POMO DA DISCÓRDIA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Alfredo Domingos

pomo

– Somente há uma explicação para este constante estado de brigas do casal: o que parecia a salvação da família virou uma grande encrenca. A dinheirama que ganharam da loteria fez toda a diferença. O dinheiro tornou-se o pomo da discórdia de vocês, sem terem noção disso. Embarcaram na loucura da gastança e esqueceram-se do essencial – o entendimento, o bom convívio.

Depois deste meu desabafo pra lá de verdadeiro, ouvi do sobrinho Paulinho, filho dos dois brigões:

– Tio, que história é essa de não sei o quê da discórdia?

Aí, felizmente, tive que deixar as desavenças de lado, e partir para tentar explicar uma expressão um pouco esquecida. Não é que gostei da mudança de rumo?! Os ânimos foram acalmados para predominar tema mais ameno.

– O motivo de uma briga ou de um incômodo quando é constante, não contornado, acaba sendo um grande obstáculo entre as pessoas. Tudo que é demais atrapalha e irrita. Pode ser perturbação entre marido e mulher, patrão e empregado, amigos, vizinhos, e por aí vai. Se houver um ponto fraco na convivência aquilo vira elemento eterno de discussão. Pode ocorrer de ser um objeto, não uma ideia. Por exemplo, minha prima Romilda colocou, na entrada do seu quarto, uma estante de quina saliente, bem na altura da nossa cabeça. Em resumo, ao entrar no cômodo, todos batem no bico da estante. Sem dúvida, ali existe uma amofinação instalada. Para o termo “discórdia”, estamos praticamente resolvidos. Porém, é necessário, agora, tratarmos de “pomo”, o que é mais complicado. Pomo é qualquer fruto carnudo e de forma quase esférica como a maçã, a pera ou o pêssego. A origem da expressão “pomo da discórdia” está na mitologia grega (junção de lendas e lições oriundas da Grécia), que reuniu numa desarmonia Éris – a deusa da discórdia – a única não convidada para o casamento entre Tétis e Peleu – e, ainda, Hera, Atena e Afrodite, estas reclamantes do título de a dona da beleza. Aconteceu que Éris, raivosa, largou sobre a mesa da cerimônia do tal casamento uma maçã de ouro, tendo gravada a mensagem provocativa: À mais bela. Foi dessa forma que o caldo entornou, dando um tremendo quiproquó na cena, pois as mulheres envolvidas reclamaram, cada uma de per si, a condição de serem beldades. Então, coube a Páris decidir a quem declarar a mais bela; e por artimanhas diversas, praticadas já naquela época, a escolhida foi Afrodite. Em contrapartida, Helena, mulher de outro, foi oferecida a Páris. Assim, por caminhos tortuosos, relacionados à traição e ao poder, vejam bem, tudo resultou na famosa Guerra de Troia, mas aí deixemos pra lá, pois terei que me alongar, entrar em outra seara, e não vale a pena! Fiquemos contentes por atingir a questão essencial, a do “pomo da discórdia”. A maçã, em especial, transformou-se no agente principal toda vez que queremos indicar que algo emperrou e trouxe desconforto, gerando belicosidade. Não estranhem, contudo, se alguém equiparar esta expressão a outra, que significa, no fundo, a mesma coisa: calcanhar de aquiles (serve pra igual efeito).

Existe também a expressão “pomo de adão” ligada à proeminência laríngea (gogó), que assim foi pesquisada: “a origem do nome “pomo de adão” é curiosa. Ela está relacionada a uma lenda bíblica. Pela lenda, Adão teria tomado de Eva a fruta proibida. E, depois de mordê-la, um pedaço da maçã teria ficado preso em sua garganta, a partir daí todos os homens nasceram com essa projeção”.

Nota: imagem tirada de http://cazamitos.com

7 comentários sobre “POMO DA DISCÓRDIA

  1. Alfredo Domingos

    Lu, obrigado pela força. E assim, vamos construindo “A Vida das Ideias”. Este nome entre aspas dava título à coluna de José Guilherme Merquior, no Jornal O Globo. Merquior era diplomata e escritor de raro talento, tendo falecido em janeiro de 1991, precocemente. Lembrei-me de fazer a homenagem. Agradeço o espaço.
    Abraço,
    Alfredo Domingos.

    Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Alf

    Excelente explicação sobre o “pomo da discórdia”, coisa corriqueira em família, principalmente quando o assunto é herança. Brigam pelas coisas mais insignificantes.

    O que você me diz sobre o “pomo de adão”? Sabe alguma coisa sobre tal expressão?

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Alfredo Domingos

      Olá, Lu!
      Na verdade, para melhor responder a sua questão sobre o pomo de adão, é mais apropriado que o Dr. Telmo seja convocado. Mas não deixarei em branco. No “Aurélio”, pomo de adão é uma proeminência laríngea. Simplificando, é aquela saliência da cartilagem junto à laringe, no pescoço humano, sendo notada nos indivíduos do sexo masculino, em função da presença de hormônios masculinos, principalmente a testosterona. O pomo de adão é bastante conhecido com o nome de “gogó”.
      Bem, acho que a missão está cumprida!
      Abraço, Alfredo Domingos.

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Alf

        Eu fui sempre muito curiosa quanto a chamar o gogó de “pomo de adão”. Sempre quis saber se há alguma correlação com o Adão bíblico, por ele ser tido como o primeiro homem.

        Abraços,

        Lu

        Responder
        1. Alfredo Domingos

          Lu,
          Estamos de volta para tentar aprimorar a questão do “pomo de adão”. Pesquisei em http://diariodebiologia.com, o seguinte: “a origem do nome “pomo de adão” é curiosa. Ela está relacionada a uma lenda bíblica. Pela lenda, Adão teria tomado de Eva a fruta proibida. E, depois de mordê-la, um pedaço da maçã teria ficado preso em sua garganta, a partir daí todos os homens nasceram com essa projeção”.
          Noto que a maçã está de volta na explicação e com a conotação bíblica! Mas faz sentido! Será???
          Abração,
          Alfredo Domingos.

        2. LuDiasBH Autor do post

          Alf

          Faz sentido, sim.
          Realmente é muito interessante esta expressão.
          Vou acrescentá-la a seu texto.

          Abraços,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *