Michelangelo – HIST. DO GÊNESIS / CAPELA SISTINA (II)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

sa123456

sa1234567  sale1  sale12

                                                              (Clique nas imagens para visualizá-las)

Começamos o estudo dos afrescos do teto da Capela Sistina pela parte relativa ao Gênesis, que se divide em três grupos, num total de nove histórias, representando a origem do universo, do homem e do mal. No esquema acima, o leitor poderá acompanhar a localização dos afrescos, que correspondem à cor azul-piscina, relativa aos números 9, 13, 17, 21, 25, 29, 33, 37 e 41.

 Segundo Grupo:

  • A Criação de Adão
    É o afresco mais famoso da Capela Sistina. A cena é reconhecida até pelo detalhe dos dois dedos prestes a se tocarem. Mostra o momento em que o dedo do Criador quase toca o de Adão, para lhe dar vida. Representa a criação do primeiro homem após a criação da luz, da água, do fogo, da terra e de todos os animais e vegetais. Adão recebe autorização de Deus para governá-los através de sua inteligência. O Criador está sustentado por anjos, envolto em um manto esvoaçante, com o braço direito estendido na direção de Adão que, por sua vez, estende sua mão esquerda para Deus, para receber o sopro da vida. Michelangelo representa Deus Pai como sendo uma figura dinâmica, que repassa para Adão a sua força física e espiritual. A criatura tem corpo atlético e rosto formoso. (Localização 29)
  • A Criação de Eva
    A Criação de Eva
    situa-se no centro da abóbada. O Criador, envolto numa vestimenta sólida, dá a Adão, sua primeira criatura, uma companheira. Com a perna direita próxima a Adão, uma graciosa Eva parece sair de sua costela. O primeiro homem encontra-se deitado, dormindo perto de um tronco, alheio ao que está acontecendo. Eva agradece ao Criador pela vida que recebeu. Ele parece pedir que ela se levante. Também pode ser que esteja abençoando o casal. (Localização 25)
  • O Pecado Original
    Mostra a tentação de Adão e Eva e sua expulsão do Paraíso. São apresentados dois momentos, tendo como divisória a simbólica árvore da vida, situada no centro da cena, funcionando como um eixo para as duas cenas que se harmonizam. A árvore traz em seu tronco uma serpente enroscada, que toma a forma feminina. À esquerda da árvore estão Adão e sua companheira Eva, que recebe a maçã das mãos da serpente, e à direita, o casal envergonhado e arrependido sendo banido do Jardim do Éden pelo arcanjo Miguel. (Localização 21)

Fontes de pesquisa:
Renascimento/ Taschen
Gênios da Arte/ Girassol
Tudo sobre Arte/ Sextante
Arte em Detalhes/ Publifolha
Grandes Pinturas/ Publifolha
Grandes Mestres/ Abril Cultural
Os Pintores mais Influentes/ Girassol
Góticos e Renascentistas/ Abril Cultural
Grandes Mestres da Pintura/ Coleção Folha
1000 Obras da Pintura Europeia/ Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *