ÍNDIA – DIWALI: A FESTA DAS LUZES

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

dialind

O Diwali é um festival, originalmente hindu, com muita simbologia difícil de ser explicada, portanto, para facilitar, é sintetizado como a Festa das Luzes. Seu significado metafórico é o da iluminação da alma e da mente, de maneira que o mal e a ignorância sejam banidos da vida de cada um. A origem do Diwali é bem remota. Segundo alguns historiadores, esse festival nasceu na Índia antiga, na época das grandes colheitas. Outros acreditam que seja a celebração da união entre Visnhu e Lakshmi.  Os inúmeros significados chegam a variar de região por região, de acordo com suas lendas. O Diwali, também conhecido por Deepvwali, é celebrado pelos indianos que vivem fora do país. É festejado em outras religiões como o Jainismo, o Sikhismo e o Budismo e em outros países, como no Nepal.

As casas são esmeradamente limpas, recebendo muitas luzes e incenso, ficando maravilhosamente iluminadas. São limpas e decoradas para o dia e iluminadas à noite com lamparinas de óleo. Familiares e amigos trocam presentes e doces. Em toda a Índia há fogos de artifício e muita festa.As luzes e as lâmpadas significam a vitória do mal sobre o bem, dentro de cada ser humano. Esse festival traz a unidade entre as famílias e as pessoas de modo geral (Pelo menos enquanto dura!). Toda a inimizade é esquecida. As pessoas abraçam-se umas às outras, cheias de amor. Dizem que as vibrações produzidas pelo Diwali, que enchem a atmosfera, são poderosas o suficiente para produzir mudanças no coração de todo homem e toda mulher neste mundo. Nesse dia, os hindus do norte da Índia abrem seus livros de contas e rezam pedindo sucesso e prosperidade para o ano que está chegando. Todos esperam que a plenitude da iluminação interior seja realizada. E que a suprema luz das luzes ilumine o entendimento de cada um, assim como possa adquirir a saúde espiritual e que haja prosperidade tanto no plano material quanto no espiritual.

O Festival das Luzes de Lakshmi homenageia a deusa Lakshmi como esposa de Vishnu, o sustentador do universo para os hindus. Marca também o início de um novo ano. Muitos acreditam que, nesse período, a deusa Lakshmi traz prosperidade ao mundo todo. Nessas noites, as esposas hindus dançam, em particular, para seus maridos. Lanternas de óleo são acesas por toda parte e pratos típicos são servidos. É uma temporada de boa sorte e prosperidade. Celebrado uma vez ao ano, no festival, as pessoas devem usar roupas novas, dividir os doces e estourar rojões e fogos de artifício, comemorando a destruição das forças do mal. O povo comemora com entusiasmo e alegria o poder dos deuses. A Índia fica toda iluminada com luzes que representam o bem vencendo as trevas.

Cada dia do Festival de Luzes possui uma celebração com um significado diferente. Os lares são iluminados com o maior número de luzes possível, rescendem a insenso, enquanto fogos de artifício iluminam os céus por todos os lados, com o intuito de agradecer e continuar recebendo prosperidade, sabedoria, saúde, paz e riqueza. É um festival de iluminação e de renovação, pois os hindus acreditam que, nessa festa, o poder divino supera a escuridão do mundo terreno. O Diwali é uma das principais festas do festival hindu, comemorado uma vez por ano. Tem a duração de cinco dias contínuos, onde há troca de doces e presentes, entre as pessoas. Assim se distribui durante os cinco dias:

1º dia – são feitas orações à deusa Lakshmi para pedir prosperidade no novo ano, que ora se inicia. Esse dia é muito importante para os comerciantes e empresários.

2º dia – fogos de artifícios existem, mas não em grande quantidade. Pujas (procedimentos de reverência à deidade) são feitas e, através delas, comunica-se espiritualmente o desejo de uma pessoa à deidade, na esperança que o mesmo seja cumprido. De modo que, se uma pessoa não puder ir fisicamente a um templo, ela poderá escolher alguém da sua confiança  para o oferecimento do seu Puja.

3º dia – é o principal dia, quando a dona da casa desenha o rangoli (um desenho feito na entrada da casa). Acendem-se velas por todos os cantos da casa, de modo que lugar algum fique escuro. Depois é feito o Puja direcionado à deusa Laksmi (ou Laxmi). Logo a seguir vem a explosão de fogos de artifício nas ruas, acompanhado do alarido das pessoas.

4º dia – é o dia do Gudi Padwa que simboliza o amor entre a esposa e o marido. Há uma refeição especial, onde presentes são trocados.

5º dia – é tido como o dia do irmão. As irmãs fazem um Puja para a segurança e saúde desse. E ele faz uma marca na testa delas, como símbolo de saúde e felicidade.

Mais uma vez deparamos com a controvérsia. Alguns dizem que os fogos funcionam como uma espécie de aviso aos deuses, para que saibam que o seu povo está muito feliz. Outros dizem que a fumaça tem a função de matar os variados tipos de insetos, que infestam a Índia, depois das monções.

O Diwali representa quatro dias da mais pura festividade, em que o perdão é amplamente concedido entre as pessoas. O clima da festa deve ser o de harmonia e amizade. Oportunidade em que os indivíduos misturam-se sem preconceitos. Pena que este estado de sabedoria dure apenas cinco dias. E depois, tudo volta a ser como dantes, no quartel de Abrantes. Ao apagarem a luz exterior, também apagam a luz interior, deixando o coração cheio de preconceitos, ganância e superioridade. ULUCAPATÁ!

Nota: Imagem copiada de http://www.investmentkit.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *