SERRA PELADA – UM FORMIGUEIRO HUMANO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

spelada

Na sua fotografia, feita em 1986, e que correu o mundo, o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado captou a imagem de milhares de garimpeiros, subindo e descendo barrancos, carregando sacos de cascalho nas costas e usando perigosas escadas improvisadas na tão conhecida Serra Pelada. Esta foto faz parte de seu livro denominado Trabalhadores.

O mineiro Sebastião Salgado (1944) sempre usou a fotografia para denunciar as injustiças, as desigualdades e a exploração do ser humano, nas mais diferentes partes do planeta. Tais preocupações são permanentes em sua vida, como podemos ver através de seus livros extremamente humanistas: Trabalhadores, Terra, Êxodos, entre outros. Já recebeu inúmeros prêmios mundo afora.

Garimpo da Serra Pelada

Tudo começou quando, em dezembro de 1979, um vaqueiro encontrou uma grande pepita de ouro, no leste do Pará,  em um riacho, que viria a ser chamado de Grota Rica, de onde o ouro brotava como água.

O anúncio do Ministro da Energia, Shigeaki Ueki, de que um grande veio de ouro havia sido descoberto no estado paraense, foi o bastante para que o local viesse a se transformar no maior garimpo a céu aberto já visto no mundo, e fosse local de uma das maiores corridas de ouro ocorridas no planeta Terra. Nascia assim o Garimpo de Serra Pelada que, como numa romaria, recebia garimpeiros vindos de todas as partes do Brasil, trazendo o sonho do enriquecimento. Segundo estimativa, foram mais de 120 mil trabalhadores no local, que se tornou o maior garimpo a céu aberto do mundo.

Apesar da visível desorganização e do caos mostrado pela mídia, dentro daquele formigueiro humano existiam leis, impostas pelos próprios garimpeiros, empunhando suas armas. Uma delas rezava que cada garimpeiro deveria trabalhar apenas na sua gleba, sem avançar para as vizinhas. A quebra da “lei” era muitas vezes punida com a própria vida do invasor.

A Terra é mãe generosa, mas seus recursos não são perenes e, assim, o ouro que até então ficava na superfície terrena esgotou-se, sendo necessário escavar suas entranhas para retirá-lo de lá.

Em 1984, o então presidente João Figueiredo acordou com a Cia. Vale do Rio Doce, responsável pelos direitos de exploração das riquezas minerais do solo do país, que o garimpo fosse fechado até 1987, ou quando alcançasse 20 metros a mais de profundidade, a tão propaganda cota de 190 metros acima do nível do mar. Após isso, a empresa seria exclusiva na exploração do local.

O anúncio governamental só fez aumentar a cobiça dos garimpeiros, pois se espalhou o boato de que, abaixo da Cota 190 havia uma montanha maciça de ouro. Embriagados pela cobiça, aqueles homens esquálidos, levando uma vida de tatu, escavaram os buracos com mais sofreguidão, criando imensas crateras no local, em busca de jazidas de ouro. Muitos deles ali mesmo tombaram, em busca de um sonho de riqueza, enquanto outros obtiveram sorte.

Apesar do anúncio do acordo anunciado pelo presidente João Figueiredo, através de articulações políticas a exploração pública de Serra Pelada durou até 1992, quando o local foi fechado. O local é hoje um lago contaminado por mercúrio, com 120 metros de profundidade.

Vejam parte de um texto publicado em 12/11/2012 sobre a Serra Pelada

No local onde existiu o maior garimpo do mundo, ainda há muito ouro. Em 2013, esse tesouro começará a ser explorado de forma organizada e com o uso de tecnologia moderna. (…) Haverá máquinas modernas operadas por funcionários com carteira assinada e protegidos por equipamentos de segurança. (…) Nas próximas semanas, a mineradora canadense Colossus Minerals, que está investindo 700 milhões de reais em Serra Pelada, concluirá a medição da reserva ainda intocada, que escapou às escavações artesanais dos garimpeiros na década de 80. (…) Para retomar a exploração, a cooperativa de garimpeiros teve de criar a Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral, uma joint venture com a empresa canadense. Os 38.000 garimpeiros cooperados não precisarão fazer nada além de dividir entre si 25% dos lucros da operação. (Leiam o texto na íntegra em http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/a-nova-corrida-do-ouro-em-serra-pelada)

Fonte de pesquisa:
http://the-rioblog.blogspot.com.br/2011/08/serra-pelada-no-inicio-dos-anos-80-em.html

Saiba mais sobre o maior garimpo a céu aberto do mundo em…
http://pt.wikipedia.org/wiki/Serra_Pelada
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/07/18/ult5772u382.jhtm

2 comentários sobre “SERRA PELADA – UM FORMIGUEIRO HUMANO

  1. Manoel Matos

    Lu
    Aquilo era uma coisa de louco. Muita gente deve ter morrido no meio daquele lamaçal, sem que a família soubesse. Sinto arrepios só de olhar.

    Abraços

    Nel

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Nel

      Sem dúvida alguma que morreu muita gente ali, sem que a família soubesse onde o corpo foi parar.
      Era mesmo uma loucura!

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *