MEU CORPO É SUA MORADA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

nua

Meus sentidos me revelam,
janelas abertas para o mundo,
o quanto você está em mim,
quando tudo ao redor se cala.

Emoções vêm, desordenadas,
da masmorra onde as prendi,
vassalas desta mesma volúpia,
em que estou a me exaurir.

Seu cheiro corre nestas veias,
impregnando-me a pele nua,
como um senhor de escravos,
minha avidez à espera da sua.

Meu corpo é silo de anseios, a
reter suas sementes molhadas,
fundindo substâncias líquidas,
fluídas de corpos extasiados.

As montanhas ficam salientes,
as fendas enchem-se de água,
e o pássaro mergulha-se, e faz
seu ninho na minha morada.

Nota: a ilustração é uma obra do pintor Almeida Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *