SEMENTE OU CÊ MENTE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH tiradentes1

Só mente!
Só mente!
Só mente!

Você sempre diz me amar,
mas nunca me deu uma  flor,
estou tão amarga e tristinha,
perdidinha por seu amor.

Cê mente!
Cê mente!
Cê mente!

Você me falou de ternura
e eu, panaca, acreditei. Ora,
colho um buquê de mentira.
Como cê mente, criatura!

Sê mente!
Sê mente!
Sê mente!

A paixão debilita o corpo,
porém, enriquece a alma.
Ainda duvido da questão:
sê mente ou  coração.

Semente!
Semente!
Semente!

O que aqui se planta, colhe,
já diz um provérbio popular.
Cuidado com suas palavras,
pois a semente irá brotar.

Somente!
Somente!
Somente!

Somente, ó frágil semente,
prefira a razão ao filosofar.
Se cê mente pra si mesma,
acaba em lenha de rachar.

Sê mente!
Semente!
Cê mente!
Somente!
Só mente!

Viva o dia da mentira!
Laralilalá

26 comentários sobre “SEMENTE OU CÊ MENTE

  1. Mário Mendonça

    Lu Dias

    Ouro dia tu brincaste com as palavras. O que tu achas disso?

    A implosão da mentira

    Mentiram-me. Mentiram-me ontem
    e hoje mentem novamente. Mentem
    de corpo e alma, completamente.
    E mentem de maneira tão pungente
    que acho que mentem sinceramente.
    Mentem, sobretudo, impune/mente.
    Não mentem tristes. Alegremente
    mentem. Mentem tão nacional/mente
    que acham que mentindo história afora
    vão enganar a morte eterna/mente.
    Mentem. Mentem e calam. Mas suas frases
    falam. E desfilam de tal modo nuas
    que mesmo um cego pode ver
    a verdade em trapos pelas ruas.
    Sei que a verdade é difícil
    e para alguns é cara e escura.
    Mas não se chega à verdade
    pela mentira, nem à democracia
    pela ditadura.

    Fragmento 2
    Evidente/mente a crer
    nos que me mentem
    uma flor nasceu em Hiroshima
    e em Auschwitz havia um circo
    permanente.
    Mentem. Mentem caricaturalmente.
    Mentem como a careca
    mente ao pente,
    mentem como a dentadura
    mente ao dente,
    mentem como a carroça
    à besta em frente,
    mentem como a doença
    ao doente,
    mentem clara/mente
    como o espelho transparente.
    Mentem deslavadamente,
    como nenhuma lavadeira mente
    ao ver a nódoa sobre o linho. Mentem
    com a cara limpa e nas mãos
    o sangue quente. Mentem
    ardente/mente como um doente
    em seus instantes de febre. Mentem
    fabulosa/mente como o caçador que quer passar
    gato por lebre. E nessa trilha de mentiras
    a caça é que caça o caçador
    com a armadilha.
    E assim cada qual
    mente industrial/mente,
    mente partidária/mente,
    mente incivil/mente,
    mente tropical/mente,
    mente incontinente/mente,
    mente hereditária/mente,
    mente, mente, mente.
    E de tanto mentir tão brava/mente
    constroem um país
    de mentira
    diária/mente.

    De: Affonso Romano de Sant’Anna (publicado no GGN)

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      O Afonso Romano tem toda a razão.
      A mentira permeia a humanidade, em todas áreas e em todos os campos e em todo o mundo. Em uns lugares mais do que outros, é verdade.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hila

      Eu amo todas elas, mas tenho paixão pelas florzinhas do campo.
      São pequeninhas, mas resistentes.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      É preciso alegrar o primeiro de abril num país onde inexiste mentira.
      Pega na mentira!… risos

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ana Beatriz

      Cê mente? Tomara que não!
      Jure dizer somente a verdade, nada mais que a verdade.

      E adoro sua presença aqui.
      Obrigada pelo carinho,

      Lu

      Responder
  2. Ana Luzia S. Ramos

    Gosto porque gosto deste singelo blog, gosto porque gosto de você Lu Dias, que sem nem se dar conta, faz o meu dia mais feliz…

    Beijo no seu coração,

    Analuz

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ana

      Hoje estou com medo de ouvir coisas tão lindas.
      Será que estou sonhando?
      Ou estão se vingando de minha mentira?

      Que alegria saber que posso tornar o dia de alguém mais feliz.
      Este é o presente mais valioso que já recebi.
      Continue aqui, neste cantinho, pois ele já é parte de sua casa.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  3. Pierre Santos

    Depois deste poema, minha deusa, nunca mais me chame de seu guru: as nossas posições estão invertidas.
    Minha guru, seu poema, pela simplicidade (que inveja!), pela profundidade (que me mostrou o fundo do fundo) e pela plasticidade (que me levou a espaços que jamais habitei e foi meu cicerone, minha luz) também me conduziu ao imponderável.
    Sutileza no jogo de palavras. Compreensão do senso dos contrastes. Posicionamento do parco ao sublime. Eis tudo de que o poeta carece e aí há em excesso.
    Obrigado, querida, pelo poema.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      PP

      Ainda bem que se comemora hoje o dia da mentira, pois jamais poderia ser isso tudo que você falou, meu mestre. Cê mente! Cê mente! Cê mente! Está se vingando de minha mentira.
      Por favor, amanhã, diga-me que é verdade, somente, somente, somente verdade!

      Beijo grande,

      Lu

      Responder
  4. Matê

    Puxa, que criatividade!
    Só mesmo da cabeça de poeta poderia brotar tão bem-humorado presente.
    Abração da
    Matê

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rogério

      E este blog adora a sua presença aqui.
      Como é bom saber que nossos leitores amam este cantinho.
      Ou cê mente?… risos

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *