Marcos Vidinha – CINQUENTA TONS DE CINZA
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

menino1234

O artista carioca Marcos Vidinha apresenta-nos mais uma de suas belas e criativas composições, denominada Cinquenta Tons de Cinza, que desta vez exibe uma temática sensual. O artista diferencia os elementos do quadro, não somente através das cores, mas principalmente através das linhas de contorno dos campos de cor. As figuras humanas são constituídas por linhas curvas, enquanto o fundo é composto por linhas retas.

A pintura mostra-nos uma cena de relação sexual entre um homem e uma mulher. Esta é, sem dúvida, uma cena que permeia toda a história da humanidade, a relação mais íntima que um homem e uma mulher possam ter, indutora de indescritível sensação de prazer e também responsável pela perpetuação da nossa espécie.

Segundo o artista, quando pensou em criar esta obra, queria que fosse sensual, porém sem cair no grotesco. Ele levou algum tempo pensando como poderia conciliar esses dois requisitos, até que, ao ler na Internet o resumo do livro “Fifty shades of gray” veio-lhe a ideia que tanto buscava, ao concluir que, se pintasse um quadro monocromático, poderia manter certa “discrição” sobre a cena de amor. Acabou também optando pelo cinza, por influência da cor do título do livro e por se tratar de uma cor discreta, suave e neutra.

A essa solução, Marcos Vidinha acrescentou a ideia de usar cinquenta tons diferentes de cinza, num paralelo, mais uma vez, com o título do livro. E foi assim que compôs cinquenta diferentes misturas de tinta, usando vinte e uma cores diferentes, combinadas três a quatro cores por mistura, tendo o cinza como cor principal (superior, em quantidade, a todas as demais cores da mistura juntas), misturada a uma cor terra, uma cor comum e o branco de titânio (ou o branco iridescente). O restante do trabalho foi apenas uma questão de desenho e de pintura.

Ressalto aos leitores, que a obra exige uma apurada observação, para que se possa captar o casal que, à primeira vista, pode passar despercebido a olhos menos aguçados, como se tratasse apenas de um quadro abstrato. O corpo masculino aprisiona junto ao seu, o da mulher, numa junção perfeita. Depois de inteirar-se da presença das duas figuras humanas, é como se elas saltassem a nossos olhos, como num desenho de terceira dimensão, levando-nos a apreciar demoradamente a obra, como que hipnotizados.

Alguns leitores precisarão de um esforço maior para enxergar as duas figuras, representativas do homem e da mulher, na composição. Vou mostrar alguns caminhos de modo a tornar a busca mais fácil:

• o pênis do homem foi omitido (por questão de discrição);
• também por discrição, o rosto da mulher está totalmente escondido;
• o rosto do homem apresenta apenas, ainda que discreta e simbolicamente, a área do nariz e pequeniníssima parte do rosto, próxima ao nariz;
• a mulher encontra-se de costas para baixo e a perna (que oculta a outra) encontra-se voltada para cima, apoiada sobre o ombro do companheiro. Seus seios podem ser vistos no lado direito inferior do quadro, assim como a parte inicial do pescoço e uma parte do braço.

Pela posição dos corpos, não fica claro para o observador de que tipo de ato sexual se trata, isso vai depender da imaginação de cada observador. O autor dedicou essa sua obra a todos aqueles que se dedicam à arte.

Ficha Técnica:
Título: Cinquenta tons de cinza
Ano: 2015
Dimensões: 40 cm x 60 cm
Registro Artístico da Pintura: 32
Classificação: figura
Estilo compositivo: livre de regras
Estilo pictórico: monocromático (predominantemente cinza), com uso de tinta acrílica e pincel
Localização: coleção particular do artista

Contato:
e-mail: mavidinha@uol.com.br
site: www.pintura.ucoz.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *