O QUE É O OSCAR

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH
oscar

A cerimônia de entrega do Oscar, um prêmio oferecido, anualmente, pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos aos profissionais da indústria cinematográfica, que mais se destacaram no ano anterior, é uma das premiações mais acompanhadas em todo o mundo.

Todos os trabalhos premiados são referentes ao ano anterior à entrega do Oscar, podendo concorrer todos os filmes que foram mostrados em, pelo menos, um cinema comercial do distrito de Los Angeles (onde fica a Academia), durante, no mínimo, uma semana.

Dentro de cada categoria são selecionados cinco concorrentes, exceção feita ao Melhor Filme, que passa de cinco para dez escolhidos, solução encontrada pela Academia para diversificar os concorrentes, de modo a atender o grande público que assiste à cerimônia, assim como evitar que apenas filmes dramáticos concorram, deixando grandes sucessos de lado. E, posteriormente é escolhido um filme, em cada categoria, para receber o prêmio.

Mas não se pode negar que é uma atitude sábia, pois, além do fator comercial, traz mais diversidade entre os concorrentes e contempla os fãs de quase todos os gêneros, agradando a gregos e troianos, uma vez que o Oscar de Melhor Filme é o carro-chefe da festa e o que mais rende dividendos em curto prazo.

A Academia de Cinema dos EUA quer se recuperar do declínio, que a premiação sofreu nos últimos anos, após o recorde de espectadores em 1998, quando Titanic do diretor James Cameron levou 11 estatuetas. O que nos mostra o quanto a cerimônia do Oscar é essencialmente comercial, o que não significa que não se tenha bons filmes premiados.

Mas, o que é mesmo o tão cobiçado Oscar? Trata-se de uma estatueta de 34,29 cm de altura, produzida à mão, com quase quatro quilogramas de peso, feita de estanho e folheada a ouro. Representa um cavaleiro nu, sobre um pedestal no formato de um rolo de filme (bobina com cinco raios, representando os cinco ramos da Academia: atores, diretores, produtores, técnicos e roteiristas), segurando uma espada. Embora o seu valor real seja pequeno, seu valor simbólico é imensurável pelo prestígio profissional que dá aos ganhadores, assim como os dividendos que traz às obras premiadas.

O Oscar, criado em 1929, é hoje um senhor octogenário. Durante a Segunda Guerra Mundial a estatueta foi confeccionada em gesso e pintada com dourado, para economizar metal. Mesmo assim, logo após a vitória dos Aliados, os agraciados receberam o prêmio original.

Por que a estatueta ganhou o nome de Oscar? Dentre as versões surgidas, a mais popular é a que diz que uma secretária-executiva da Academia, ao vê-lo, exclamou que se parecia muito com o seu tio Oscar. Foi ouvida por um jornalista, que a publicou num jornal. Outra versão conta que a atriz Bette Davis o teria apelidado com tal nome, por achar que se parecia muito com o seu primeiro marido. Portanto, não se sabe ao certo o porquê do nome.

Em 2009, os organizadores da maior festa do mundo, perceberam que estava havendo um declínio, em relação ao número de espectadores que assistem à cerimônia. De modo que novas regras foram adotadas, para recuperar o prestígio da festa. Sem dúvida, são as maiores mudanças já vistas na história do Oscar:

• Concorrem 10 produções para o Melhor Filme (em vez de cinco).

• Os discursos cansativos e chorosos, que tinham um tempo arbitrado pelo próprio ganhador, passam a ter, no máximo, 45 segundos. Os agradecimentos serão feitos nos bastidores, não no palco.

• Foi abolida a entrega de Oscar honorário durante a premiação. A entrega desse se dará antes.

• Dois mestres de cerimônia farão a apresentação da festa em vez de um.

• Os ganhadores terão seus nomes gravados no troféu, durante o Baile de Gala do Governador, que acontece logo depois da cerimônia.

• Não haverá mais os números musicais, onde se apresentavam os intérpretes dos indicados à Melhor Canção.

A premiação do Oscar, apesar de toda a lisura que procura passar, não convence a muitos dos seus críticos, assim como a uma grande parte dos cinéfilos, quanto à sua imparcialidade. Muitos acham que interesses ocultos agem por trás dos bastidores, puxando brasa para a própria sardinha.

A verdade é que o simples fato de um filme ser indicado para o Oscar acaba rendendo bons dividendos para o produtor, diretor e Cia. Para tanto, basta comparar as bilheterias de antes e depois da indicação. Levar o prêmio, então, é a glória de todas as glórias. Vê-se, claramente, que o caráter da premiação não é o de premiar o melhor filme, mas aquele com mais possibilidade de cair no gosto popular e trazer melhor retorno financeiro. O cinema de entretenimento acaba por falar mais alto, pois é o que enche os bolos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *