Mestres da Pintura – PEDRO FIGARI

Autoria de LuDiasBH

pefi

O pintor uruguaio Pedro Figari (1861-1938), filhos de pais italianos, João Figari e de Paula Solari, nasceu em Montevidéu, capital do Uruguai. Somente na terceira idade, próximo aos sessenta anos, é que Figari enveredou-se pela pintura. Antes disso, formou-se em Direito, sendo designado defensor daqueles que não podiam pagar um advogado particular. Dez anos depois foi eleito deputado federal. Casou-se com Maria da Costa Caravia, com quem teve oito filhos.

Quando de posse de um cargo público, Pedro Figari foi responsável por incentivar as atividades artísticas no país. Apresentou o projeto para a criação da Escola de Belas-Artes.  Em 1920, aos 59 anos, foi indicado como diplomata para servir no Peru, cargo que recusou para dedicar-se inteiramente à pintura, indo morar em Buenos Aires, na Argentina. Naquele país, ele expôs seu trabalho na Galeria Müller. Quatro anos depois mudou-se para Paris, França, onde obteve sucesso e produziu muitas obras.  Em 1930 ganhou o Prêmio Nacional da Pintura na Exposição do Centenário do Uruguai. Três anos depois retornou ao seu país, acompanhado de mais de 2000 trabalhos.

Embora não expusesse seus quadros, Figari fazia suas composições, embora esporadicamente, desde a juventude, mostrando conhecimento técnico e sensibilidade histórica. Já no final do século XIX, suas pinturas evocavam o trabalho dos impressionistas, embora ele mesmo não as levasse a sério. Em sua obra panteísta, o artista punha o homem e a natureza no mesmo patamar. O gaúcho de suas obras é fruto das raças índia, negra e espanhola. Nelas também estão os negros dos subúrbios e arredores de Montevidéu. Ele retratou a vida social em suas manifestações comuns. Sua pintura encantadora foi feita quase sempre em cartão.

Pedro Figari morreu aos 77 anos de idade, na cidade de Montevidéu, deixando 2 500 trabalhos, a maioria realizado fora de seu país, ou seja, na Argentina e na Espanha. Mas não se pode dizer que o artista tenha se esquecido de suas origens, pois em sua grande maioria, suas obras referem-se ao Uruguai. Sua obra apresenta uma das primeiras manifestações do Modernismo na América do Sul.

Fonte de pesquisa
Gênios da Pintura/ Abril Cultural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *