PRODUTOS ORGÂNICOS X CONVENCIONAIS
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

einsten123  einsten1234

Este é um tema que merece algumas reflexões. O Brasil é campeão mundial no uso de agrotóxicos e, desde 2008, está na liderança como um dos maiores consumidores desses produtos químicos, cabendo a cada brasileiro (imagine!) uma ingestão média de 5,2 litros de veneno agrícola por ano. O dado foi divulgado durante o Dia Internacional da Luta contra os Agrotóxicos. Sem agrotóxico, baixa a produção. Com a cultura orgânica, mais saúde, porém ela não é acessível a todos. O que fazer?

O emprego de aditivos químicos para elevar a produtividade das lavouras é muito antigo. Data de milênios, conforme os manuscritos chineses. Entretanto, os agrotóxicos industriais somente começaram a ser utilizados durante a Segunda Guerra Mundial.

A maioria dos especialistas da área chegou ao consenso de que a aplicação controlada de fertilizantes e defensivos agrícolas não causa danos à saúde, “não existindo pesquisas científicas conclusivas que atestem que a ingestão dessas substâncias, em pequenas doses através dos alimentos, causem males à saúde” –  palavras dos defensores do agronegócio. No entanto, o que preocupa esses mesmos especialistas é o uso indevido e/ou abusivo desses produtos químicos por parte dos produtores, o que pode causar efeitos crônicos em longo prazo, como determinados tipos de câncer, diminuição da fertilidade (redução do número de espermatozoides) e até a má formação de fetos.

Os ambientalistas, por sua vez, querem o fim da pulverização aérea de agrotóxicos, medida já praticamente banida em toda a Europa, além do fim da isenção fiscal para esses produtos. Na pulverização aérea, uma pequena parte do agrotóxico cai na planta. O restante deposita-se no solo e na água. Em outras palavras, essa prática traria mais prejuízos do que benefícios.

Na agricultura orgânica não se utiliza agrotóxicos. Para controlar pragas e insetos, os agricultores lançam mão do controle biológico, ou seja, a utilização de insetos predadores, micro-organismos e plantas que combatem os pulgões, lagartas e moscas que atacam as plantações. Esse é o olhar do cultivo orgânico.

Então, o que fazer? Se puder, recomendo os orgânicos, claro! Quando não for possível consumir apenas produtos orgânicos, seja pelo preço proibitivo ou pela falta de oferta, algumas atitudes podem minimizar a ingestão de insumos artificiais junto com os alimentos.

Uma delas é comprar apenas produtos de época. Fora da estação adequada é quase certo que uma fruta, verdura ou legume tenha recebido cargas maiores de agrotóxicos. Também é sempre mais seguro comprar produtos de sua região. Alimentos que percorrem longas distâncias, normalmente são pulverizados pós-colheita, e possuem alto nível de contaminação.

Embora não se possa eliminar completamente os agrotóxicos, medidas como retirar as folhas externas das verduras, lavar todos os alimentos em água corrente e mergulhá-los em uma solução de água com vinagre ajudam a retirar parte desses contaminantes.

2 comentários sobre “PRODUTOS ORGÂNICOS X CONVENCIONAIS

  1. Viviane Fernandes

    Fico até assustada lendo estes artigos, imaginando o que estamos colocando para dentro do nosso organismo. Tento minimizar esses danos, lavando bem os alimentos, colocando em soluções. E aos poucos fazendo o próprio cultivo de alimentos, principalmente temperos.

    Abraços,

    Viviane Fernandes

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Viviane

      Você está agindo corretamente ao tentar minimizar os danos. O ideal é mesmo cultivar aquilo que comemos, mas quem vive em apartamentos não pode contar com isso, principalmente quando não tem varanda. Eu tentei plantar cebolinhas, mas não foram à frente. Senti-me tão triste!

      Amiguinha, obrigada pela sua visita e comentários. Volte mais vezes.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *