Pieter Bruegel, o Velho – CAÇADORES NA NEVE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

canane

A composição denominada Caçadores na Neve, também conhecida como O Retorno dos Caçadores, é uma pintura do artista Pieter Bruegel, o Velho. Faz parte de uma série de seis pinturas que retratam períodos do ano, encomendadas por um comerciante da Antuérpia. Cinco delas ainda sobrevivem, felizmente (O Dia Escuro, Retorno da Manada, Colheita de Feno, Os Ceifeiros e o Mastro de Maio, existindo do último apenas cópias feitas pelo filho do artista). Presume-se que este quadro represente o mês de dezembro ou janeiro (no hemisfério norte).

Em sua obraBruegel retrata a difícil caminhada de três caçadores e sua matilha através da neve densa em meio a quatro árvores perfiladas, desprovidas de folhas em razão do rigor invernal. Cerca de uma dúzia de cães acompanha os homens, deixando profundos rastros atrás. À frente do grupo veem-se os passos de uma lebre montanha abaixo. Os homens estão de costas para o observador e, pela postura do corpo, aparentam estar muito cansados depois de uma caçada infrutífera. Contudo, o tema principal desta obra é a paisagem que se desdobra em três planos: primeiro plano, plano intermediário e plano de fundo. Tudo faz menção ao inverno, com o branco do gelo por toda parte.

Abaixo dos caçadores que descem o declive nevado, atentos ao percurso, está a aldeia em que vivem. Eles estão voltando para casa após a difícil caçada nos campos gelados. Encontram-se muito bem agasalhados. Cada um deles leva uma lança ao ombro e um embornal. O de maior tamanho carrega um animal, possivelmente uma raposa, nas costas, pendurada em sua arma. Os cães de diferentes raças mostram-se exauridos pelo esforço feito.

À esquerda do grupo, numa estalagem, conforme mostra o cartaz dependurado apenas por um gancho, encontra-se uma família composta por quatro adultos e uma criança. Um homem e uma mulher alimentam o fogo para cozer o alimento dos hóspedes, sendo observados pela criança. Um dos homens carrega uma mesa. Na porta, uma mulher aparece com mais lenha. O vento direciona a fumaça e as chamas para dentro do local.

Na aldeia os moradores são vistos em variadas atividades. Uma mulher atravessa uma ponte, carregando um feixe de gravetos; um homem conduz uma carroça; outro, de arma em punho, parece caçar aves; mais outros caminham pelas ruas, etc. Contudo, a maioria das pessoas, parecidas com meros sinais pretos, encontra-se praticando esportes de inverno, sobre dois lagos congelados. O artista representa com maestria a atmosfera de frio e de silêncio propícia a uma paisagem coberta pela neve.

As casas com seus telhados cobertos pela neve espalham-se pela composição. Algumas torres podem ser observadas. É possível ver a fumaça saindo de algumas chaminés. Árvores copadas estendem-se por toda a composição em contraste com as desfolhadas, vistas em primeiro plano. Vários pássaros estão pousados nas árvores. Ao fundo veem-se montanhas com seus picos agudos. O céu é verde-acinzentado. Uma ave corta os ares. O verde do céu, o tom esverdeado do gelo e a brancura da da neve produzem um efeito maravilhoso.

Ao contrário de muitos outros quadros de Bruegel que trazem ensinamentos morais, não se encontrou um significado oculto para esse. As cores frias predominam na composição, sendo que as figuras escuras dos caçadores e dos cães fazem um grande contraste com a brancura da neve, dando ênfase à diagonal que parte da esquerda, embaixo. A composição Caçadores na Neve faz parte das obras mais admiradas de Pieter Bruegel.

Ficha técnica
Ano: 1565
Técnica: óleo sobre painel de madeira
Dimensões: 117 x 162 cm
Localização: Kunsthistorisches Museum, Viena, Áustria

Fontes de pesquisa
Bruegel/ Editora Cosac e Naify
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
Renascimento/ Editora Taschen
http://www.theartwolf.com/landscapes/bruegel-elder-hunters-snow.htm
https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://viewfromaburrow.com/2013/11/28/pieter-bruegel-the-

2 pensou em “Pieter Bruegel, o Velho – CAÇADORES NA NEVE

  1. Leila Gomes

    Lu,

    Muito bonita a obra. Um pouco de cotidiano em um denso inverno. Parabéns pela descrição atenta e minuciosa.

    Grande abraço,

    Leila

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *