NÃO TENHO TEMPO PARA NADA!

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Beto Pimentel

pp3

Hoje em dia, uma das maiores desculpas para não cumprirmos uma tarefa ou irmos a um compromisso é a falta de tempo. Entretanto, será que alguma vez refletimos seriamente sobre como utilizamos o tempo de que dispomos, ou ficamos apenas lamentando? O gerenciamento do tempo, em princípio, pode ser dirigido não só para os negócios ou outras atividades profissionais, mas também para atividades pessoais em geral, e requer uma combinação de processos, ferramentas, técnicas e métodos.

Gestão do tempo consiste num processo de que dispomos para exercer controle consciente sobre a quantidade de tempo gasto em atividades específicas, especialmente para aumentar a eficiência, a produtividade e para alcançarmos uma melhor qualidade de vida. Assim, o gerenciamento eficaz do tempo depende de uma gama de habilidades, ferramentas e técnicas disponíveis para realizar tarefas específicas, lazer, tempo com a família e amigos, projetos e metas. Este conjunto inclui um extenso leque de atividades, tais como planejamento, definição de objetivos e metas, delegação, análise de tempo empregado, monitoramento, organização, agendamento e priorização.

Muitas vezes entendemos que o gerenciamento consiste apenas na definição de objetivos. Deste modo, estabelecemos objetivos para o próximo ano: aprender uma língua estrangeira, escrever um livro, perder peso, etc. O novo ano começa, passam os dias e, quando chega dezembro, constatamos que não atingimos nossos objetivos. Ocorrem, naturalmente, muitas situações durante um ano. Entretanto, um dos maiores motivos para não atingirmos os nossos objetivos reside na falta de método. Confundimos o desejo ou a vontade de fazer ou ter alguma coisa, e estabelecemos objetivos sem analisar mais a fundo todos os fatores envolvidos. Um objetivo para ser estabelecido deve ser factível e mensurável. Para tarefas ou para metas individuais, devemos estabelecer uma classificação de importância, os prazos e as prioridades. Este processo resulta em um plano com uma lista de tarefas, uma agenda ou calendário de atividades. Gerenciamento de tempo também aborda como eliminar tarefas que não agregam valor ao indivíduo ou à organização.

A lista de atividades ou de tarefas é um instrumento muito útil no planejamento das atividades diárias. Nela incluímos, num primeiro momento, todas as atividades que entendemos que podemos realizar durante um dia de trabalho ou de outra atividade, como lazer por exemplo. Algumas regras simples podem ser utilizadas para elaboração da lista.

1)      Liste todas as atividades que julgue serem as mais importantes.
2)      Estabeleça as prioridades, utilizando uma técnica simples.
3)      Evite técnicas ou métodos complexos que demandem muito tempo.
4)      Procure sempre alternativas para a realização de uma tarefa.

Esta técnica tem sido utilizada há muito tempo no gerenciamento de negócios, onde se torna necessário selecionar uma grande quantidade de dados e informações em grupos de atividades. Esses dados são então identificados por A, B e C, conforme um critério previamente estabelecido. Cada um dos grupos é então ordenado em função da prioridade estabelecida. A análise ABC é muitas vezes combinada com a Análise de Pareto.

A – Tarefas que são urgentes e importantes
B – Tarefas que são importantes, mas não são urgentes
C – Tarefas que não são urgentes e nem importantes

A ideia principal desta análise é que 80% das tarefas estabelecidas podem ser realizadas em 20% do tempo disponível. Como consequência, os 20% das tarefas restantes ocuparão 80% do tempo disponível. Este princípio considera que as tarefas podem ser divididas em duas partes ou categorias. Assim sendo, todas as tarefas que caíram na primeira categoria devem ser assinaladas como de alta prioridade.

A regra do 80-20 pode também ser aplicada para se aumentar a produtividade, ou seja, que os 80 % da produtividade podem ser atingidos através da realização de 20 % das tarefas priorizadas. Logo, 80% dos resultados de quaisquer atividades podem ser atribuídos a 20 % das atividades realizadas.

Outro método baseia-se na Teoria das Necessidades de Abraham Maslow. Ele estabelece um modelo que enfatiza que todo ser humano necessita prioritariamente sentir seguro emocional e financeiramente. Assim, deve-se em primeiro lugar definir-se as responsabilidade para a realização de uma tarefa. Deste modo poderá assumir melhor as suas responsabilidades coletivas ou no seu grupo de trabalho.

  • Priorizar – O seu tempo e oriente a sua vida através de objetivos e metas.
  • Organizar – As coisas que você deve realizar regularmente para ser bem sucedido. (Família e finanças)
  • Racionalizar – As coisas que você pode não gostar de fazer, mas que devem ser feitas. (Trabalho e tarefas)
  • Economizar – As coisas que poderiam fazer ou mesmo gosta de fazer, mas que não são urgentes ou relevantes. (passatempos e atividades sociais)
  • Contribuir – Prestando atenção às pequenas coisas que fazem a diferença (Obrigações sociais)

Nota: Louvre, Paris – fotógrafo: o autor

4 comentários sobre “NÃO TENHO TEMPO PARA NADA!

  1. Edward Chaddad

    Querido primo

    Gostei muito do seu texto, onde nos mostra como temos que aproveitar nosso tempo para o trabalho e ter o tempo necessário para tarefas que objetivamos, inclusive, o que é importante para a nossa família. Adoro passar o tempo com meus familiares.

    O tempo, entretanto, é um nosso algoz, terrível que nos conta os dias, as horas e os minutos de nossa vida. Mas sempre haverá, com certeza, momentos deste tempo em que fomos ou somos felizes.

    E deste tempo, querido primo, lembro-me com saudade da mesa preparada pela Vó Guiomar, onde toda a família se reunia, ria, festejava estar vivendo um tempo de alegria e de muito amor.

    Parabéns pela excelência de seu texto.

    Responder
    1. Beto

      Estimado primo Edward,

      Nos momentos de convívio com a família, procuro não me preocupar com o tempo – que os momentos passados com a pessoas que amamos sejam infinitos enquanto durem. Você lembrou muito bem o nosso convívio na casa dos avós João e Guiomar, que ainda permanecem vivos na minha memória. Tempo de convivência e aprendizado de valores imprescindíveis ao nosso crescimento como homens e cidadãos. As lições aprendidas no passado nos ajudam a conduzir nossas atividades do futuro. Senhores do nosso tempo.

      Obrigado por comentar.

      Beto

      Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Beto

    O modo como distribuímos o nosso tempo faz toda a diferença.
    Há pessoas que enrolam, enrolam e não fazem nada.
    Outras coordenam tão bem o que fazem, que trabalham muito e ainda lhes sobra tempo.

    O seu texto é uma aula de como distribuir bem o tempo e ainda sobrar tempo.

    Meu Deus, nem olhei o tempo!
    Já é tempo de dormir.

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Beto

      Lu,

      É isso aí! Há tempo de dormir e de acordar. Ao escrever a última letra desse texto, já é passado!

      Abraços,

      Beto

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *