Pinturicchio – A COROAÇÃO DE MARIA

Recontado por LuDiasBH

acorma

Na composição A Coroação de Maria, Pinturicchio apresenta duas cenas: uma divina e outra terrena. Trata-se de uma gigantesca tela, tendo o artista contado com o trabalho do pintor Giovan Battista Caporali.

No céu, sobre nuvens, a Virgem Maria, ajoelhada, está sendo coroada por seu filho Jesus Cristo. Um belo ornamento enfeitado com a cabeça de inúmeros anjos, todos observando a cena, excetuando dois deles, um que olha para cima e outro para baixo, está a emoldurá-los. Atrás, estão dois anjos, sobre nuvens, um à esquerda e outro à direita, tocando harpa e violino, embevecidos com o acontecimento.

Na cena terrena estão presentes os doze apóstolos, todos de pé, e cinco santos, dentre eles São Francisco, todos ajoelhados. Os olhos da maioria elevam-se para o céu, contemplando a cena da coroação de Maria, enquanto dois dos santos olham em direção ao observador. Todos os personagens possuem auréolas, o que prova a divindade dos mesmos.

Ao fundo desenrola-se uma bela paisagem com a presença de uma igreja, árvores, montanhas, etc.

Ficha técnica
Ano: 1503
Técnica: óleo sobre madeira transferido para tela
Dimensões: 330 x 200 cm
Localização: Pinacoteca Apostólica Vaticana, Vaticano, Itália

Fontes de pesquisa
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

2 comentários sobre “Pinturicchio – A COROAÇÃO DE MARIA

  1. Marco

    Para mim, o que chama atenção nesta tela, Lu, é que o homem mostra-se mais importante que templos. Noto, como você mesma aponta, a igreja ocupa um pequeno lugar na representação. De fato, mais importante é a comunhão do gênero humano. Ao pesquisarmos a etimologia do verbete igreja, denota sempre a presença, a reunião de pessoas. No hebraico, designava o “povo do deserto”. Igualmente, no texto grego do Novo Testamento, o termo igreja designava não uma edificação ou até mesmo uma denominação religiosa específica e sim, uma “reunião de pessoas”.
    Mais uma vez agradeço pelo belo texto!

    Marco

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marco

      Veja como é importante a comunhão entre leitores e blogueira, pois eu mesma não havia atentado para isto, ou seja, em relação à igreja na composição de Pinturicchio. Muito boa a sua observação. Espero contar sempre com essa sua perspicácia.

      Sempre achei que a igreja é o templo interior de cada um que, na sua junção, forma uma comunidade ecumênica. E sou quem agradece a sua presença querida.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *