O BEIJO ENTRE HOMOSSEXUAIS NAS NOVELAS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH niko

A Rede Globo de Televisão protagonizou uma cena inédita na dramaturgia brasileira, quando, ao final da novela Amar à Vida, selou com um beijo na boca, ainda que superficialmente, a união de dois homossexuais, Niko e Félix. Para mim, nada mais do que comum, pois apenas mostrou algo corriqueiro, que acontece na história da humanidade desde os tempos primevos, sendo, inclusive, retratada na mitologia grega e romana. Quem nunca leu sobre Atenas e Esparta? É uma pena que os nossos professores de História Geral não nos tenham falado sobre a sexualidade das gentes que ali habitavam. Mas eles, os professores, também viviam sob a mordaça da hipocrisia que não tolerava falar sobre sexo, ainda que esse fosse responsável por dar continuidade à espécie humana, numa alusão mais simplista.

Os moralistas de plantão poderão dizer que o diretor da novela deu um mau exemplo, contribuindo para que os jovens vejam a homossexualidade como algo normal. E quem determina se é normal ou não? As religiões, a falsa moralidade ou a ciência médica? A pensar como eles, as mulheres ainda estariam usando burcas nas bandas de cá, para não despertarem no homem o desejo libidinoso, a tara e a violência, como pensam alguns, que na verdade querem botar um freio na liberdade feminina. Quanto ao mau exemplo para os jovens, nada há que se sustente nisso. As escolhas são pessoais. E a ciência médica não tardará em nos dizer qual é a verdadeira causa da homossexualidade, encontrada, inclusive, entre as demais espécies animais.

O beijo entre Niko e Félix possui uma mensagem muito mais profunda: a de que podemos conviver bem com as diferenças, respeitando-as, mesmo que com elas não nos adequemos. Estamos aprendendo que não temos o direito de fazer escolhas pelo outro. Assim como não respondemos pelos acertos e erros de quem quer que seja.  Se assim não fosse, as prisões estariam lotadas de pais ausentes e omissos, que abandonam os filhos, ainda bebês, nos braços do mundo. O fato é que só mandamos na nossa própria vida, e isso quando não temos a genética ou a hereditariedade a nos dar ordens mais severas.

O beijo entre Niko e Félix, mostrado pela Rede Globo de Televisão, mostra que nós, brasileiros, estamos atingindo certo grau de maturidade, ao compreender e aceitar as diferenças, em vez de pensar como certo político, que acha normal matar pessoas, mas que vê no homossexualismo o mais hediondo dos crimes. Cruel ironia e monstruosa hipocrisia.

Não se esqueça, meu caro leitor, que tudo tem o seu tempo, embora ele seja cíclico, num vai e vem através da história humana. Quem não sabe que antigamente era proibida qualquer cena de sexo nas novelas brasileiras? Hoje, elas existem aos montões. E nem por isso o povo brasileiro anda fazendo sexo na rua ou se tornou mais depravado. Nós apenas tornamo-nos mais liberados e menos hipócritas. Para quem não sabe, o estupro é comuníssimo em países em que as mulheres nem mesmo podem mostrar o rosto. Não deveria ser o contrário? O que prova que o agir de cada um depende muito mais de sua genética, de seu caráter, e da maneira como vê e sente o mundo.

Parabenizo o diretor Walcyr Carrasco e os atores Mateus Solano (Félix) e Tiago Fragoso (Niko) pela beleza e delicadeza com que mostraram a cena. Com certeza, depois dela, as famílias passarão a olhar seus homossexuais com muito mais carinho e respeito, e haverá muito menos dor e mágoa no seio delas.

Comunicado da Rede Globo de Televisão:

Toda cena de novela é consequência da história, responde a uma necessidade dramatúrgica e reflete o momento da sociedade. O beijo entre Felix e Niko selou uma relação que foi construída com muito carinho pelos dois personagens. Foi, portanto, o desdobramento dramatúrgico natural dessa trama. A pertinência desse desfecho foi construída com muita sensibilidade pelo autor, diretor e atores e assim foi percebida pelo público. É importante lembrar que o relacionamento homossexual sempre esteve presente nas nossas novelas e séries de maneira constante, responsável e natural. A cena esteve de acordo com essa premissa e com a relevância para a história. (Rede Globo)

4 comentários sobre “O BEIJO ENTRE HOMOSSEXUAIS NAS NOVELAS

  1. Mário Mendonça

    Lu Dias

    Belo texto sobre a polêmica do beijo gay, mas discordo da parte em que tu dizes que a medicina um dia irá explicar… Para sentimento não há explicação. Temos vontades, fazemos e pronto. Não há nenhum problema médico. Possuímos livre arbítrio. Infelizmente não temos ou possuímos evolução suficiente para este entendimento. Nossas mídias podem e devem nos ajudar nessa evolução.

    Você acaba de dar uma enorme colaboração discorrendo sobre o assunto que ainda é tratado em off pela grandes mídias.Foi suave o beijo, ma de uma enorme representação. Percebe-se que para o Solano foi mais difícil do que para o Fragoso, mas fizeram… Fora do Brasil, nos países mais desenvolvidos os beijos entre gays são comuns.

    Quaisquer forma de discriminação é uma vergonha para as sociedades. Mas isso é educação, temos que aprender na escola, trata-se de mudanças e quebrar paradigmas. E não é fácil, existem enormes barreiras.

    Abração

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      A lucidez de seu comentário comprova o grau de sua maturidade. Sem dúvida alguma encontra-se numa escala evolutiva bem diferenciada da maioria das pessoas.

      Quando me refiro à ciência médica, não quero dizer que a homossexualidade seja uma doença. De jeito nenhum. Apenas me contraponho aos moralistas que a veem como sem-vergonhice ou doença. Assim com existem explicações para a heterossexualidade, para o hermafroditismo e os assexuados, também existem para o homossexualismo. Existem explicações que justificam porque temos vontade e porque fazemos isso ou aquilo. E ponto final!

      Antigamente, meu amigo, as pessoas portadoras de doença mental eram vistas como portadoras de espírito maligno. Veja o quanto a humanidade mudou o seu conceito através dos tempos. Como você diz, a mídia tem fator preponderante na evolução dos povos, ou, ao contrário… como acontece no mundo islâmico, na visão tacanha que apresenta sobre a mulher.

      Penso que a Rede Globo fez com que o Brasil desse um grande passo no respeito às diferenças. E assim que um povo evolui.

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Mário Mendonça

        Lu Dias

        Não gosto das Organizações Globo, mas dessa vez ela deu um passo positivo para a sociedade.
        Entendo ainda que este post deveria ser o mais comentado do seu blog.
        “Porque será que só Eu comentei heim”?

        Infelizmente este assunto ainda é um “tabu”.
        Lamentavelmente!

        Abração

        Mário Mendonça

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Mário

          De duas uma: ou as pessoas acham o assunto tão normal, que não se dão ao trabalho de comentar, ou ainda não possuem maturidade para compreenderem as diferenças.
          Torço para que seja o primeiro caso.

          Abraços,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *