MANTEIGA DERRETIDA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

manre

Existe coisa mais chata do que criança mimada excessivamente, que chora por qualquer coisa? As lágrimas já ficam ali, escondidinhas nos cantos dos olhos, prestes a desabar. Em hipótese alguma aceitam a palavra “não”, e pensam que tudo e todos estão a seu dispor. Mas minha raiva maior é dos pais, pois esses anjinhos chorões, pequeninos rebentos, vão amargar um futuro desastroso no contato com o mundo real, enchendo as burras dos terapeutas.

A minha priminha Juju é uma manteiga-derretida “hors-concours”. Se cisma que alguém olhou para ela de um jeito meio enviesado, corre para os braços da mãe ou do pai, fazendo o maior berreiro, quando não quebra tudo que encontra. Até as coleguinhas vêm se afastando dela, cansadas de sua denguice, pois afinal ninguém é de ferro para aguentar tanto chilique.

Dias desses, estava a dengosa brincando com uma amiguinha, quando começou um berraria inusitada. Corremos todos para o quarto da pequena, pensando que algum armário tivesse desabado sobre ela. A cena era patética: ela, a dengosa, estava deitada no chão, batendo pernas e braços, enquanto a amiguinha, encolhida num cantinho do quarto, trazia o rosto molhado de lágrimas meio silenciosas. A mãe, minha primona, tomou a birrenta no colo querendo saber o que lhe acontecera. Entre berros ela se explicou:

– Eu não quero brincar com a minha Barbie, quero a dela, e ela não quer me dar.

Imaginei que fosse uma boa hora para que a prima ensinasse à filha alguns limites, de modo a respeitar o que era da amiga. Mas não! Para agradar a chorona, disse-lhe:

– Não chore mais, filha, pois a mamãe vai lhe dar uma boneca igualzinha a essa. Não se importe com a boneca de sua amiga.

Enquanto a amiguinha ia embora envergonhada, sem receber uma palavra de atenção da mãe da chatinha, eu murmurei entre dentes:

– Cuidado prima, a gente cria filhos para o mundo e não para nós.

Ao que ela me respondeu:

– Ela é muito pequena ainda, vai chegar o seu tempo de aprender.

Dias desses fiquei sabendo que a manteiga-derretida deu o maior show no aniversário de uma de suas coleguinhas. Fazia birras porque queria um pedaço do bolo da aniversariante, antes da hora, sem esperar pelos parabéns. Não sendo atendida, puxou a toalha da mesa, espatifando tudo no chão. Envergonhados, os pais não sabiam onde enfiar a cara. Bem feito! Quem planta urtiga jamais colherá miosótis. É como diz o ditado: É de pequenino que se torce o pepino!

Já ia me esquecendo de falar sobre a expressão “manteiga-derretida”, uai. Trata-se de uma alusão ao chiado da manteiga, quando é levada ao fogo.

Nota: Imagem copiada de feiradesantacruz.com.br

6 comentários sobre “MANTEIGA DERRETIDA

  1. Pedro Rui

    Também não suporto crianças birrentas, pois vê-las a fazer birra incomoda-me; os pais têm que educar os filhos para a vida, se não a própria vida pesadamente ensinará.Têm que saber ouvir o “não”. Os pais têm que ser mais responsáveis pela educação dos filhos.

    Abraços

    Rui Pedro

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Crianças birrentas são insuportáveis.
      Quem merece um bom castigo são os pais delas, pois não sabem educar.
      E, como você diz, os pais precisam ser responsáveis pela educação dos filhos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Edward Chaddad

    LuDias

    Excelente texto. Adorei a síntese que traz a expressão; “Quem planta urtiga jamais colherá miosótis”
    A urtiga arde muito. Quando criança – as mais danadas – esfregavam urtiga em seus “não bem vindos”. E ficavam rindo. No texto, significa que haverá más consequências em semear-se a urtiga, trará, é claro, muita confusão e problemas, como a menina acabou encontrando, por sorte ainda criança, pois há como sanar.

    Agora, a miosótis é uma planta rasteira, de mais de 50 qualidade, lindas, de cores quase sempre azuis, em muitas tonalidades. Tem o significado de recordação, ainda de fidelidade e amor verdadeiro, meiguice, paz. Esta flor, pesquisando, é também conhecida como “Não-me-esqueças”.

    É importante que os pais imponham aos filhos, desde bebezinhos, renito, desde bebezinhos, os limites. Não se pode inibi-los, agir com rudeza demasiada, bater ou até espancar – como em casos graves. É o suficiente um “não” definitivo. “Não e não”. Nunca o “talvez”.

    Uma vez, a filha de uma amiga começou a dar espetáculos em uma supermercado porque queria tudo que via. E não aceitava o “não”. Sua mãe – contou-nos depois, pegou-a e a levou para casa e lhe disse: você nunca mais irá ao supermercado com a gente até entender como deve se comportar. E assim foi feito. Ela ficava chorando em casa, junto à empregada, até o retorno do casal. Um belo dia, após corrigir muito bem seu comportamento, disse-nos a amiga que a levou. O seu comportamento, se posso simbolizar aqui, foi de miosótis. Com calma, por vezes, pedia isto ou aquilo, sem nunca protestar ao lhe ser dito um “não”.

    O “não” é importante na educação, é o verdadeiro limite.
    A urtiga x miosótis é uma síntese do que deve estar presente na cabeça dos pais que querem filhos educados.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed
      Não suporto crianças dengosas, mimadas e sem educação.
      Para mim, toda a culpa é relegada aos pais, pois a criança é apenas uma massinha frágil, que vai sendo modelada com o tempo.
      Li, tempos atrás, que os hotéis no exterior não gostam de receber crianças brasileiras, pois dizem que elas são tratadas como “reizinhos” e, por isso, são mal-educadas. Vergonhoso, não!
      Os pais estão a transformá-las em urtigas.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Ana Lucia

    Lu,
    criança manteiga-derretida é a treva hahahaha. Indica começo de criança sem limite. Beijo, querida.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *