O GURI E O LIVRO DE SÃO CIPRIANO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

saci

Antes que eu me adentre no causo a ser relatado, vou trazer à luz alguns dados sobre a vida de São Cipriano para que o leitor inteire-se dos fatos que virão a seguir.

Cipriano, O Feiticeiro, era filho de pais riquíssimos, mas pagãos, originário da Etiópia e nascido lá pelos idos de 250 d.C. Desde meninote já desenvolvia suas aptidões para os estudos da feitiçaria e das ciências ocultas como a alquimia, astrologia, adivinhações e outras variedades da magia. Cresceu dedicando boa parte de sua vida às ciências ocultas. E ateu teria continuado, se não viesse a conhecer Justina (que depois se tornou santa) que o levou pelas sendas do catolicismo. Foi martirizado e canonizado e ficou extremamente conhecido através do famoso Livro de São Cipriano, onde é possível encontrar um pouco de tudo: Como Tratar e Curar Uma Moléstia; Oração Miraculosa Para Todos os Males, Agravos e Fraquezas do Corpo; A Leitura dos Destinos Humanos; Oração Potente Para a Obtenção do Amor de Uma Mulher e muitos mais.

Dizem que o famoso Livro de São Cipriano foi redigido antes de sua conversão e que ele queimou parte dos manuscritos. Não se sabe quando, e por quem os registros foram reunidos e traduzidos do hebraico para o latim e, posteriormente, levados para diversas partes do mundo, com seus diversos rituais de ocultismo, mais especificamente magias (branca e negra), com múltiplas finalidades, inclusive para o quotidiano. No decorrer dos anos, o conteúdo do livro sofreu alterações significativas, além da adequação necessária na tradução para os vários idiomas. Esses fatores colocam em dúvida a fidelidade das versões recentes, se comparadas às mais antigas. No Brasil, o Livro de São Cipriano é usado largamente nas religiões afro-brasileiras, e se tornou um “almanaque ocultista” de fácil acesso que se dilui na crendice popular. Há ainda os mitos que o cercam: muitos consideram ser pecado possuí-lo ou simplesmente tocá-lo. De qualquer forma, o tema São Cipriano e tudo que o cerca, é um campo de estudo e pesquisa muito interessante para os ocultistas, religiosos e aventureiros.

Miro já nasceu revirando a cabeça para os lados, indagando sobre o que havia à sua volta. Nada lhe era indiferente. Cresceu dando conta de tudo que se passava no Arraial dos Crioulos. E foi assim que, levado pela bisbilhotice, aportou-se no terreiro da macumbeira mais afamada do lugar. Lá, viu-se em meio a um monte de coisas conhecidas, mas nunca vistas juntas: vasos com espada-de-são-jorge, cabaças penduradas, pratos de barro com oferendas, galinha preta, crista de galo, chifre de bode, cachaça, bonecos de cerâmica e retratos de São Jorge. Por ali perambulou por um bom tempo, até que tomou tenência de voltar para casa.

Antes de chegar à rua, Miro viu sobre uma mesinha o responsável por esta história. Já manchado pelo tempo, trazia na capa preta umas figuras que lhe congelaram os ossos, apesar do calor que se fazia naquela noite. Enquanto o santo escrevia, a morte e dois demônios afuazados espreitavam-no. Abriu o livro ao acaso e deparou-se com a oração da cabra preta. Ficou tomado de tamanho terror e curiosidade, um sentimento repelindo e atraindo o outro que, a título de empréstimo, acabou levando São Cipriano para casa.

Dona Zita, mãe de Miro, acordou de madrugada e percebeu que havia luz no quarto do filho. O moleque deveria ter se deitado esbodegado pelas brincadeiras de rua que até havia se esquecido de apagar a luz. Zelosa, lá se foi dar uma olhada de perto. Mas ao ver o menino com o livro demoníaco nas mãos, voltou de costas visivelmente atemorizada. Mal o dia clareou, foi bater no portão de sua mãe, Sá Geni, benzedeira renomada da região. Contou-lhe o ocorrido. Era preciso salvaguardar o filho das garras de Satanás.

Miro, meio molóide pela noite mal dormida, foi bruscamente tirado da cama pela avó e jogado dentro de uma bacia com água, arruda e sal grosso que, às canecadas, a avó derribava sobre sua cabeça com muitas benzeduras. O moleque, acobardado, não conseguia nem chorar. Para completar a tortura, foi levado à igreja para se confessar. O vigário, um velho holandês empacado no tempo, pastoreou-o com um sermão sobre as maldades do demo sempre querendo vencer Jesus Cristo. A metanóia veio com trinta dias sem comer doces, com o Credo rezado três vezes ao dia e com o rosário debulhado à noite com a família, durante nove dias. Não posso deixar de contar ao leitor que São Cipriano da Capa Preta foi queimado e suas cinzas jogadas no rio, para que o “coisa-ruim” não encontrasse o caminho de volta.

Como desgraça pouca é bobagem, a macumbeira deu por falta de seu breviário de cabeceira. A seus ouvidos chegou o nome do agente da subtração. Ajuntou-se com dois de seus lacaios e foi bater à porta da avó de Miro. A benzedeira pediu desculpas por ter queimado São Cipriano, pois cogitou que fora oferendado ao neto. O fato é que desse abocamento saiu uma guerra de imprecações capaz de escorraçar o tinhoso. A macumbeira rogava praga de lá e Sá Geni benzia-se de cá. Sem vencido ou vencedor, depois de uma hora de bate-boca e com a rua já apinhada de gente, cada uma se enfurnou no seu canto, supostamente escabreadas.

Tudo estaria bem, se os fatos tivessem parado por aí. Mas não foi o que assucedeu. No dia seguinte, no portão da avó de Miro apareceu uma galinha preta, morta, a bem da verdade, no meio de uma farofa amarela, rodeada por cordões, alfinetes e velas, com o nome da benzedeira no bico. O que sublevou os amigos de Sá Geni e acalorou os da macumbeira.

O delegado da comarca foi avocado para resolver a pendenga que já caminhava para o estapeamento. Antojado com tamanho desvairamento e falta de compostura, o homem da lei mandou trancafiar as duas reimosas no xadrez, ocupando a mesma sela. Ali, na falta de alguém com quem taramelar, elas foram ameando papo até chegar ao entendimento, de jeito que uma foi passando os seus conhecimentos para a outra. E uma vez fora do xilindró, as duas rixentas não mais se desgrudaram. Sá Geni passou a não perder uma sessão de terreiro e dona Iraci, a mandingueira, semanalmente procurava a amiga para o benzimento.

Assim, Miro passou a levar a vida que pediu a Deus, livre como um filhote de cobra. Tornou-se um dos mais ardorosos devotos de São Cipriano. Casou-se novo e teve o desgosto de ser abandonado depois de um ano, pois a mulher estava cansada de seu entrelaço com o santo. Desamparo que durou menos de quatro luas, pois o venerável santo trouxe sua costela no laço.

7 comentários sobre “O GURI E O LIVRO DE SÃO CIPRIANO

  1. Humberto Maggi

    Lu

    Esta edição (ver link abaixo) reúne os três textos do século IV que deram origem à tradição mágica associada ao nome de São Cipriano (Conversão, Confissão e Martírio), os quatro mais importantes grimórios ibéricos do século XIX (os portugueses que deram origem às versões brasileiras e os espanhóis contendo as instruções de magia cerimonial) e vários outros textos mágicos associados com o Santo Feiticeiro.

    O material foi organizado em seções que permitem uma análise abrangente dos conteúdos (A Origem do Livro, Vita Cypriani, Arte Mágica, Talismãs e Amuletos, O Livro dos Espíritos, Orações de Cipriano, Exorcismos, Tesouros Mágicos, Segredos Mágicos).

    A introdução histórica tem uma descrição ampla e detalhada das origens e do desenvolvimento da tradição do século IV ao XIX. A edição é enriquecida com um Prefácio de Nicholaj De Mattos Frisvold e a Apresentação de Felix Castro Vicente.

    https://www.clubedeautores.com.br/book/210812–Thesaurus_Magicus_II?topic=angelologia#.WLaLJ2czVpg

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Humberto

      A história de São Cipriano é mesmo muito interessante. É muito difícil saber onde acaba a realidade e tem início à fase fantasiosa da vida do santo. Confesso que fiquei curiosa sobre o assunto. As pessoas até hoje sentem-se atraídas por sua história. Quando criei este meu conto fantasioso, recebi inúmeros e-mails e comentários sobre São Cipriano. Não foram poucas as orações… Foi muito interessante. Vou dar uma olhada nos links que me enviou.

      Amiguinho, muito obrigada pela sua presença e comentário. Será sempre um prazer tê-lo conosco.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Jessica

    Podem confiar, a oração de São Cipriano funciona! Digo porque funcionou comigo. Ao pedir para São Cipriano, bata com o pé esquerdo no chão ao falar o nome dele e peça junto para a Pomba Gira Rainha Maria Padilha das sete encruzilhadas. É certeza que terá o homem ou mulher que quer.

    Oração de São Cipriano – Para amarração
    Pelos poderes de São Cipriano (substituir os [inicias dele] pelas inicias dele ou dela) virá agora atrás de mim. Acordará agora pedindo para voltar. [inicias dele] vai vir de rastos, apaixonado, cheio de amor e tesão o mais rápido possível. São Cipriano, eu terei esse poder de ele deixe de vez todas as mulheres e perca o medo de perder a liberdade em viver comigo e assuma para todos o que sente por mim.

    SÃO CIPRIANO, AFASTE [iniciais dele] DE QUALQUER PESSOA, que me procure a todo o momento, QUE [inicias dele] RASTEJE AOS MEUS PÉS, ME CUBRA DE CARINHOS NA FRENTE DE TODOS. Hoje e agora, que [inicias dele] ACORDE desejando estar ao meu lado, que [inicias dele]tenha a certeza que eu sou á pessoa perfeita para ele, que [inicias dele] não possa mais viver sem mim.

    Que [iniciais dele] sempre tenha a minha imagem em seu pensamento todos os momentos do seus dias. Agora com quem estiver, onde estiver ele irá parar; se estiver dormindo que acorde porque o pensamento e os sonhos de [inicias dele] estão em mim. Que ao deitar tenha sonhos comigo e ao acordar pense em mim, que a todo momento dos seus dias tenha o pensamento em mim e que queira me ver, sentir meu cheiro me tocar e me ter com amor.

    Que o [iniciais dele] queira abraçar-me, beijar-me, cuidar de mim, proteger-me, amar-me de verdade nas vinte quatro horas do seu dia, fazendo assim com que [inicias dele] me ame a cada dia mais e que sinta prazer só de me ver. São Cipriano faça [inicias dele] sentir por mim um desejo fora do normal como nunca sentiu por outra pessoa e nunca sentirá. Que [inicias dele] tenha prazer apenas comigo, que tenha tesão somente por mim e que seu corpo só a mim pertença.

    Que [iniciais dele]só tenha paz se estiver comigo. Agradeço por estar trabalhando em meu favor e vou divulgar seu nome, São Cipriano, em troca de amansar [inicias dele] e trazê-lo de volta para mim apaixonado, carinhoso, devotado, dedicado, fiel e cheio de desejos aos meus braços, falando sempre a verdade e para que assuma o nosso amor e volte para mim o rápido possível.

    Que [iniciais dele] se sinta orgulhoso de dizer a todos que sou A MULHER DE SUA VIDA que jamais tenha vergonha de mim. Que a minha vontade seja a dele também e que sinta uma imensa felicidade sempre que estiver comigo e jamais queira de mim se separar. Que eu e [inicias dele] possamos viver em paz e unidos pelo amor.

    VOU DIVULGAR SEU NOME SÃO CIPRIANO EM TROCA DESTE PEDIDO. Peço isso aos poderes de São Cipriano E DAS TRÊS MALHAS PRETAS QUE VIGIAM SÃO CIPRIANO, QUE ASSIM SEJA, ASSIM SERÁ E ASSIM ESTÁ FEITO.
    PUBLICAr IMEDIATAMENTE E TERÁ UMA SURPRESA

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Jessica

      Pelo visto o santo é mesmo muito milagroso.
      A oração foi postada, para que as pessoas façam uso dela.

      Muito obrigada pela sua visita.
      Venha sempre nos visitar.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    2. Antonio

      Salve São Cipriano, fazei com que muito dinheiro, riqueza e fortuna fiquem para sempre comigo. São Cipriano trazei muito dinheiro, riqueza e fortuna pra mim. Assim como o galo canta, o burro rincha, o sino toca, a cabra berra, assim tu, São Cipriano hás de trazer muito dinheiro, riqueza e fortuna pra mim. Assim como o sol aparece, a chuva cai, faça São Cipriano que o dinheiro, a riqueza e a fortuna serem dominados por mim. Assim Seja. (Ver no Google toda a oração A São Cipriano para atrair dinheiro)

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *