteligência e a ajuda de seus grandes amigos Hermione e Ron.

Alguns críticos torcem o nariz para o sétimo filme da série, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1, a ponto de achar que o fôlego criativo do diretor está se esgotando. Alegam que é um filme esticado, dispersivo e sem ritmo. Trocando em miúdos, só faz encher linguiça e não vêem razão para dividir o livro em dois filmes. De modo que se situa bem longe da criatividade vista em O Prisioneiro de Azkaban, O Cálice de Fogo e O Enigma do Príncipe.

As 7 lições de Harry Potter
1. Agir com ética.
2. Adquirir conhecimento.
3. Lidar com a diversidade.
. Usar tecnologia.
5. Reconstruiu a família.
6. Administrar a globalização.
7. Desenvolver a paciência.

Sinopse dos livros da saga:
Harry Potter e a Pedra Filosofal – A saga inicial traz um menino ingênuo que não entende as coisas estranhas que acontecem a sua volta. Tudo muda quando ele recebe a carta-convite da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. É na escola que ele descobre a sua fama como o “menino que sobreviveu”. Harry ficou vivo após o ataque de Lord Voldemort, seu principal inimigo.

Harry Potter e a Câmara Secreta – Harry surpreende os amigos Ron e Hermione ao demonstrar sua capacidade de falar com cobras. Segundo uma antiga lenda, o herdeiro de Salazar Sonserina abriria a câmara secreta para libertar o mortal basilisco, monstro que é misto de serpente e galo. A trama se desenrola com Harry tentando provar que não controla a serpente assassina e tentando descobrir o verdadeiro responsável por abrir a câmara.

Harry Potter e o Cálice de Fogo – Harry participa do famoso torneio tribruxo, que reúne escolas de magia de outros países, e acaba por ver renascer e enfrentar o seu pior inimigo, Lord Voldemort. E o pior: ninguém parece acreditar no que Harry Potter diz. O herói passa, neste livro, por uma crise de credibilidade.

Harry Potter e o Enigma do Príncipe – O livro traz, ao mesmo tempo, tristeza para os fãs da série que perdem um de seus personagens favoritos, e também uma boa dose de suspense com o enigma, o qual é resolvido parcialmente no livro, deixando boa parte das respostas para o último livro.

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban – A história é uma das mais bem amarradas de toda a saga. Harry consegue respostas sobre os seus pais e seu passado, além de revelações importantes para a compreensão dos próximos livros.

Harry Potter e a Ordem da Fênix – a saga caminha para o final, e Harry descobre que seu nome está envolvido em uma antiga profecia. O bruxo começa a enfrentar problemas por conta de sua cicatriz em formato de raio. O leitor se dá conta que há muito mais semelhanças entre Harry e Voldemort. O livro traz duelos mágicos entre a “ordem” e os comensais da morte. As brigas tomam uma proporção nunca vista antes nos outros livros.

Harry Potter e as Relíquias da Morte – As respostas que Harry buscava por toda a série são respondidas, além de uma batalha final com Lorde Voldemort que acaba por envolver todos seus amigos de Hogwarts.

Fontes de Pesquisa
Revista Época de 15 de novembro/2010

Revista Veja de 24 de novembro/2010
Wikipédia
http://www.abril.com.br/noticia/diversao/no_292574.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *