O BARQUINHO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH duran123

O músico brasileiro Roberto Menescal é um dos criadores da bossa-nova. É também o criador, em parceria com Roberto Bôscoli, de um dos hinos do movimento, O Barquinho. Ele conta como surgiu a música.

Desde criança era apaixonado pelo mar e pela caça submarina. Aos 14 anos, ganhou uns apetrechos para fazer mergulhos. E, mesmo morando no Rio de Janeiro, era no Espírito Santo que se dedicava a seu esporte preferido, durante suas férias.

Roberto Menescal estava de férias em Vitória, quando começou a tocar violão. Ao voltar para o Rio, descobriu que Nara Leão, sua namoradinha na época, também estava tocando violão. E assim, os dois reuniam-se no apartamento dela para tocarem juntos, sem falar nos amigos que para ali iam para tocar e cantar. Em dois anos, o grupo já estava compondo músicas que mais tarde seriam intituladas de bossa-nova e o grupo ficaria conhecido como “a turma da bossa-nova”.

Conta Roberto Menescal que em 1961, resolveu levar sua turma (Nara Leão, Ronaldo Bôscoli, o Samba Trio, Yara e outras garotas) para passar um final de semana no Arraial do Cabo/RJ. Lá chegando, alugaram um barco e começaram a navegar, desfrutando de um dia de céu belíssimo e mar de águas claras e quentes e de poucas ondas. Durante o passeio, ele começou a mergulhar e a pegar alguns pescados, para surpresa de todos. Depois, foram para um local mais raso, onde todos entraram no mar. A seguir, desligaram o motor do barco e foram fazer um lanche, deixando o barco solto.

Quando o grupo voltou do lanche, foi ligar o motor do barquinho e nada de pegar. Foram inúmeras as tentativas e nada. A bateria acabou. Apesar do medo que tomava conta da turma, pois a ilha distanciava-se cada vez mais, Roberto Menescal tentava acalmá-la, enquanto tentava fazer com que o motor pegasse, girando uma manivela. Até cantava, para fingir que tudo corria bem, sem nada que preocupasse.

O pavor da grupo só viu luz no final do túnel quando avistaram uma embarcação de pesca, lá longe no horizonte, rumando para Cabo Frio. Através de roupas coloridas amarradas aos remos, conseguiram chamar atenção do pessoal da embarcação, que mudou de rumo para socorrê-los. O barco foi rebocado até o Arraial do Cabo, para a felicidade de todos.

Quando o grupo voltava, já bem mais tranquilo, Menescal e Bôscoli começaram a cantar um versinho que compuseram ali na hora, só de brincadeira, ironizando o acontecido: “O barquinho vai, e a tardinha cai”, cantando até chegarem ao cais. No dia seguinte, quando Menescal encontrava-se com Ronaldo Bôscoli no apartamento de Nara Leão, em frente ao mar de Copacabana, Bôscoli perguntou:

– Beto, como foi aquela melodia que você fez ontem no barco?

– O barquinho vai, a tardinha cai – respondeu Menescal.

Mas Ronaldo queria saber o que Menescal cantava enquanto tentava fazer o motor pegar. E assim, os dois começaram a compor O Barquinho, que viria a se tornar um grande sucesso da dupla.

O Barquinho

Dia de luz festa de sol
E um barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Que desliza sem parar…
Sem intenção,nossa canção
Vai saindo desse mar
E o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis!
Volta do mar desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar!
Céu tão azul ilhas do sul
E o barquinho,coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz tudo isso traz
Uma calma de verão e então
O barquinho vai
A tardinha cai
O barquinho vai
A tardinha cai…

Nota
Ouçam a música através do link abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=5qVY8DEbbkE

Fonte de pesquisa
Folha de São Paulo/ 29 de setembro de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *