PASSEIO POR MINAS GERAIS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Alfredo Domingos

dorothy12345

Motivado pela recente viagem a Minas, pus-me a buscar escrita sobre aquelas bandas. Mexe e remexe, achei o livro “Completude do Verso”, 3i Editora, 2013, de João Batista Gimenez Gomes, paranaense de nascimento e mineiro de vivência. Folheando, passeando nas páginas, encontrei a poesia “Trilogia”. O seu conteúdo contém: Corpo, Espírito e Alma. Tudo muito Gerais!

A primeira parte trata do concreto: as montanhas e as pedras incrustadas. Na parte do Espírito, são lembrados os oratórios e as rezas cantadas. Por fim, no setor da Alma, aliam-se os sonhos e as causas idealizadas, que são intimamente ligados. Ali há um retrato bem elaborado de Minas Gerais, de sua gente e de sua terra. Vale conferir o texto de João Gimenez; bom da conta, sô!

Nos dias em que estive por lá, conversei bastante e pude degustar o jeito mineiro de ser. A prosa é baixa, amistosa, mas sem perfurações nos sentimentos. Intimidades, não! Os olhos cruzam-se evitando, no entanto, os resvalos pouco convenientes.

A culinária é das estrelas. Nesta matéria, o conceito dos praticantes é “E”, de excelente. A começar pelo frango ao molho pardo e a terminar pelo doce de leite, durinho e molenga, ao mesmo tempo.

No meio das andanças e das comilanças, encontrei um sujeito interessantíssimo chamado Matosinho (nem sei se é nome ou apelido, vai saber!…). Ele diz coisas que só mãe ensina ao filho, em função da extrema sabedoria. Disse, por exemplo, que em Minas a liberdade é vermelha. Matutei e conclui: o triângulo vermelho da bandeira do Estado tem tudo a ver com liberdade; deve ser isso!

Acrescentou Matosinho que em Belo Horizonte todos os caminhos levam ao Rio de Janeiro. Placas não faltam, dando o rumo da terra carioca. Arriscou, ainda, que, em Minas, o marinheiro que navega em “marzão” não é conhecido. Acha melhor dizer que tal fulano da Marinha é General do Mar. Aí, sim, todo mundo fica entendendo. Arrematou que politicagem é pra gente endinheirada. O povo apenas se relaciona da sala pro quintal, passando por cima das galinhas, e estamos conversados!

Bem, o passeio irá continuar, porém, enquanto isso, fica a poesia sugerida, para proveito dos leitores:

Trilogia (João Gimenez)

Corpo

Minas das montanhas
E das pedras incrustadas
Em suas entranhas.
Preciosas.

Espírito

Minas dos oratórios
E das rezas cantadas
Em suas irmandades.
Piedosas.

Alma

Minas dos sonhos
E das causas idealizadas!
Libertatis anima. Sopro
Das Alterosas.

Nota: imagem do autor, registrada em Tiradentes, MG.

3 comentários sobre “PASSEIO POR MINAS GERAIS

  1. João Batista G. Gomes

    Alfredo Domingos
    Obrigado por publicar e comentar minha poesia. Sou poeta por paixão. Visite minha página no facebook para ler outras poesias de minha autoria. Minas é isto: simplicidade e gosto pela vida.
    Abraço
    João Gimenez

    Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Alf

    Obrigada por este belo artigo homenageando as nossas Minas Gerais.
    Nossa comida é mesmo muito saborosa.
    Aqui é possível encontrar tipos interessantes como o Matosinhos, sempre dispostos a um dedo de prosa.
    A liberdade vermelha deve ser mesmo uma referência ao triângulo da bandeira mineira.
    O poema postado é lindo!

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Alfredo Domingos

      Lu,
      Confesso que não conhecia Minas, a não ser por rápida passagem em Juiz de Fora, mas gostei muito de BH e Tiradentes. O povo, então, encantou-me!
      Quanto às comidas nem posso me estender, pois o exagero foi total! Só Deus testemunhou!
      Obrigado pela leitura e pelo comentário.
      Abração,
      Alfredo Domingos.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *