MEU CORAÇÃO BOBO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH cor

 Coração bobo, sedento de promessas,
com seu jato vermelho vivo de inocência,
cheio de débeis sonhos e vãs esperanças,
batucando feliz na sua curta existência.

Traz laços de fitas amarrados nas asas,
e voa à procura de emoções escondidas;
andarilho das trilhas de amores vadios,
vive no rastro de paixões desmedidas.

Seus baques tomam minh’alma sôfrega,
aturdem-me suas emoções carregadas,
furacões  de desejos que não têm fim,
carregados de volúpias descontroladas.

Bate coração bobo, apaixone-se à vontade,
mas não me conte as verdades da estrada;
deixe minh‘alma voar feliz em sua viagem,
inda que seja muitas vezes enganada.

8 comentários sobre “MEU CORAÇÃO BOBO

  1. Edward Chaddad

    LuDias

    A alma mais próxima de Deus,
    Tem o coração bobo,
    Que bate forte, com arritmia,
    Quando ao lado do seu amor.

    E tem ingenuidade.
    Falta-lhe malícia,
    A incrível docilidade diante da ilusão,
    Que não vê a infidelidade!

    Nem percebe a indiferença,
    Não estranha o desdém,
    A falta de afeto, sequer o desprezo,
    Que lhe poderiam cortar o coração.

    No íntimo, sentimentos mais nobres
    Afloram como rosas vermelhas,
    muito vivas, cobrindo de pétalas
    O solo mais pobre do estéril amor.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed

      Você é sempre um poeta de coração generoso.
      E que bela estrofe:

      “No íntimo, sentimentos mais nobres
      Afloram como rosas vermelhas,
      muito vivas, cobrindo de pétalas
      O solo mais pobre do estéril amor.”

      Como é bom sentir a presença de sentimentos nobres em nossa vida.
      Ainda que o solo do amor esteja estéril.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Mário Mendonça

    Lu Dias

    Tu já viste este poema?

    Eu não quero o teu corpo
    Eu não quero a tua alma,
    Eu deixarei intato o teu ser, a tua pessoa inviolável
    Eu quero apenas uma parte neste prazer
    A parte que não te pertence.

    – Joaquim Cardoso (1897 – 1978)

    Abração

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Eu havia respondido, mas não sei o que aconteceu.
      Coitadinho, do meninho… Como eu posso ser tão má?

      Eu não conhecia o poema, mas é muito bonito.
      É uma maneira diferente de ver o amor.

      Gostei!

      Responder
      1. Mário Mendonça

        Lu Dias

        É um trecho da Minissérie Amores Roubados…infelizmente trata-se de um canal que nem gosto de citar…pensei que tu estavas assistindo e captou…rsrsr

        Abração

        Mário Mendonça

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Mário

          Dizem que a minissérie é ótima.
          Mas não assisto a ela.

          Beijaço,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *