O HOMEM E A ANDROPAUSA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

tuca123

Diferentemente do que ocorre nas mulheres durante a menopausa, quando há a interrupção das menstruações e a parada na produção dos hormônios femininos, na andropausa ocorre uma redução gradativa na produção dos hormônios masculinos, notadamente da testosterona. Se esta queda se dá de forma muito abrupta, advêm os sintomas da andropausa ou do distúrbio androgênico do envelhecimento masculino (Daem).

A andropausa pode causar grande variedade de sinais e sintomas nos homens, que, se passarem desapercebidos, geram grandes transtornos para quem sofre do problema. No diagnóstico, leva-se em conta o que o indivíduo sente, ou seja, as suas queixas principais associadas à mensuração dos hormônios no sangue. A testosterona não apenas controla o desenvolvimento das características sexuais no homem e as funções de reprodução do seu corpo (desejo sexual, ereção, desenvolvimento e maturação do espermatozoide), mas também desempenha papel importante na memória e no bem-estar físico e emocional.

Algumas doenças e o próprio envelhecimento mimetizam os sinais da andropausa. Daí a dificuldade no diagnóstico diferencial. A deficiência de testosterona se manifesta clinicamente por múltiplos sintomas, desde os sexuais até os menos específicos, que se refletem na queda do desempenho físico e mental e em problemas neuropsiquiátricos como depressão, ansiedade, alta irritabilidade e dificuldade de concentração. Os sintomas raramente são reconhecidos como decorrentes de deficiência hormonal, sendo atribuídos ao estresse causado pelo trabalho ou a dificuldades do dia a dia.

A andropausa pode levar a sérias alterações de saúde. Portanto, deve ter seus sintomas levados a sério (vários homens têm vergonha de falar quando o assunto envolve a esfera da sexualidade). Os sinais e os sintomas variam e dependem da idade de cada indivíduo. Normalmente, o que chama a atenção é a disfunção da ereção e a diminuição da libido. Sintomas frequentemente presentes, e pouco relacionados com a andropausa, compreendem letargia, cansaço generalizado, perda de cabelo, diminuição dos testículos, perda da memória, desatenção e mudanças de humor (irritabilidade), diminuição da massa muscular e densidade óssea (osteoporose).

Os sintomas podem ser minimizados e tratados por meio da Terapia de Reposição Hormonal (TRH). A reposição está indicada quando a presença dos sintomas sugestivos de deficiência androgênica for acompanhada de níveis séricos de testosterona baixos. A TRH tem efeitos colaterais e, portanto, deve ter indicação e acompanhamento médico restrito. Os objetivos da TRH são restaurar a libido, melhorar o humor e vigor físicos, desenvolver a massa muscular e melhorar a densidade óssea. Em síntese, melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Nota: imagem copiada de cuidadosnaterceiraidade.blogspot.com

5 comentários sobre “O HOMEM E A ANDROPAUSA

  1. Patricia

    Dr. Telmo Diniz

    As mulheres são as maiores vítimas dos hormônios. Entretanto, o cuidado com a idade e o respeito ao ritmo biológico devem ser observados em ambos os sexos. Na maioria das vezess os homens são mais preconceituosos e resistentes quanto a exames médicos e a andropausa.
    AS informação do texto são essenciais.

    Responder
  2. Pierre Santos

    Eu já tinha visto, Luluzinha, muitos filmes de terror e nunca me interessou assisti-los. Agora, nunca tinha lido nenhum artigo de terror: o do doutor Telmo foi o primeiro. Por enquanto ainda carrego os meus sonhos nas costas, mas… e quando as costas arriarem – o que fazer?
    Hoje ainda fico nas ameias, vigiando e não tenho visto fantasmas. Nada ronda, de mal, o meu castelo de sonhos, a minha verde planície, o meu ninho aquecido. Quando isto começar a acontecer, naturalmente procurarei auxílios. E é a necessidade disto que me apavora.
    Enfim, como dizia Leônidas, dos Masseratti: aos cautos a seiva dos deuses!
    Embora so artigo tenha me balançado, gostei de tê-lo lido. Obrigado.

    Responder
  3. Julmar M. Barbosa

    LU
    Eu não tenho constrangimento algum em falar da andropausa e do toque retal.
    Aos quarenta anos eu comecei a ter desinteresse sexual e minha esposa pensou que eu estava com uma amante .
    Procurei ajuda profissional, sempre com a presença de minha esposa e tudo se esclareceu . A minha taxa de hormônios havia caído drasticamente em função de problemas psicológicos sofridos na infância e adolescência – tive uma mãe severa e castradora,o que não cabe comentar aqui – somado ao histórico de diabetes .
    Fiz reposição hormonal e tenho uma alimentação adequada e faço exercícios físicos regularmente o que fez com eu recuperasse o apetite e prazer sexual e a vontade de viver.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ju

      O seu depoimento é muito importante, principalmente para aqueles que se envergonham de falar sobre o assunto.
      Assim como a mulher, o homem é também vítima dos hormônios.
      É preciso que ele tenha consciência disso e busque ajuda.
      Dr. Telmo traz o assunto numa linguagem bem clara, não deixando dúvidas.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *